Os verdadeiros “Wild Ones”

Cartaz do filme “O Selvagem”, de 1953.

Algumas pessoas não sabem, mas o filme O Selvagem (The Wild One, em inglês), foi inspirado em fatos reais que aconteceram entre 3 e 6 de julho de 1947, em Hollister, na Califórnia. A pacata cidade estava pronta para receber motociclistas de um evento sancionado pela AMA, mas foi surpreendida ao perceber que eles chegavam em número muito superior ao esperado.

O motivo foi o enorme aumento em popularidade que as motos tiveram graças aos veteranos da 2ª Guerra Mundial. Afinal, depois de viver anos em uma das mais violentas guerras da nossa história, muitos não se adaptaram a uma vida pacata, e foi nas motos que eles encontram a emoção que procuravam, podendo desenvolver novamente a camaradagem, tão valiosa em tempos de guerra.

Por alguns dias, a Hollister se tornou palco de grandes bebedeiras, rachas de rua e algumas brigas, o que causou uma enorme comoção entre seus moradores e fez com que os únicos sete policiais da cidade fossem chamados para intervir diversas vezes.

O encontro terminou com um saldo de 50 prisões por bebedeira e direção perigosa, e supostos 60 motociclistas feridos em pequenos acidentes, sendo que apenas 3 tiveram maiores consequências. No entanto, os danos ao patrimônio da cidade foram mínimos, e não houve incidentes envolvendo os moradores. Segundo o conselho da cidade da época “eles causaram mais danos a ele mesmos do que a cidade”.

Mas uma foto sensacionalista, publicada na revista Life, tornaria o evento mundialmente famoso:

A matéria de página inteira, ilustrada pela imagem de um motociclista bêbado, sentado em uma moto, cercado por garrafas de cerveja vazias e com quase nenhuma explicação, ajudou a criar uma imagem negativa para todos motociclistas. Os americanos passaram a sentir medo de “selvagens” em motocicletas, invadindo pequenas cidades e causando caos e terror.

Mas o mais curioso, é que a foto que causou tanta polêmica, na verdade foi encenada. Testemunhas alegaram que o homem da moto não era sequer um motociclista, e que as garrafas quebradas foram colocadas lá pelo fotógrafo. E apesar do medo que se espalhou pelos EUA, não houve nenhuma consequência para a cidade, que continuou recebendo eventos de moto, chegando inclusive a comemorar o cinquentenário do Hollister Riot em 1997.

Alguns anos depois, um conto chamado Cyclists’ Raid (leia na íntegra aqui), escrito por Frank Rooney e baseado nos eventos de Hollister, se tornaria a base para o roteiro do filme O Selvagem, que já não continha nenhuma relação com os fatos reais, mas serviu para piorar ainda mais a imagem dos motociclistas.

No entanto, um grupo abraçaria essa imagem de fora da lei. E em resposta a declaração da AMA (American Motorcyclist Association) de que “99% dos motociclistas são cidadãos respeitadores da lei”, eles se auto intitularam 1%er (algo como “os 1 por cento”). Começava a surgir a era dos grandes M.C.s outlaws.

Mas isso fica para um próximo post.

6 ideias sobre “Os verdadeiros “Wild Ones””

  1. Já conhecia o famoso Incidente Hollister como ficou conhecido e essas armações da revista Time, que fez muitas matérias sensacionalistas depois com alguns MC´s. o próprio filme Wild One acho que tem uma conotação negativa para a imagem do motociclista vide a narração no começo do filme, mas ele virou Cult mesmo assim.
    Bem legal se isso for uma introdução para post sobre a história dos Mc´s, poderia citar o East Bay Dragons depois, um dos mais velhos dos Eua e curiosamente só de negros

  2. Ótima matéria! Sem falar que me fez relembrar que alguns m.c’s aqui no Brasil utilizam o patch “1%” para um significadi difere.te haushaushuasa………Brasil, muitos motoqueiros, pouquíssimos bikers.

  3. Pelo que entendi, um MC ser 1%er não é ser boa coisa? Fiquei na dúvida. O texto fala que 99% respeitam as leis segundo a AMA, e os 1%er são os bagunceiros. Então porque entrar e um MC que se intitula 1%er. Quem puder me esclarecer eu agradeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *