Mas afinal, o que são bobbers e choppers?

Chopper e bobber são dois termos capazes de gerar grandes discussões entre os apaixonados por motos, dada a desinformação e aos mitos que foram criados sobre as origens desses dois estilos. Para piorar, a internet e algumas revistas “especializadas”, muitas vezes misturam a origem e a função desses dois tipos de moto.

Bobbers, onde tudo começou

Uma Harley UL Flathead 1946 bobber de época.

As bobbers surgiram na década de 40, logo após a segunda guerra mundial, quando milhares de soldados que retornavam para suas pacíficas vidas, encontraram a emoção que a camaradagem que eles procuravam na motos.

Foram eles que criaram as primeiras bobbers: motos em sua mais pura essência, onde todo o supérfluo é retirado para deixá-las mais leves e rápidas. As customizações eram feitas na garagem de casa, com ferramentas e materiais simples, usando como base as motocicletas excedentes de guerra. Nelas, eram retirados os pesados paralamas, proteções, luzes indicadoras e, ao contrário das choppers, o quadro da moto era mantido original.

Segundo o Big Sid, a moda tomou força nos anos 50:

Quando as motos britânicas começaram a chegar no mercado Americano, a moda das bobbers tomou conta de vez. As motos britânicas eram mais rápidas, em parte porque eram mais leves, e elas começaram a vencer rachas e corridas na terra. No desespero, donos de Harleys e Indians começaram a modificar suas motos, tirando o máximo de peso possível para se manterem competitivos. Segundo Sid, bobbing era um termo usado em corridas de cavalo, onde os treinadores cortavam (to bob) o rabo de um cavalo.

Fonte: Biberman, Matthew. Big Sid’s Vincati: The Story of a Father, a Son, and the Motorcycle of a Lifetime.

Algumas das características mais comuns das bobbers dessa época eram a ausência ou a redução ao extremo do paralama dianteiro, o banco solo, o estilo minimalista, sem cromados ou adereços desnecessários, e as rodas dianteira e traseira de mesmo diâmetro para favorecer a ciclística.

Surgem as choppers

Nos anos 60 começaram a surgir as primeiras motos com o garfo alongado, e algumas pessoas acreditam que elas foram feitas para terem mais estabilidade em altas velocidades nas longas e retas estradas americanas. Se é ou não o caso, a verdade é que em pouco tempo um frenesi tomou conta e uma nova subcultura surgia. O desempenho deu lugar para a estética, e a forma se tornava mais importante que a função: começava a era das choppers.

Garfos longos, muitas cores, cromados e nenhum freio dianteiro. Uma típica chopper dos anos 60.

Assim como as bobbers, as choppers possuiam apenas o básico para funcionarem, e um nome também com uma origem similar. Bobber vem da expressão “deixar mais curto” (to bob, em inglês) enquanto chopper vem do verbo “cortar” (to chop, em inglês).

Mas o minimalismo era a única coisa em comum entre as duas tendências. As choopers não seguiam o visual moderado das bobbers, e entram em cena as cores psicodélicas, os cromados em abundância e os longos garfos dianteiros, que tornavam os freios dianteiros inviáveis, e por isso eram removidos. Infelizmente, a busca por um garfo cada vez mais alongado, aliado a soldas caseiras e o desconhecimento sobre as propriedades do metal, ceifaram a vida de muitos entusiastas na época. Não era incomum ouvir histórias sobre motos que simplesmente se partiram ao meio.

Surgiam também os adereços elaborados, feitos a mão, bancos colados no quadro, os comandos avançados e os guidões com os mais diferentes formatos. Os quadros dessas motos eram bastante modificados, sendo muitas vezes fabricados do zero.

Mas enquanto as bobbers eram um fenômeno típico das motos americanas, as choppers não possuíam nacionalidade. Motos europeias eram comumente convertidas, algo que começou a acontecer também com a chegada das japonesas nos anos 70.

Bobbers e choppers hoje

Nos anos 80 a febre das choppers foi deixada de lado, mas voltou com força total no final dos anos 90 graças aos programas de TV como Motorcycle Mania, de Jesses James da extinta West Coast Choppers, chegando finalmente ao mainstream com a novela pai e filho “American Chopper”.

As bobbers recentemente tiveram um novo boom, mas dessa vez seguiram o caminho das irmãs choppers. O público que procura por velocidade e motos customizadas se voltou para as modernas streetfighters, enquanto que os fabricantes de bobbers passaram valoriza-las pela estética. É o nascimento da retro-bobber e da chopper-bobber.

Desempenho ou estética? Um pouco de cada, e às vezes nenhum dos dois.

Agora você já sabe a origem histórica de ambos os modelos, pode tirar suas próprias conclusões sobre o que é ou não uma chopper e bobber da próxima vez que a discussão surgir na mesa do bar. Porque esse é um assunto que tem muito mais achismo e mitos do que qualquer outro que envolve a kustom kulture.

36 ideias sobre “Mas afinal, o que são bobbers e choppers?”

  1. Gostei também, conforme o prometido ficou muito boa, mas ainda ficam dúvidas ainda mais nos dias de hj em relação as bobbers, já que, tirando um caso ou outro na maioria das vezes a função é puramente estética ao invés delas ficarem mais leves para ganhar velocidade como no passado.Eu gosto muito das bobbers, sem muitos adereços, acho que tem cara de “rua” (urbana, underground) mesmo, mas vale só o visual hj em dia? Sem a sua principal função do passado, ou seja ficar leve e ganhar mais velocidade? abs

  2. Sim, você pode fazer para o desempenho, e muitas das pessoas que fazem bobbers deixam elas leves e mais rápidas. Acontece que essa não é mais a função principal delas, pois ninguém mais faz uma bobber para correr na pista ou tirar rachas no semáforo, já que existem superesportivas e nakeds de alto desempenho que as superam facilmente e são projetadas pra isso.

    O cara que fazia uma bobber, o fazia porque gostava de correr… Esse cara hoje, seria o dono de uma streetfighter. Naquele tempo, as motos não eram tão especializadas como hoje, por isso os caras tinham que improvisar e adaptar sua moto para o que eles queriam fazer (corrida de montanha, turismo, enduro, etc.) A mesma moto servia para várias coisas.

    Por isso bobber hoje é mais um estilo do que uma função em si, foi isso que quis dizer.

    1. Cara, sua resposta foi bem complementar, eu também penso nessa linha de raciocínio, acho que só teria graça de montar uma bobber, com a finalidade de correr, se houvesse com quem disputar

  3. puxa vida! que legal cara! não conhecia o termpo #streetfighter para motos, embora não me interesse nem um pouco, tem o seu espaço. e sim! estamos em eras de mesclas e somas. cada vez mais. choppers ou bobbers ainda sim estamos debaixo da asa da “custom” sempre!

    boas estradas!

  4. Acho que no caso das as Indians das fotos acima, uma é realmente uma scout (a da esquerda) mas acho que a outra é na verdade uma Indian Chief (a da direita) e näo uma scout de fabrica. Parabéns pelo blog bem legal !

    1. Hoje as Sporster esteticamente vao de encontro as bobers bem como as cafe.Inglesas como Trimph .BSA.Ariek e R Enfield fazem o que se chama Cruiser.Enfim por estetica estas motos podem ser maus ainda bobers.cafe ou scramblers.vai de cada um….

  5. Muito bacana o dite, parabéns!!! Não tenho experiencia em motos, mas estou “tentado” a comprar uma JonnhyPag Barhog, ou a gemea chinesa dela (não lembro o nome mas creio ser a mesma moto). Tem algo a falar dela? alguma outra sugestão de moto? com 16 mil consigo “fazer” uma bobber com um Honda CB, talvez? Abraço,

    1. 16 paus? Depende de qual CB. Com uma CB400 ou CB450 dá sim, com criatividade. Mas uma CB750 four vai depender de quanto você pagar na moto e do estado dela, acho bem difícil.

      Mas pra transformar ela em uma bobber, você vai precisar transformar ela praticamente em outra moto, com outro quadro, tanque, tudo, como essa aqui:

      Do contrário fica um meio termo. Uma transformação que valeria mais a pena, ficaria dentro do estilo dela, e daria tranquilamente com essa grana seria uma Cafe Racer:

      http://garagemcaferacer.blogspot.com.br/2013/03/cafe-racer-na-pratica-cb-400450-parte-1.html

  6. Opa, beleza? Antes de tudo, parabéns pelo blog, é muito informativo.

    Enfim; Sou apaixonado pelas Bobber’s desde a primeira vez em que vi uma! Quando se fala em moto me vem uma Bobber bem old school, empoeirada e roncando feito um monstro.
    Desde então eu só quero comprar a minha primeira moto e montar a minha Bobber aos poucos.
    Estou pensando em uma Viraguinho 250, será que compensa como primeira moto e modificá-la?

  7. PRIMEIRA VEZ QUE LI SOBRE O ARTIGO PUBLICADO GOSTEI MUITO É UMA VERDADEIRA AULA DE HISTÓRIA DO MUNDO DAS MOTOS VOU COMEÇAR A MODIFICAR A MINHA VALEU GALERA VCS ESTÃO DE PARABÉNS

  8. Brilhante texto… E no final ficou ainda mais show… Um belo dia me perguntaram como iria customizar a minha ou como gostaria… E eu disse que curto mais as Bobber-Choppers, ou seja uma mescla de cada modelo, enfim… Ele não entendeu muito bem e me disse que era “ou” Bobber ou Chopper… Enfim, pra finalizar é sempre bom vermos um texto desses, acredito que acaba com qualquer dúvida… Parabéns mais uma vez…

  9. Dá pra fazer um link entre a época que cada uma surgiu e a diferença entre cores e cromados.
    .
    Veja, as bobbers surgiram logo no pós guerra; época das “vacas magras”. Ninguém mandaria cromar peças porque isso custava muito caro. Então, no máximo só permanecia cromado aquilo que já vinha cromado de fábrica, ou seja, pouco cromo.
    .
    Já as choppers surgiram bem depois da guerra. Época onde a economia já estava bem fortalecida.
    .
    Com as cores era mais ou menos a mesma coisa. No pós guerra tudo era muito mais sóbrio. A qualidade das tintas e variedade não era muito grande coisa. Havia muita tinta que fosqueava.

  10. Bom dia! Tenho uma suzuki savage ls 650 e já vi fotos e vídeos dessa moto no estilo bobber e fica muito bom, muito bom mesmo!

    Gostaria de ajuda para localizar uma oficina que possa fazer a transformação aqui em Brasília.

    Muito obrigado.

    Aleixo.

  11. Olá amigo, leio seu blog tem algum tempo já, mas, serei sincero, não entendo muita coisa de motos. Basicamente o que eu gostaria de te perguntar é, porquê no Brasil não vemos (eu pelo menos não) muitas motos Chopper fabricadas por oficinas. É proibido fazer isso no Brasil? Abraços!

    1. Três motivos:

      1) É caro de fabricar.
      2) Ao contrário de lá fora, é um saco legalizar, e isso muitas vezes inviabiliza o custo de uma oficina fabricar uma para vender.
      3) Nossas estradas e pisos não são ideias pra esse tipo de moto, talvez por isso as bobbers sejam mais populares em nossas terras.

  12. Sobre alongar os garfos, ocorre o seguinte:

    – É a maneira mais simples de aumentar o angulo sem mexer na caixa de direção, e com isso ter mais estabilidade em altas velocidades.
    – Observe o angulo das estradeiras e compare com as esportivas, nakeds ou trails, um angulo menor (garfos mais em pé) favorecem a agilidade em baixa velocidade.
    – Observe um piloto de motocross, eles sentam no fim do banco nas grandes retas, colocando todo o peso atrás e com isso o angulo dos garfos aumenta, e sentam no tanque nas curvas de baixa, mudando o peso para a frente diminuem o angulo, facilitando a agilidade na curva.

  13. Excelente matéria, extremamente esclarecedora. Sempre cultivei essa dúvida, sobre a diferença entre os dois estilos. Agora, finalmente o problema foi sanado. Parabéns pela aula, o universo do motociclismo é de fato fascinante.

  14. Olá, estou a procura de uma moto com o guidão mais vertical, no caso reto pra cima em L, como o que a garota está usando.
    Como chama esse tipo de moto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *