Mantendo uma Harley-Davidson Twin Cam

"Se eu rodar só 500km por ano, será que meu motor vai durar mais?"
“Se eu rodar só 500km por ano, será que meu motor vai durar mais?”

O post que era para falar dos motores “genéricos” da HD, acabou reacendendo a discussão de como é manter um Twin Cam para o dia-a-dia lá no Facebook. Tive um TC96 por anos, sem nenhum problema mecânico (apesar de ter sido abençoado com um Osmar Contato de fábrica, que nunca foi definitivamente sanado, mas isso é outra história) e convivi um bom tempo com um TC88, e posso dizer que ambos são motores extremamente confiáveis.

Para aqueles que me perguntaram como é manter um TC88, TC96 ou TC103, o Wolfmann tem um post bem completo sobre o assunto, que vale uma visita:

http://wolfmann-hd.blogspot.com.br/2013/05/mantendo-uma-twin-cam.html

7 ideias sobre “Mantendo uma Harley-Davidson Twin Cam”

  1. Gostei muito desse artigo… “Se eu rodar só 500km por ano, será que meu motor vai durar mais?”; Como é possível rodar 500km por ano? Nem se fosse necessário pro bom funcionamento do motor, eu não conseguiria. Mal me seguro rodando 500km por semana.
    kkkkk

  2. Inicialmente, parabéns pelo blog! Gostaria de aproveitar para tirar uma dúvida: Tenho uma Street Glide 2012 com 7000 km. Já há algum tempo ( apos a 1a revisão), troquei o escapamento completo da moto, mas não troquei o filtro de ar nem fiz o remapeamento da injeção. Afinal, o remapeamento é necessário mesmo tendo mantido o filtro original? Desde já, muito obrigado por compartilhar suas pesquisas e conhecimentos com outros apaixonados por motos! Abs, Alexandre

    1. Sim, o escape mais livre (mesmo que seja só a ponteira) deixa a mistura ainda mais pobre que o original, já que o catalisador é retirado. Você também perde um pouco de torque e o motor esquenta mais.

      Mas remapear não é a única solução, você pode usar um módulo piggy back que engana a injeção, como o nacional Redline ou o FuelPak da Vance.

  3. As únicas consequências seriam o torque e o “calor”, ou o escape novo (Rinehart true duals) sem mexer na injeção, nem no filtro original, pode mesmo vir até a fundir o motor?Ela está rodando tão bem, e som ta perfeito, q fico com medo de mexer …desde já, obrigado!

    1. Alexandre, trocar o escape é bem mais complicado e envolve tantos sensores quanto mexer na injeção com um Suricato, Redline ou Dobeck, por exemplo. O FuelPak então, é plug and play. Não precisa ter medo.

      Na teoria, usar escape livre e não mexer na injeção reduz a vida útil do motor pois ele funciona com uma mistura pobre de combustível, o que deixa ele mais quente, e blá, blá, blá… Mas na prática, tem gente que andou um tempão assim e nunca teve problemas.

      Minha opinião pessoal é: não vale gastar uma bela grana no escape e depois não gastar na injeção, ainda mais se tratando de uma moto cara como uma HD. Se você gostou do ronco agora, vai gostar e achar ainda mais encorpado com o acerto correto da injeção, sem backfires. A moto como está agora bebe mais, anda menos e esquenta mais do que o original, que já é bem quente. É só desvantagem em troca de um ronco… E se um dia você quiser mexer no filtro, vai piorar ainda mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *