Faça merda você mesmo

O  verdadeiro Old Dog, meu assistente sempre prestativo.
O verdadeiro Old Dog, meu assistente sempre prestativo.

O título deste post é roubado do Pedrão e suas aventuras no Hecho A Mano Custom. Não chegou a ser categoria merda, mas chegou na categoria “agora senta e espera“.

Semana passada tive um problema no freio, que infelizmente empenou o disco traseiro. Cagada minha, com uma pitada de desatenção. Então aproveitei o feriado para desmontar a roda e trocar tudo.

E aí que a merda começa. Apesar de ser algo relativamente simples de fazer, eu nunca havia retirado o disco de freio da roda traseira, mas já sabia que ele é dificílimo de sair por causa dos parafusos torx que o prendem. Além de extremamente apertados, eles são presos com trava química para evitar que se soltem. O ideal é usar calor no local para soltar a trava da Loctite e imediatamente tentar soltar o parafuso.

Roda desmontada, tudo pronto para começar.
Roda desmontada, tudo pronto para começar.

Mas antes de começar o serviço, lembrei de uma visita que fiz em uma autorizada da Harley. O mecânico chefe do local me mostrou as instalações e o kit de ferramentas de cada um. São belos kits da Snap-On, com garantia para toda vida. E o mecânico fez questão de ressaltar:

“Ainda bem que tem essa garantia, porque o que a gente quebra de torx tentando tirar disco de freio não é brincadeira…”

Com isso em mente, saí para comprar uma chave extra. Afinal, fiquei com medo de quebrar a minha e não poder terminar o serviço. E como a T 45 que eu tinha não era do tipo soquete, eu não poderia usar o torquímetro no final, por isso achei melhor comprar a certa.

Mas o único lugar aberto que eu conhecia no meio do feriado era a Dutra Máquinas, e apesar deles terem uma T 45 da Gedore no site, o vendedor me tratou como se eu estivesse pedindo uma picanha em um restaurante vegetariano:

“Torx T 45? Não, torx é só T27, T25. Tem não…”

Mesmo com a minha insistência e mostrando o site, não teve jeito. Acabei pegando uma convencional como reserva e decidi arriscar, o vendedor acabou com a minha paciência (que já não é muita). Uma pena, porque geralmente o pessoal naquela loja é prestativo.

Tudo rotulado e anotado, conforme reza o bom procedimento, só faltava a chave certa.
Tudo rotulado e anotado, conforme reza o bom procedimento, só faltava a chave certa.

O problema é que eu já comecei errado. Eu tenho uma regra quando se trata de coisas como a moto: “Para tudo existe uma ferramenta certa. Se você não tem a ferramenta certa, espere.”

Não preciso nem dizer… A chave torx quebrou no primeiro parafuso. O que eu considero sorte, pois ela não espanou nem estragou a cabeça dele, apenas quebrou no meio. Se eu tivesse danificado o parafuso a brincadeira seria bem mais complicada e eu estaria me açoitando nesse momento, talvez sentando no milho. Não teve calor, leve marteladas com a chave na cabeça, nem qualquer outro truque conhecido: no final a falta da ferramenta certa me deixou na mão.

Tive que largar a moto lá, desmontada na garagem pelo resto do feriado. Acabei deixando a roda com um mecânico que vai me cobrar menos para tirar e colocar o disco novo do que me custaria o soquete certo. Ainda vou repor e compra-los de qualquer forma, mas pelo menos agora posso fazer isso com calma.

Agora entendo por que tanta gente troca esses parafusos por sextavados: eles dão muito trabalho.

29 ideias sobre “Faça merda você mesmo”

  1. É como diz em alguma parte do “Zen e a arte de manutenção de motocicletas”, pelo menos quando você mesmo faz merda na sua moto você aprende com isso, o que não aconteceria se isso tivesse acontecido num mecânico por exemplo, da próxima vez, você vai saber o que fazer.

    Abraços

  2. Bah, minha “quase cagada” foi ao substituir o filtro original por um K&N.
    Ao instalar o filtro, eu afrouxei o sensor de posição da borboleta de admissão do ar.
    No meio do “passeio” (minha ida ao trampo são 65 km de estrada, não cidade!!), a vibração do motor terminou de desconectar o sensor, a moto ficou apagando, quando eu acelerava ela engasgava, etc e tal.
    A luz de alerta da injeção acendeu. E eu, mecânico de garagem, não sou soube o que era. ao invés de ir pro serviço, fui até a oficina de um amigo (mecânico de HD’s há quase 40 anos. Ele simplesmente iniciou o auto-diagnóstico da moto, que informou:
    P-0622–N
    Ele apertou o conector até fazer “PLEK” e me mandou embora pois eu estava atrasado!
    E ao invés de me “mijar”, disse: “Bem que tu fez em trocar o filtro em cassa, quem não tem coragem de mexer na própria moto não merece ter moto.”
    hahahahah

  3. Mesmo que não tenha dado certo o serviço, já valeu de aprendizado, provavelmente na próxima, com a ferramenta certa tu resolve.

    Uma dúvida, sempre vejo essas luvas nos vídeos, é boa pra pilotar ? Onde eu consigo comprá-la ?

    1. Eu costumava vender, mas não tenho mais. Trouxe dos EUA, não saberia dizer onde tem aqui.

      São luvas usadas para cavalgar, ou para serviços pesados. São ótimas, tem bastante sensibilidade ao mesmo tempo que o couro protege.

  4. Caro amigo Bayer.
    Também já passei por isso, tudo por falta de ferramentas certas. Agora estou comprando aos poucos até montar a minha caixa. abç;

  5. Depois que sofri um acidente, minha moto ficou um tempão no mecânico e aproveitei para fazer algumas customizações que não teria competência e nem como fazer no meu apartamento. Quando peguei ela era outra moto, como eu queria, mas era uma estranha. Passado isso, por uma distração que é um martírio lembrar ela caiu de lado desalinhando o guidão e fazendo uma massaroca do conjunto de cabo do acelerador e manopla. Não sei como consegui levar ela para casa, mas não pude mexer pois era véspera de natal. Dias depois, compromissos familiares em dia, me dei de presente o tempo para me dedicar a moto. De alinhamento, a lubrificação e ajuste fino acabei por extender o trato a outras partes, assim tomei posse de minha motoca de novo. Depois de desmontar e montar com carinho que só vc dá para sua moto, voltamos a ser íntimos e acho até que ela me perdou pela pequena burrada da queda.

  6. Gostei do esquema desenhado, simples e eficiente. Agora eu não sabia que esses parafusos do disco eram tão ruins de trocar…bom saber. Faltou contar como empenou o disco.

    1. Ajuda muito fazer isso. As vezes algo parece simples a desmontagem de uma peça, mas é fácil esquecer o que ia aonde depois de um ou dois dias.

      Acabei de contar a minha cagada em outra comentário aqui. Mas, shhhh, não conta pra ninguém! Hahahaha.

  7. Já que é pra compartilhar cagadas, lá vai a minha:

    A relação da moto já estava no osso e precisava trocar pra ontem, kit em mãos, cheguei do trabalho e fui mexer. Na época não tinha cavalete central, fiz a seguinte gambiarra:
    Subi com a traseira da moto em uma lista telefônica e calcei a moto com uns tocos de madeira e tirei a lista.

    Acho que não preciso contar até a parte que esses tocos saem do lugar.

    Para minha sorte, eu tinha colocado uns livros embaixo do suporte do cavalete e ainda tinha desmontado a traseira, então não estragou nada, mas e pra levantar a moto de novo?

    Teve uma hora que até consegui erguer a moto, mas como você levanta a traseira de uma moto no braço e empurra algo pra baixo dela com o pé?

    Dia seguinte lá vou eu na oficina comprar um macaco para levantar a motoca e terminar o serviço.

  8. Outra cagada envolvendo a falta da ferramenta certa, foi quando tentei tirar o freio da Intruder da minha namorada, as chaves que eu tinha eram uma combinada, uma biela e um soquete com chave de catraca de 1/4’’. A mista não soltou, a biela espanou e a catraca quebrou. Tinha uma alavanca fixa e desta vez quem quebrou foi o soquete.

    Então tive que comprar outra chave de catraca, a biela não repus até hoje, mas comprei uma alavanca de 1/2’’ com o soquete que precisava, além de parafusos adicionais.

    1. Sabe quando você anda com a cabeça na lua, por causa de estresse? Pois é… Fiz a revisão na moto, e vi que as pastilhas estavam bem perto do fim. Tenho o hábito de dividir a revisão em pequenas tarefas, assim faço cada uma em um dia. Então anotei que precisava encomendar as pastilhas novas e trocar. No dia seguinte o trabalho ficou pesado, minha cabeça foi pro caralho e… Acabei esquecendo de trocar. Completamente! Só percebi em um dia de uso intenso.

      Dava pra salvar o disco, mas eu achei melhor trocar tudo para me punir pela cagada.

      1. Putz! Realmente deve ser foda tomar um preju por vacilo, mas todos estamos sujeitos a isso.

        Também estou dividindo a manutenção da moto em pequenas etapas, mesmo porque ainda sou inexperiente e tudo ainda demora muito.

        Parabéns pelo blog, irmão.

        abraço.

  9. Acho assim:
    Chato é tentar, e errar;
    Ruim é não tentar, e se martirizar pela falta de tentativa.
    Mas Pior é Errar e continuar tentando, quando tudo mostra que deve-se parar por aí.

    C@g@d@s mecânicas e elétricas, todos fazemos.
    São os erros que levam ao acerto.
    Mas saber parar, quando o erro é irreversível, é o de melhor.

    E realmente esta caixa de ferramentas tá linda, pensei que as folhas do coqueiro eram flames na caixa.

  10. A minha deu um bom prejuízo, pior que não foi por falta de ferramenta, deste que comprei minha Iron fiz da seguinte forma, tudo que gastaria na revisão na CC, eu gastei em ferramenta, como costumo ir para o exterior, isso me economizou um bom dinheiro e tenho ferramentas de ótima qualidade, onde não deu para fugir foi no macaco hidráulico. Mas foi assim que aconteceu o preju, passei todos os cabos por baixo do tanque , tudo bem acabado ( anos montando racks de TI e quadros elétricos) , já finalizando vi que o negativo do suricato estava ainda travado no chassi por um parafuso, não pensei 2 vezes, agora vc vai para a bateria, soltei ele, tirei a bateria ai veio a cagada liguei ele no positivo, e o pior aconteceu, queimei a saída para o bico injetor da EFI, imaginem mais de 14 anos como profissional na área de eletrônica e elétrica se sente, ainda mais
    nela ! Já que foi para o saco mesmo resolvi gastar de verdade por raiva mesmo,chegou ontem meu ThunderMax e sábado instalo ele, não vejo a hora 3 semanas parada.

  11. O seu assistente é realmente foda! Um verdadeiro amigo! I love dogs!

    Também já me aventurei por uma merda dessas… rs rs
    Minha primeira moto foi uma tornado que inventei de repintar as tampas laterais do motor que estavam amareladas… Bom, até ai tudo bem, só que o mecânico que tirou as tampas fui eu! rs rs rs
    Esgotei o óleo, coloquei-a numa posição favorável ao trabalho e comecei a soltar os parafusos e organizá-los. Depois de todos os parafusos soltos tentei tirar a tampa que não saia por nada!!! Depois de recorrer a ajuda dos universitários da Honda consegui retirá-la com segurança e uma certa facilidade porque com o calor a junta cola…!
    Então pedi para pintar… e depois de alguns dias de enrolação do pintor fui colocá-la no lugar mas percebi que faltava uma arruela e depois de pesquisar no catálogo de peças descobri que se chamava Arruela de Encosto! Ihhh Ai tem coisa!!! rs rs rs Procurei em todos os lugares e nada… revirei tudo e nada!!! Então voltei na Honda e com o código correto consegui encomendar a peça que demorou um mês para chegar!!!! Finalmente montei as tampas e quando fui colocar o óleo do motor de volta olha o “encosto” lá!!!A arruela havia caído dentro do óleo!!! Putz só pude rir para não xingar! hehehehe

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *