Dyna Mr. Bobber

rp_hot-rod-bobber4-07-600x397.jpg

hot-rod-bobber2-2a hot-rod-bobber3-da

fender-dyna-55

Já falei sobre esses caras antes, foram uma grande inspiração para o projeto da minha antiga e saudosa Dyna, que infelizmente nunca foi muito longe. E como o André Carvalho me lembrou sobre eles na fan page do Facebook, achei que valia a pena a repostagem.

No site deles você encontra tudo sobre a moto, mas vale a pena ressaltar alguns detalhes:

– A roda dianteira é um aro 16 x 4″, com um pneu Dunlop de 150 de largura, enquanto a traseira é um aro 16 x 6″, com um pneu Dunlop de 180 de largura. É importante notar que manter a roda traseira e dianteira com o mesmo diâmetro ajuda muito na simetria estética, e muitas vezes na ciclística.

– Paralamas dianteiro bem curto e colado na roda. Ficou tão discreto e legal como se não houvesse nenhum paralama.

-Progressive Suspension 412 de 11“ polegadas. Deu uma leve rebaixada na moto, mas garantiu o conforto.

– Tanklift de 50mm (para quem não sabe o que é um tank-lift, este post pode ajudar)

– Mesa wide glide para acomodar a roda maior na dianteira. Canelas e mesa pintadas de preto, deixando o resto cromado. Pra mim, essa é sempre uma combinação muito elegante.

– O paralamas traseiro foi cortado, mas os seus suportes não (é só ver como a espada e os piscas continuam no lugar). Assim fica mais fácil retornar ela ao original, e também colocar um garupa com segurança, já que o suporte do quadro não foi serrado (o que é bem comum nessas customizações).

– Os comandos centrais deram lugar aos avançados.

– Guidão com um leve estilo “beach bar”, com risers curtos.

Em resumo, é uma bela customização. Não saiu barata, mas usou muita criatividade para deixar boa parte da moto original. Uma solução bem prática para quem precisa usar a moto no dia a dia, e também uma boa fonte de inspiração.

Fonte:
http://www.mr-bobber-custom.com/custombikes/bobber-1.html

[image-credits]

14 ideias sobre “Dyna Mr. Bobber”

  1. ODC, sempre com belos e informativos posts, realmente um trabalho de que gosta de motos para quem gosta de mostos.

    Sou suspeito de comentar dessa Bobber, Tenho uma inclinação pelas baggers, como a Street Glide, mas e difícilmente trocaria minha FXDC/08 por outra HD, acho, na minha ignorância, uma moto tão versátil, potente de uma beleza estética bem singular e variável que carrega uma boa garga de carcteristicas das HDs grotescas, que pesam, vibram e esquentam, eu gosto!!!

    em Resumo… éssa Bobber ficou *PHoda!!!
    *pode palavras de baixo calão???

    1. Porra, claro que pode. Hahahaha.

      É o que eu falo: são as características que dão alma para uma moto. Não tem coisa mais chata que uma moto que faz tudo sem nenhuma peculiaridade…

  2. Bayer, porque seu projeto não foi pra frente?
    Chegou a possuir uma Dyna? E o que me diz dela de um modo geral?
    Pergunto isso, porque está nos meus “planos” futuros…
    Grato amigo.

    1. Porque eu vendi para um amigo quando a minha filha nasceu, não ia dedicar mais tempo naquela época. E eu odeio projeto parado… Ou faço algo, ou abandono. Meio termo não rola…

        1. Eu adorava a Dyna. Se eu fosse irresponsável com grana (leia-se “não tão pão duro”) eu tinha dado um jeito de ficar com ela.

          A Dyna é muito tradiça lá fora, mas aqui no Brasil ficou conhecida só depois das Softails. Tem muita coisa legal que dá pra fazer com ela…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *