Porque nunca houve a segunda parte sobre os M.C.s 1%er?

Eu recebo constantes mensagens perguntando porque eu nunca escrevi a segunda parte sobre os M.C.s 1%er. O motivo é simples: o post era para ser educativo, baseado em fatos que qualquer pessoa do meio motociclístico dos EUA sabe. Mas ele virou um debate, e se perdeu.

Eu explico:

Teve um diretor de M.C. 1%er que me mandou um email agradecendo por eu estar educando os novatos (que era justamente a intenção do post). Mas teve prospect do mesmo M.C., que me ameaçou. Teve gente de outro M.C 1%er achando que eu tinha revelado “segredos”, e que eu tinha tido ajuda interna. E teve gente do mesmo M.C. que me disse que eu não falei nada que qualquer pessoa que anda de moto há algum tempo já está careca de saber. Na parte dos comentários o resultado foi parecido.

Tudo foi feito naquele post com a melhor das intenções, mas eu percebi que cada um estava entendendo a mensagem de um jeito diferente.

Como vocês sabem, muito do que escrevo neste blog vem do que me foi ensinado por ter crescido em uma família de origem americana, e de conviver com essas pessoas. Mas depois de escrever aquele post, e conversar com várias pessoas do meio, percebi que nós importamos algumas coisas da Kulture, só que outras não.

Por exemplo: tudo o que eu escrevi naquele post, é a primeira coisa que te ensinam quando você começa a se juntar para andar em grupo com outros motoqueiros nos EUA. Os próprios M.C.s, tanto tradicionais como 1%ers, educam os novatos para evitar brigas, e para que todos possam conviver em paz.

Por lá, absolutamente nada que está no post é segredo. Pelo contrário, é o que te incentivam a passar pra frente (que foi o que fiz).

20300072

Vou exemplificar: na gringa, quando você quer fundar um motoclube, você precisa ter autorização do M.C. dominante daquele local. Você vai até lá, conversa e diz porque você quer fundar o seu. E existem regras, que todo mundo sabe. E se você não sabe, te ensinam na hora:

1) Nos EUA, você não pode usar cores ou tipos de letras no seu escudo/patch que remetam a outros M.C.s.

2) Nos EUA, você não pode usar no seu escudo qualquer tipo de identificação de território na parte de baixo, como escrever Califórnia por exemplo. Quando você faz isso, você quer dizer que seu M.C. é o dominante naquela área, e isso vai gerar briga.

3) Nos EUA, se o escudo é dividido em uma ou três partes é algo importante também. Os escudos dividos em três partes são reservados apenas aos Outlaws. Se o seu escudo tem topo com o nome do MC, brasão no meio, indicação de território embaixo, e os três são claramente separados um dos outros, você está declarando que seu motoclube é Outlaw.

Essa é uma tradição que remonta dos princípios do motociclismo de lá, e que todo mundo respeita. Aliás, os M.C.s de forças policiais fazem questão de desrespeitar essa regra só para provocar, o que já gerou muita briga. E esse é o motivo que o criador da série Sons of Anarchy proibiu merchandising oficial com esse desenho em três partes (os coletes que são réplicas do seriado, são piratas e ele mesmo alerta que você vai apanhar se usar um por lá).

hogTodos os outros MCs usam um brasão único. Pode reparar, até a Harley respeitou isso na hora de criar o brasão do H.O.G., fazendo com que ele seja uma peça única, mesmo parecendo que são duas.

4) E o mais importante: qual motoclube é 1%er (também chamado de outlaw) não é segredo nenhum lá fora. Pelo contrário, eles são sempre claramente identificados pelo diamante com o 1%, e isso é motivo de orgulho.

O motivo dos motoclubes serem claramente identificados é simples: se o seu M.C. é um M.C. comum, ninguém vai te encher o saco. Se o seu M.C. se identifica ou age como um 1%er, os próprios clubes vão tomar conta da sua atitude e cobrar que você siga as regras deles.

E, mais uma vez, tudo isso que eu escrevi aqui é como funciona nos EUA, e não é segredo. Se você tem dúvida, procure em inglês informações de como fundar um MC, exemplos de estatutos e afins. Lá fora, tem M.C. 1%er que tem F.A.Q. sobre essas questões no próprio website deles…

Mas e como são as coisas por aqui? Não cabe a mim dizer. Minha intenção era boa, tentando educar o pessoal daqui como se faz lá fora, e evitar que um novato metido a besta arrume confusão ou desrespeite alguém. Só que percebi que nem todo mundo no meio concorda com isso, e não é meu papel ser juiz ou mediador.

Eu vou apenas respeitar, até que tenhamos um consenso. Mas a dica aos novatos ou a quem acha que isso não existe continua: bom senso e respeito nunca é demais.

105 ideias sobre “Porque nunca houve a segunda parte sobre os M.C.s 1%er?”

  1. Fora bandidagem e suas viúvas dentistas/bancárias que não tem coragem para sê-las!

    Abaixo a cultura de “respeito” baseada em subserviência!!

    Viva a velha cultura biker passada de pai pra filho, que ensina que não existe coisa mais gostosa nesse mundo do que limpar o carburador com seu pai em uma domingo a tarde!!

    Os dias desses caras estão contados, a polícia tá cercando um por um na austrália, e nos EUA a tendência é essa, no brasil eles estão tentando parecer bonzinhos com instituições legais, mas vão cair feio também.

    De resto, paz na terra e muita estrada pra quem é biker de verdade.

    Parabéns, Old dog!

    1. Isso ae Digão,,,a condição é esta mesmo. Eu não sou de nenhum MC, mas tenho vários amigos em muitos,,, não curto ser do bando,,, não curto ser mais um dentre estes,,, gosto da liberdade que tenho de andar sozinho estando ou não com meu colete do MOTORHEAD ou do MOTOROCKER (banda daki de CTBA). Prefiro andar com meus verdadeiros irmãos de estrada, que curtem as mesmas coisas que eu, que respeitam as mesmas coisas que eu do que fazer parte de um grupo apenas para ostentar…Grande abraço e nos encontramos nas estradas…

    2. Exato. Sociologicamente participar de um grupo para se sentir inserido junto aos demais é normal, o problema é quando a coisa escapa da simples convivência e começa a atingir terceiros inocentes, como já aconteceu ao longo da história dos MCs. Fugindo um pouco do assunto, eu, de forma muito particular acho o nível de cultura biker aqui no Brasil um lixo, pois vivemos num país lixo. Moto custom tem apelo de estilo, é um “modo de vida”, coisa que serve para estadunienses que vivem em meio a um paraíso de rodovias asfaltadas, rock roll, gasolina barata, peças baratas, e o principal HARLEYS baratas! Já em terras tupiniquins…Enfim, de forma rápida: sons of anarchy só serve pros EUA, e não pra nós. Não consigo levar a sério nenhum gordo usando um colete em cima de uma intruder 250 aqui na selva! Minha opinião.

      1. Respeito sua opinião, apenas uma pergunta por curiosidade: porque não levar a sério alguém que ande com uma moto de baixa cilindrada e faça parte de um M.C(usando colete) ?

        1. Porque não combina. Uma coisa é tu teres uma custom pequena e andar nela de forma “normal”, outra coisa é querer vestir toda parafernalia de mc bad ass e querer botar medo em outras pessoas com uma moto japonesa de baixa cilindrada que imita um estilo unico norte americano. Lembre-se, estamos falando de 1%. Eu mesmo tenho uma shadow 600 e nao saio por ai querendo ser jax teller, coisa que argumentei no comentario anterior. Agora sim, se fosse para ser criminoso de mc seria em cima de uma harley, pois iria querer manter a originalidade, mas como sou um trabalhador normal, tenho minha custom por simples prazer de pilotar, curtir uma estrada boa um vento na cara e só, nada de coletinhos de napa pseudo hells angels. Tenho bom senso e sei minha posição na sociedade, vamos deixar aos legitimos que façam uso dos coletes, pois esses sim tem uma originalidade que surgiu em meio a um contexto social especifico, e não a um simples trabalhador que no fim de semana sofre da sindrome de micro poder. Sincero abraço.

          http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2014/09/membro-do-grupo-hells-angels-e-preso-com-armas-no-rs-diz-policia.html

          1. Legal, é sempre bom ler opiniões diferentes e “cutuquei” por uma resposta pois para muitas pessoas o seu ponto de vista pode não parecer 100% correto, porém, em se tratando de MCs(seja 1%er ou não), cada um possui suas próprias regras, sendo que existem diversos deles que exigem que seus membros pilotem apenas certos estilos de moto, apenas de determinadas cores, potências mínimas, etc.
            Obrigado por responder!

          2. Tales, SUA opnião nao é nenhum pouco racional para quem realmente faz parte de uma irmandade, sou ABUTRE e independente de estamos rodando com irmaos q tenham moto de baixa media ou alta CC, respeitamos e somos respeitados, quem é seu irmao não é a moto é a pessoa q a esta guiando, e infelizmente cochinhas e jaquetinhas que tem a mente fechada igual a sua fazem alguns MC serem grupos de ostentadores e jaquetinhas!! VIDA LONGA !!! A.S.S.A

        2. Porque membros de motoclubes são a mesma coisa que funkeiros, tudo o que importa é a “ostentação”, e o que as outras pessoas pensam deles.

          Eles não querem ser vistos como pobres, ou um motoboy de CG, eles querem é fazer pose de rico e malvadão :P

      2. Sou um “gordo em cima de uma intruder 250cc” e tenho muito orgulho disso. Não é a moto que faz o motoqueiro, não é a uma Harley que vai me fazer real ou não.

        Respeito a tua opinião, mas ela é uma merda.

        1. Concordo contigo, muita gente tem essa mania de discriminar baixa cilindrada, más o que vejo muito e que possui moto de grade cilindrada colocando a mesma num reboque e só se exibindo em “eventos”, pegar e estrada mesmo é para poucos, eu uso meu colete de um pequeno grupo Expedicionários da Amazônia, com orgulho e com minha 250cc tenho em meu curriculum, alguns km rodados, dentre eles Tranzamazônica e 319

          1. Sou membro de MC, rodo de colete a muito tempo, ja rodei 200 mil kms em diversas motos que ja possui, ja visitei outros estados e recentemente fui ao Uruguai de moto, sempre tive sonhos de viajar para fora do país e dentro do Brasil, tive Intruder 125, Yes 150, Savage 650, falcon 400, vstrom 650, broz 150 e de moto em moto hoje cheguei a uma fat boy 1600, e te digo uma coisa, em todas as motos que passei seguia o mesmo motociclista, meu MC não se caracteriza 1%, amo meu motoclube assim como os meus irmãos que rodam comigo, temos várias amizades em outros MCS, agora se alguém viesse me falar que o gordo aqui não devia usar colete quando tinha uma intruder 125, iria levar o mesmo tapa que o gordo da fat boy daria nele hoje. A paz!

        2. Diga-se e passagem… o que mais se ve é a negada que anda mais Posee que um caralho, vendendo suas mega motocicletas de 1600vc com 6 anos de uso e mais ou menos 6000km rodados…
          Tem que ter mais que filhão pra viajar com uma motocicleta de baixa cc. Tenho.um amigo que foi pra Argentina e depois pro Espírito Santo… partindo de Mogi Mirim numa 150cc. Eu tiro o chapéu pra quem faz isso… Minha motocicleta tem 1400 cc. e eu respeito pra caralho seja magro, ou gordo (como eu) em motocicleta e baixa cc.
          Keeping ride

        3. Concordo contigo, tem muito babaca ai de harley que só faz pose, e status. Achando que por ter uma moto americana e mantendo a “originalidade” acha que é rei. Enquanto que conheço muito “gordo em cima de uma intruder 250” que é mais irmão pra mim do que os de sangue, que tá cmg pro que der e vier.

        4. pois é. falando do q n sabe.
          Se fosse para sermos ostentação estaríamos trabalhando em bancos e grande empresas e n sujando a mão de graxa muitas vezes. MC n é ostentação é Irmandade.

  2. A última frase, resume tudo: “Bom senso e respeito, nunca é demais.”

    De fato, no primeiro post, não havia nada que alguém que já bateu papo com algum integrante de um clube 1% não soubesse. Não tinha nenhum “segredo revelado”.

    Quem quiser saber mais sobre os clubes 1%, basta procurar o integrante de um desses clubes e convida-lo para um papo. Com certeza, se o convite for feito com respeito e bom senso, o cara terá a maior paciência em esclarecer algumas dúvidas.

    Não pergunte demais, e também não queira insistir em assuntos que claramente que o tal integrante não quer comentar. Ao contrário do que foi escrito nesses 2 posts, algumas coisas que acontecem no Clube, ficam no Clube. Assim como acontece por exemplo na Maçonaria, algumas coisas dizem respeito apenas para membros.

    No mais, com certeza, terão um bom bate papo.

    Bayer, mais uma vez, parabéns pelo site, sempre bem legal.

    Forte abraço

  3. Respeito e bom senso (ou senso comum) são duas coisas que caíram em desuso.

    Eu posto sobre o assunto sempre que surge alguma oportunidade por achar que vale a pena insistir no respeito à tradições e para que um calouro não seja pego de surpresa fazendo algo que “modinhas” incentivem e que não passam de “brincar” com tradições que nasceram bem antes dele como, por exemplo, o uso do colete.

    O mundo do lado de fora é bem diferente do que vê na TV, cinema ou no marketing do life style.

    Das várias coisas que meu pai me ensinou é que a gente não mexe no que está quieto, não entra sem convite e não faz nada sem saber como deve fazer. Ajuda muito.

    1. Infelizmente, Wolfmann, tem uma geração que nunca foi ensinada assim. E pelo contrário, acham que o mundo é deles por direito.

      Estava comentando com o Digital Inferno recentemente que algumas pessoas que eu alertei e não levaram a sério, acabaram aprendendo da pior maneira possível.

      Não foi falta de aviso…

      1. “…tem uma geração que nunca foi ensinada assim. E pelo contrário, acham que o mundo é deles por direito…”. Resumiu tudo nesse pequeno trecho. Exemplos temos de monte nos comentários de diversos assuntos do Blog. Por mais que você tente alertar, sempre vai ter quem prefira ir na contra mão!
        No mais, outro post bacana que vou considerar como a segunda parte do assunto “MCs 1%er”!

  4. Cara, normalmente não comento em blogs, mas dessa vez resolvi comentar para lhe dar um apoio. Acompanho teu blog a um tempo e gosto muito da atitude de respeito e informativa que você tem.

    Infelizmente não acho que seja saudável se deixar atingir (até certo ponto) por esses comentários que o pessoal deixa. Sempre vai ter meio mundo de gente que vai achar ruim A ou B que você escreveu, provavelmente nem vai terminar de ler o post (se é que leu algo além do título) e vai fazer comentários merdas pq, bem, pq são uns merdas.

    []’s

    PS. Ótimo post ;D

    1. HAHAHAHA

      Tive que rir, porque aconteceu comigo…

      Saí do banheiro de um bar tradicional aqui de Curitiba e um cara me falou alguma coisa que não entendí. Fui perguntar o que ele estava falando e nisso veio um bruta montes me empurrando e grunindo algo assim: “Tá intimando meu presidente? Tá intimando meu presidente?”.
      Eram dois caras de um motoclube sem expressão. Nem por isso lhes faltei com respeito. Estavam procurando confusão.

      Eu tento levar a risca a ideologia do motociclismo, respeitando para ser respeitado.
      Mas nem todos pensam assim.

      Abraços

  5. Todos, todos sem exceção temos a opção do livre arbítrio. Como comentei la no começo, tenho diversos amigos que vamos fazendo ao longo dos anos. Alguns fazem parte de MC´s 1%, outros não. Eu por sua vez todos estes amigos sabem que não tenho interesse em ser um próspero em nenhum MC, independente do que seu brasão e/ou seu lema prega. Gosto de viajar, vagar com um grupo pequeno de amigos (somos 5 no total), não temos coletes (a não ser do Motorhead e do Motorocker), não fazemos parte de nenhum MC, somos todos pais de familia, caras de 30 e poucos anos das mais diversas profissões, que apenas curtem beber uma gelada, falar de motos, combinar viagens e jogar sinuca. Combinamos sempre dentro de nossas possibilidades (tempo e financeiras), e tentamos aproveitar o máximo cada momento que estamos com as motos e com os irmãos. Independente do MC que você faz parte, se você é um solitário, um amigo, um próspero ou que for, uma coisa tenha em mente: RESPEITO. Essa palavra resume tudo.

    1. Prezado Andrezaum,

      Acredito que sua frase “que apenas curtem beber uma gelada, falar de motos, combinar viagens e jogar sinuca.” resume o começo de tudo.
      Rodo sozinho a maior parte do tempo, mas quando junta uma galera eu rodo também, quando a patroa quer fazer um passeio eu rodo também, e quando tudo isso que citei acima não acontece, pego minha moto e vou rodar um pouco.

      Abraços

      Rodrigo Chaves

  6. Uns coxa aqui falando a vera m* do pessoal outlaw mas quando ta dando rolezinho de final de semana com os amiguinhos doutores na HD q só serve de enfeite querem pagar de malzão tbm. Na boa, não sou outlaw e sei que nao tenho tanto direito assim pra defender os caras mas já diz um velho ditado: Respeito é bom e conserva os dentes.

    1. Bem dessas. Aliás, é esse pessoalzinho que compra 2 ou 3 harleys só pra desfilar no final de semana no café da manhã da concessionária, que colocam a jaquetinha de couro, fazem cara de mau e chegam pra você e dizem: “ah, você tem uma sportster? Pois é, eu tenho uma Road King e um Heritage! Quem sabe um dia você compre uma também…”. Aí você vai ver a Road King (ou a Heritage…) do cara, e tem 300Km rodados em um ano. O coxa sobe na moto e veste a máscara de outlaw, mas 1 ano depois vai lá vende a harley e compra uma Ducatti ou BMW “pq é mais confortável”. VSF!!!!

      1. hahahaha,,,,,essa condição aconteceu comigo ah um tempo atras. Eu nunca curti ir nesses cafés da manhã da Harley, independente ou não da marca da moto (até mesmo por que tenho uma XVS950). Mas tenho alguns amigos que vez ou outra vão e chamam p/ acompanhar. Na chegada da loja, eu deixei a minha XVS customizada logo na entrada, chegaram dois caras de RoadKing e perguntaram se eu estava vindo para trocar de moto. Eu disse que não, pois a minha eu uso no dia a dia. Foi onde o cara disse, eu tbm tenho uma p/ o dia a dia, p isso tenho a minha Dyna. Quando eu vi a RoadKing 2012 estava com 1.469 km. Inacreditavel, uma moto com mais de um ano de uso. O cara brincando disse q tava pensando em comprar uma XVS950 para a mulher dele aprender a andar. Foi quando meus amigos viram (eles tem HD), e viram q ia dar merda, eu disse q p ter uma HD e ficar pagando d badass ele tinha q ter bagos roxos…Nisso puxei meu soco ingles inseparável de dentro da bota e falei: não tem ferramenta melhor que essa p terminar esse tipo de discussão. Ele pediu calma, pegou o amigo e saiu fora. Uma coisa é certa, fala o que quer, ouve o que não quer. Abraços!!!

          1. Leonardo,,,quem me conhece sabe que eu sou muito d boa. Apesar de ter 2,03 m d altura e 144 kg, quem me conhece sabe q sou muito tranquilo. Mas é foda, porra, respeito todo mundo, inclusive os jaquetinhas q eu sei q são jaquetinhas. Q moral q tem um cara, vir me tirar uma, com uma moto q não tem 1 grama de poeira, nem marca no assento? Os caras tinham a média d uns 50 anos,,,tenho 33, respeito tanto os caras novos qnts os velhos bikers…não tiro o direito dos caras de terem uma moto d 60 pau apenas p dar um rolé no sabado… contudo saiba respeitar aqueles q curtem o verdadeiro espirito. Isso faz mais ou menos 1 ano…dpois desse dia, nunca mais fui nos cafés da HD. Prefiro me encontrar com a galera no Motodax ou bater um papo com alguns amigos aki na João Negrão, enquanto busco umas camisetas, luvas e/ou outros acessórios. Como eu digo para os comparsas…Não importa a moto q vc tem, não importa sua idade, sua cor, sua religião, se quer andar junto, seja amigo, cortez e principalmente respeite para ser respeitado….Grande Abraço!

        1. Esses caras são tipo os que andam com o kit HD. Camisa, calça, relógio da Harley e claro, a HD toda cromadinha e limpinha com baixa kilometragem. Param no sinal e olham com cara de mau para o que tá de intruder 125.

          1. Grane Washington…como comentei em outros posts, existem POSERS em todo lugar. Contudo, tbm existe livre arbítrio, ou seja, todo mundo é livre para ser o q qiser. Uma coisa é certa, seus verdadeiros brothers vão te dar valor não pela moto que vc pilota, não pela roupa q vc usa, não pelas suas tatuagens, mas sim pelas suas ações com todos que estão ao seu redor. Grande Abraço!

        2. eu entendo respeito e bom e todo mundo gosta eu tenho uma drag star e nao troca ela por HD alguma.Ja topei com esse tipo de camarada em varios lugares hauhuahhahuauah mas sabe como e ne malvado so na pose.Vc faz o mais correto curta sua moto seus amigos e c jaquetinha algum enche o saco vc tem a ferramenta certa uhauhahuha abraços e muitos Kms.

        3. Hummm, Irmão temos que aprender a conviver com quem tem muito dinheiro tb. Decerto não vi o que aconteceu, mas há uma possibilidade de ser essa a vida do sujeito, tem muito dinheiro e comete essas aberrações como ter algumas hd´s uma pra tirar onda outra p trabalhar, uma p mulher outra p viajar, etc. O sujeito pode nem ser mah pessoa e faz isso sem querer ofender ninguem, apenas uma hipotese.

  7. Eu já disse mais ou menos isso em outra postagem, mas vou repetir.
    Eu considero os MCs a antítese do que o motociclismo significa para mim. Não que não haja coisas interessantes neles, mas é muita regra e muito orgulho. Não me serve. Acho os motivos muito pequenos. (Não me fecho, porém, a ser convencido do contrário por qualquer que queira me provar que estou errado.)

    Quanto ao respeito, e quanto a mim, bem, eu não sei se eu usaria este termo. Algumas destas regras são conhecidas (e ainda dão confusão se não “obedecidas”). Chamemos estas regras de “tradição”. Ora, há muita tradição sem sentido neste mundo! E muitas delas seguimos sem nem mesmo questionar. Assim, por mais que a coisa não me sirva, e ainda sabendo da possível confusão, sigo a tradição (não fazendo o que eles acham ofensivo).

    Eu curti seus posts sobre o assunto, Bayer. O mundo do motociclismo, mesmo naquilo em que “não me encontro”, é sempre bom assunto!

  8. Camaradas.

    Não faço parte de M.C, prefiro rodar sozinho ou com poucos amigos, mas sou um motoqueiro 1%, afinal não dispenso meia dúzia de cervejas após alguns KMs.

    Bons ventos.

    Rodrigo Chaves

    1. Isso ae meu velho. Não preciso fazer parte de nada, de um grupo, para eu me sentir incluído. Gosto tanto de andar sozinho como andar com meus camaradas mais chegados. Só quem sabe o que é rodar sem destino, parar p/ uma polenta com chuleta (coisa aki do sul), tomar uma boa bera e voltar p o bom e velho ronco em baixa rotação. Como diz um adesivo que tenho em minha cadela preta, uma célebre frase de Fernando Pessoa: A LIBERDADE É A POSSIBILIDADE DE ISOLAMENTO. SE TE É IMPOSSÍVEL VIVER SÓ, NASCESTE ESCRAVO. Abraços cumpadres!

      1. Não pertenço a nenhum moto clube eh uma expressão muito usada aqui. Acredito que os MC´s Brasileiros não estão precisando e nem convidando a torto e a direita ninguem p entrar neles. Pertencer a um MC eh muito bom e andar sozinh “lobo solitário” tb. Pertenço a um MC brasileiro e tenho orgulho disso, se vc não pertence e esta bem assim, ótimo. tb tenho muitos amigos que não pertencem a nenhum MC e vez por outra viajo c eles tb. O que parece eh que alguns se incomodam com membros de MC, isso eh coisa de cabaço.

  9. Eu acho que vc deveria continuar sim aquele post por que e algo interessante.E pra esse camarada que mando e mail chingando nao passa de um coxa filinho de papai.Fasso parte de um MC 99% e rodo sozinho com os amigos com qualqer um que quizer e novamente seus post sobre o assunto deveria continuar sim na minha opiniao e me desculpe mas aquie o _)_ pra esse bando e fanboy malvadao.Abraços

  10. Creio que assim como em qualquer outra situação, respeito é um fator essencial para uma boa convivência. Mas claro que tanto nesse caso quanto em outros, deve haver respeito mútuo, e não uma atitude de apenas uma das partes. Duvido que estes círculos vão mexer com alguém sem motivo, mas se o sujeito quer entrar nesse mundo, o mínimo que ele deve fazer é entender e respeitar as regras estabelecidas por quem veio antes dele.

    Cada macaco no seu galho, sem que nenhum dos lados limite a liberdade do outro.

  11. Que tal fundar um M.C com 0% em um círculo ?
    Ai cada um vai rodar com suas motocas e amigos, só curtindo a viagem e o vento na cara.
    0% = somos livres de qualquer porcentagem descriminatório.
    Círculo = rodar livre em destino.

  12. Vamos ser pragmáticos:

    Muitos bad-boys de MC (outlaw ou não), pagando uma de durão e “do-mal”, se equivalem em mostrar o que não são, da mesma forma que os tiozinhos em suas HD caras.

    Não são melhores, que ninguém, e não têm culhão algum para ostentar aquela carinha de poucos amigos.

    Para mim, bandido é bandido. Esteja ostentando um colete ou não. E estes caras não representam nem de longe o que é a vida na moto. De amizade e respeito “adquirido”, e não pressionado pela força de gorilas ostentando um brasão.

    Sou coletado de uma turma que não é nem MC nem MG, e já sabendo da questão de colete com 03 partes, decidi desde sempre que o meu só teria 02 nas costas, meu nome e o patch, a fim de não ser confundido com um MC 1% dos EUA.

    Agora, na boa. Nos poucos encontros que tenho ido, eu vejo 99,9% de pessoas que não se encaixam nestes 1%, dos que os próprios. Então… prá que perder tempo com estes moleques que não cresceram?

  13. Pior é q com a lei seca acho q viramos (quase) todos outlaws 1%. q agora seria talvez uns 90%.
    Engraçado como os posts de comportamento são o q de longe geram mais repercussão.

  14. Bayer, bom dia.

    Seu primeiro texto sobre os MC’s 1% está excelente. Como você mesmo destacou, todo o conteúdo citado está explícito na internet, a única diferente é que seutexto está muito mais claro e bem escrito (meus sinceros parabéns).

    Óbvio que os clubes que são de fato 1% elogiariam seu texto, pois como você mesmo diz, ele é uma nota bem didática da realidade desses clubes.

    Fui obrigado a ler comentário de um deles, inclusive mencionado citado neste novo texto, algo do gênero “Se você não conhece os clubes 1%, não os mencione”, porra, todo o conteúdo do texto está explicito na internet, além de que o artigo que gerou toda essa discussão ridícula, fora escrito de uma pessoa que sabe o que está falando, ainda mais se tratando de cultura norte-americana.

    Dito isto, destaco a leitura do livro ENFORCER, de Caesar Campbell, que foi um dos fundadores e membro dos BANDIDOS AUSTRALIA, lá ele conta a história de como é/era viver nesse meio, leitura muito interessante.

    Esse comentário que destaquei, para mim, soa como de um novato cão-de-briga de um clube que tenta empurrar goela abaixo de todos uma coisa que ele não é. Como é sabido e, categoricamente expos em seu primeiro artigo, é vedatada a entrada de de policiais, juízes, promotores e etc, nos clubes 1%, coisa que clubes daqui, ditos 1%, aceitam.

    ALém do mais, esse tipo de “ameaça” parece mais como recalque, do que preocupação com exposição de “segredos”, pois “já que vão citar MC’s 1%, terão de nos citar” (pela imposição), mesmo que alguns desses clubes, que sequer têm esse reconhecimento, são de fato 1% pelas condições expostas aqui.

    Em suma, quero dizer que houve uma abrasileiração da nomenclatura 1%, então muito da real cultura desse distintivo se perdeu, pelo menos por aqui.

    Espero que com a recente chegada dos clubes historicamente e reais 1%, como Bandidos, Mongols, Vagos, Outlaws e, o até então hegemonico, Hells Angels, mantenham a tradição como ela é.

    Por fim, Bayer, reitero a idéia de que seu blog é fenomenal. Continue com o projeto, pois ele atrai, educa e diverte os mais diversos esteriótipos de uma coisa que mexe com os nossos sentimentos, MOTOCICLISMO.

    Forte abraço.

    1. Esse lance de policiais envolvidos em mc 1% aqui no brasil é normal. Esqueceram que a polícia daqui é uma das mais corruptas do mundo? Não estou generalizando, mas estar num clube 1% , e ainda por cima ser policial, deve abrir muitas portas pra outras atividades

  15. Acho uma pena que algo que em tese deveria ser um meio de unir as pessoas (me refiro ao motociclismo, não motoclubes), acabe por segregar mais ainda.

    Enfim, acho uma pena que os 1% se limitem a enviar emails ao Bayer. Gostaria de ve-los expondo opiniões, debatendo a respeito do assunto. Isso abrilhantaria muito mais a discussao, desde que todos a façamos de maneira sadia.

  16. O que normalmente as pessoas não entendem é que esses grupos não desejam realmente representar o que “é a vida em uma moto”.
    Cada integrante de um Motoclube tem os seus motivos para querer fazer parte do mesmo; cada Motoclube escolhe seus integrantes(sim, pois isso também é confundido: o Motoclube escolhe o integrante e não o contrário) de acordo com seu posicionamento, ideias e ideais.
    Já disse uma vez e vou repetir: Motociclismo e Motoclubismo são coisas diferentes. Ninguém é obrigado a entrar em um Motoclube só porque anda de moto.
    Aliás, tem surgido mais e mais “motoclubes” que não fazem ideia do que é realmente ser um Motoclube. Acabam desaparecendo com a mesma velocidade que foram fundados…
    O problema é que tem um monte de gente que não faz ideia de qual é a realidade em um MC(e estou falando aqui de Motoclube de verdade, seja ele 1%er ou não) e ficam jogando opiniões sem fundamento algum.
    Aliás, também está cheio de gente que faz parte de Motoclubes que não fazem a menor ideia do que é fazer parte de um Motoclube(como por exemplo o tal próspero citado no texto).
    E esse assunto vai ser sempre polêmico… continue o ótimo trabalho. Vou aguardar a próxima parte do tópico!

  17. Cara, li o primeiro texto e pra mim que já estou sobre duas rodas a um certo tempinho, foi bem instrutivo. Tenho meu MC, que fundei junto com meu cunhado, hehehe… e que conta hj com 15 integrantes com colete. Em sua maioria, tudo puta véia! E nenhum de nós, bem como a grande maioria dos motociclistas daqui, mesmo os antigos, nuca tomaram conhecimento das “regras que não estão escritas” do motociclismo. Meu brasão mesmo, é em 3 partes, pq é outlaw? não! É pq é bonito mesmo! Mas, afinal, estamos no Brasil (eu em específico, na Bahia) e como sempre digo aos amigos, isso aqui é uma Suíça. Canso de ir em festas e encontrar MC’s “rivais” convivendo no mesmo espaço e ver certas incoerências ideológicas no tema, dividindo encontros e festividades. Será que é a falta do conhecimento deles sobre as “tais regras” citadas antes, ou é respeito mesmo? Não sei, mas se for falta de conhecimento…”bendita é a ignorância que mantêm os povos unidos!”.
    Pra mim, esse segundo texto já é a segunda parte e mermão, pode escrever o terceiro que estarei aqui acompanhando. Parabéns!!

    1. Pois é meu caro, como você mesmo disse: “estamos no Brasil”. Aqui as coisas com o tempo acabaram se flexibilizando.
      Só é importante ressaltar que se algum dia um dos membros de seu MC decidir rodar usando o colete de seu MC por algum país que ainda segue certas “regras” pode acabar se metendo em confusão.

      1. É isso aí Fábio, vc está certo. Mas como escrevi lá em cima, no meu MC só tem puta véa, hehehe…”em casa dos outros, observamos e seguimos as regras da casa”. E eles sabem que a coisa aqui é um pouco mais tranquila. Tivemos a oportunidade de conhecer uns 1% que vieram nos visitar, respeitaram as regras da nossa casa, só que aqui eles estavam mais a vontade, pois sabem de nossas tolerâncias.
        Grande abraço.

  18. Sempre leio os seus posts e na maioria das vezes, mesmo sem autorização, os reproduzo no meu face, pois eles falam o que realmente a galera deve ter noção do que é esse meio, do qual faço parte desde os 16 anos (hj tenho 61)…parabens!…

  19. Esse lance de policiais envolvidos em mc 1% aqui no brasil é normal. Esqueceram que a polícia daqui é uma das mais corruptas do mundo? Não estou generalizando, mas estar num clube 1% , e ainda por cima ser policial, deve abrir muitas portas pra outras atividades

  20. Acho bem simples, MC 1% são gangues. Não tem essa de moto/liberdade e coisas afins. São gangues que se “disfarçam” de moto clubes. O propósito não é fazer amigos, viajar, trocar idéia sobre motos e tomar umas, apesar que isso acontece. Os objetivos são outros.

  21. Por isso que eu ando com meus amigos, cada um com sua moto de preferencia (ou por causa do $$).. tem gente de 250, 883, 650 e etc… sempre de boa, sem arrumar confusão mas sempre tem um babacas que se acham os caras e sempre veem tentar tirar o sarro ou botar uma pressão, ai somos obrigados a mostrar umas “outras peças cromadas” para colocar cada um em seu lugar.
    Cada um tem o direito de ser/fazer o que quiser.. soh não tem direito de tentar me fazer seguir as mesmas regras.

  22. Bayer…como sempre seu blog continua produzindo posts extremamente interessantes de serem lidos.
    Na minha opinião esta discussão, com um olhar neutro me parece infantil. Alguns amigos que curtem motos há anos estão tentando entender pq isto dá tanta confusão e não consigo explicar sem passar por ridículo. Mesmo porque compartilho da opinião deles. É tão difícil assim respeitar para ser respeitado? Complicado viver neste país mesmo.
    Se eu quiser montar um Moto Clube, será que tenho tantas coisas para observar aqui no país assim? (p.s. eu já montei, e não procurei saber nada disto) amizade e gosto por motos já bastam ao nosso ver.
    Parabéns pelo blog…
    Entendo por que vc segurou sua onda ao escrever a segunda parte. Não vale a pena se estressar com isto não brother…

  23. Gostaria de ressaltar algumas coisas que vivenciei e aprendi desde que me apaixonei por motos e desde que entrei num motoclube e contar uma breve introdução:
    No primeiro motoclube que entrei, eu tinha por volta de 11~12 anos (sim, tão novo e sem moto); Digam o que quiserem sobre a atitude de terem permitido, meu pai fazia parte, e o presidente acho que permitiu, tanto por isso, quanto pelo fato de ver que eu realmente gostava, E, acho que isso, me ajudou a passar a gostar mais ainda de tudo. Esse foi o primeiro motoclube que entrei, hoje estou no segundo e o presidente é meu pai, o clube fará 10 anos agora em 2015.
    Mas antes do clube, já tinha paixão por motos por conta do meu pai, ele sempre foi apaixonado, e sinto falta daquela RD350 que ele tinha quando eu ainda estava com 8~9 anos, preta e vermelha, sem carenagem (bem rat, me lembrava aquelas motos do Mad Max, ou mesmo algumas do Road Rash). Ele teve outras antes (uma DT 180), e outras depois, como a Twister 250, uma Falcon, uma shadow…
    Tá no sangue, e mesmo que não estivesse, acredito que algumas coisas quando têm de ser, elas serão, não importa o momento e lugar.
    Possuo muito tempo de clube, comparado ao de moto (pilotando claro), hoje tenho 23 anos, mas também já rodei mais que muito cara mais velho que eu, e acreditem, só não rodei mais pelo fato de eu ter compromissos alheios.
    Espero um dia poder não ter preocupações mais, além de simplesmente pegar a moto e rodar, e ver se o pneu tá bom e se o óleo tá no nível, essas coisas.
    Cosias que eu gostaria de ressaltar agora:
    1º Não importa a moto que você tem, o estilo ou a cc, o que importa é a sua paixão por ela e pela estrada. Você não precisa ter uma Harley pra vestir um colete. Ou não deve vestir um colete se possuir uma outra qualquer.
    Nos states a maioria pilota harley, por lá ter um preço mais acessível em tudo (compra e manutenção). Estamos no Brasil, não precisamos ser iguais à eles, nós temos de ser nós mesmos e nos orgulhar disto, e se acabarmos por nos igualando com eles em algum momento, que seja pela paixão. Nem todos podem ter motos caras, e há momentos em nossas vidas que precisamos nos desfazer de algumas coisas por conta de outras (vender a moto e comprar um carro quando se tem um filho por exemplo, caso não tenha condições de ter as duas coisas), e não vejo isso como motivo principal de tirar o colete de alguém, pois o cidadão pode continuar indo em eventos (se realmente gostar disso, dá pra tentar conciliar), e no máximo, se achar necessário, o próprio sujeito pedir afastamento.
    Eu prefiro um cara com qualquer outra marca de moto e qualquer que seja a cc do meu lado e, que ame a moto e a estrada e o clube, do que um cara de harley que só ama status e acha que ter uma harley é o top dos sonhos adquiridos.
    2º O colete é a sua segunda pele (no meu primeiro batismo, no primeiro clube, me disseram isso, e semrpe ouvi várias vezes mais, e sempre carrego comigo). Mas ele também pode ser a sua primeira (vide 1%, acho eu)
    3º Um motoclube 1% não é melhor do que um que não é, e vice-versa, o que diferente são apenas as leis internas (digo isso no ponto de vista geral). Se você acha um clube 1% melhor do que o resto, é um gosto pessoal, não coloque isso como verdade absoluta.
    4º Eu realmente admiro os motoclubes 1%, não pelas coisas fora-da-lei que fazem, mas pelo fato de que eles realmente amam seu clube, é a única coisa que me faz admirá-los, pois eu sei que eles o defenderiam com unhas e dentes, coisa difícil de se ver nos outros clubes, mas isso não os torna piores ou melhores, é uma opinião minha, apenas minha. Não sou de um clube 1%, mas eu defenderia meu brasão da forma que fosse necessária.
    5º Você acima de tudo, é um homem livre, e como eu disse anteriormente, acima de tudo, o que tem de vir primeiro é a sua paixão pela moto e pela estrada. Você NÃO precisa de um escudo nas costas pra roda. Gostar é diferente de precisar. Definitivamente não precisa.

    Gostaria de agradecer ao autor do blog pelos inúmeros posts excelentes. Eu passei a conhecer o blog somente este ano, mas o acompanho desde então, e me arrependo de não tê-lo conhecido antes. Mas deixo aqui meus parabéns pelo excelente trabalho.

  24. Adorei o post e acho uma pena todo esse doloridismo das pessoas para falar sobre 1%ers… Desde que respeitadas aquelas coisas que realmente não saem do clube, eu seria uma pessoa que explicaria bem aos outros, para evitar dissabores.
    Mas enfim, né? Tem gente que acha que foda mesmo é fazer segredo. Ah, tá….
    Obrigada pelo post, Bayer. É bom ver que tem gente que não tem medo de explicar os parangolê para incautos como eu.
    Eu adendo: o Brasil é grande demais e isso tudo dito aqui parece ser verdade em SP, RJ, quem sabe SC e talvez MG… mas no brasilzão tem UMA PÁ de gente que ignora totalmente isso. Para que a cultura motociclística passe a prestar no BR a gente tem que explicar as coisas, pra começo de conversa. Mas enfim, divago… Obrigada Bayer.

  25. Alguém pode me explicar sobre Moto Clubes e Moto Grupos ? Se eu “criasse” um Moto Grupo, isso seria desrespeito com os MC’s daqui ? E se usasse colete, seria tb uma forma de desrespeito ? Smp admirei muito os MC’s e tenho muito respeito por eles, mas gosto de curtir a estrada somente com poucos amigos…

    1. Moto grupo é apenas um grupo de amigos que se reúnem para andar, sem regras rigídas, estatutos, sede, etc… Não tem período de prospect, nem nada parecido, quem compra ou ganha o patch/escudo pode rodar e pronto.

      Bem diferente dos MCs.

  26. O diabo não se apresenta na sua frente, quando vc fala dele pedindo silêncio, na boa Bayer, não devia esquentar com certos comentários não,quem é de verdade sabe quem é de mentira, exelente blog ,ótimos textos,não perca o rumo,estrada limpa irmão.

  27. Realmente é muito fácil ser contra aquilo que não se conhece. Sobre os 1%ers e sobre maçonaria muito se fala sem nada saber. Antes de criticar outlows faça parte disso, ou pelo menos informe-se sobre como nosso caro amigo do blog. Informação é extremamente necessária para ter argumentos válidos e não apenas falácias e/ou opiniões desnecessárias.
    Grande abraço. Ótimo post

  28. Está perfeito meu amigo. Só que é “malhar em ferro frio”. Nosso clube é americano, fundado em OH em 1977. Quando vim para o Brasil em 84 o trouxe para ca. Nesses anos todos aqui, conseguimos oito membros brasileiros. Porque só isso? Simples..podem copiar a moda, mas não o espirito. Brasil é Brasil e USA é USA. Aqui podem até aprender, conhecer e até achar que entendem o sentimento de um MC tradicional americano, mas não, é impossível. Aqui cria-se em cima de cópias mal feitas, em vez de desenvolver e divulgar a própria cultura. Tentar explicar isso é praticamente impossível. Sabemos que la MC é MC..associações são associações. Podem até levar o MC, mas sabemos diferencia-los. A cultura motociclistica do Brasil é de Associações. Infelizmente sempre se acha o quintal do vizinho mais bonito e começam as cópias..e no final não consegue-se a identidade e ainda perde-se a própria.

  29. Respeito as opiniões e tenho vários irmãos de motoclubes, sempre fui muito bem recebido por eles, não tenho do que reclamar, a única coisa que me impede de entrar em um motoclube é o comprometimento, se não for pra se dedicar como deve melhor não entrar, e a liberdade, gosto de pensar que o motociclismo é justamente algo relacionado a liberdade, logo, ter que seguir regras rígidas é um pouco conflitante com a cultura biker, mas acho legal que tem esse comprometimento e consegue conviver com as regras impostas numa boa.

    Abraços aos irmãos!

  30. ola Old !

    gostaria de saber sobre o MC Mongols. soube que estavam no R.j mas nao vej nada a respeito… vc sabe de algo ? tentei contato com Wolfman.. pois ele é do R.J deve saber mais a respeito. eles estão no Brasil mesmo ? fomados ainda ? pode ajudar …

        1. Lá fora, eles são um dos mais agressivos em termos de busca por membros, e um dos que mais se envolvem em brigas de território. Certamente, o mesmo vai acontecer aqui.

  31. e ai galera, tenho 52 anos, sou de Florianopolis -SC . Ando de moto desde os 17 anos, ganhei uma TT 125 e aprendi a andar nela, muitos tombos mas sobrevivi e desde entao so curto moto, ja tive carros, mas a moto é meu meio de tranporte, ja andei de CB 400, CB 750, XL 250, RD 125 e outras e agora faz 1 ano peguei uma Harley XR1200 x e gosto muito da moto, muito boa de torque e muito boa pra dirigir em qualquer transito e na estrada,na BR é otima !! como voces sabem ela nao é custom e mesmo nao gosto muito de custom mas é Harley e ai sim , gosto muito da marca Harley Davidson! Nao faço parte de nenhum MC e tambem o meu negocio e dar umas bandas de moto, coisa que ja faço a mais de 30 anos , eu gosto de moto, gosto de pilotar uma moto, gosto de fazer curvas, de acelerar nas retas , de dominar a maquina em si !! As pessoas me perguntam se faço parte de MC e eu digo que nao por que saio quando quero, vou aonde quero, volto quando quero e se a moto ficar parada 1 mês na garagem se la qual motivo for, ela vai ficar na garagem, so ligando pra bateria nao arriar !!! Eu gosto muito de motocicleta e é so isso !!!!

  32. O espírito não tem cor, raça, credo…por isso a caveira, somos todos iguais.
    O espirito motociclista, quer é andar
    sobre duas rodas com toda liberdade, respeitando e sendo respeitado. A moto deve libertar e não escravizar, por isso não devemos ser escravos do dinheiro.
    Um abraço a todos e boas estradas.

  33. Excelentes postagens!

    Conhecimento, bom senso e respeito.
    Continue o seu trabalho, o motociclismo por aqui carece de conhecimento real da tradição.
    Quanto aos críticos: ligue o foda-se!
    Vida longa meu brother!

    De Faro

  34. Excelentes posts, os 2. Textos bem escritos, respeitosos, educativos, sensatos e coerentes.

    Lamentável que muitos não entendam e que os textos possam ter causado equívocos de interpretação.

    Mas a triste verdade é que no Brasil temos graves problemas da mais básica educação, aquela de pai pra filho, passando por um sistema escolar/educacional falido.

    Tudo isso, mais uma triste herança da “lei de Gerson”, do distorcido “jeitinho brasileiro” forma uma sociedade mal educada, desinformada, violenta e desonesta. Como toda regra, existem honrosas exceções.

    O que impera nessa questão de motos, MC´s, MG´s, motoqueiros, motociclistas é basicamente uma mistura danosa de desinformação, ignorância e má educação.

    Não importa o tamanho da sua moto. Não importa sua forma física, gordinho ou barrigudo como um cidadão afirmou abaixo.

    No fim, o que conta mesmo é o respeito, a educação, o bom senso, a amizade, etc.

    Aquelas velhas regrinhas que os pais ensinavam, como entrar na casa de alguém pela primeira vez, como se dirigir a alguém que não se conhece, o pedir licença, o ouvir mais e falar menos, pedir desculpas, etc, etc, etc…

    Pesquisar (e respeitar) velhas tradições faz parte do pacote.

    No mais, o que importa é ser feliz em sua moto… agregar, fazer amigos… celebrar a vida…

    Parabéns pelos textos e pelo ótimo site.

  35. O que é um Moto Clube “OUTLAW” Fora da Lei 1% (um por cento)
    Se você ler os jornais ou ouvir as notícias, a mídia e os agentes da lei, redefiniram o significado do termo “1%”.
    Como todos sabemos, o termo foi usado pela primeira vez na década de 50, para descrever algumas das pessoas que participavam dos eventos de motocicleta antigamente nos Estados Unidos.
    A AMA (American Motorcycle Association) afirmou que “99%” das pessoas em seus eventos eram pessoas de bem, “homens de Deus e da Família.” O outro “1%” eram motoqueiros, arruaceiros e bêbados de baixo nível.
    O termo “Outlaw” no mundo BIKER, significa o antagonismo às leis impostas por organizações ou corporações que estimulam discriminação e fomentam preconceito, por tudo que é “alternativo” e não comum…
    Com o passar dos anos, houve uma resignificação do termo, um dos motivos foi a disputa por territórios e algumas prisões por homicidio, tráfico e extorsões… , por isso alguns atualmente associam 1% com esse tipo de prática, que na essência, nada tem a ver com a filosofia BIKER, são apenas “adequações” e consequências…
    Assim, nasceu o “1%” (One percenter).
    Alguns dos antigos Bikers, como forma de protesto e em defesa da filosofia “Biker”, adotaram o termo e decidiram chamar a eles mesmos de “1%ers”(one percenters). Isso não quer dizer que eles eram ou são bandidos, pois quando surgiu esse termo, como disse a cima, o intuito era puro, a intenção era a exposição de orgulho e honra ao estilo de vida BIKER, e deixar claro para todos de que lado estavam os 1%ers…
    Eram ou são, simplesmente, homens que andam de moto sete dias por semana e tem suas próprias “leis”…
    Portanto, o Moto Clube que segue essa filosofia e forma de conduta, pode se denominar como MC “Outlaw ou 1%”.
    Seguir essa conduta 1% com seu MC, não depende de usar ou não o patch sobre o colete, pois lembre-se que as situações e motivos para o uso ou não, são várias, se não conhece todas, não julgue pela aparência…
    NÃO HÁ QUEM TENHA O DOMINIO SOBRE ESSE SIMBOLO, TÃO POUCO SOBRE ESSA FORMA DE VIDA E CONDUTA!
    Nos anos 80, os homens da lei mudaram o significado e o que ele representava, o publico não sabia o que era, então foram alimentados com a informação errada, e os verdadeiros Bikers, não davam a mínima para isso.
    Moto Clube 1% tem tradição e história. Uma dessas tradições é o uso do patch 1% sobre o colete referindo-se a nós mesmos como um clube 1%.
    A definição 1%, como vemos, é o que explica o nosso compromisso com a vida Biker. Andamos de moto todo dia, faça chuva ou faça sol, viajamos milhares de quilômetros, todos os anos, não importa a onde, festas, eventos sociais, funerais, simplesmente passamos o tempo juntos, um cuidando do outro, para o que der e vier.
    Nós trabalhamos, temos famílias, Além disso, somos capazes de pertencer a uma Irmandade….A Irmandade Biker.
    Para dizer que “1%ers” são criminosos, pessoas da sociedade tem uma opinião contaminada.
    Moto Clube 1% não é uma organização criminosa, é um clube de motociclistas, ainda que tenham algumas práticas que seriam “desaprovadas” pelas leis da sociedade….aprendemos com os erros do passado e trabalhando duro para que as novas gerações não sejam contaminadas pelas informações distorcidas e equivocadas, de uma sociedade hipócrita e medíocre.
    Não medimos esforços para fortalecer a irmandade e para garantir que o estilo de vida 1% vai continuar a crescer e permanecer como uma parte da tradição, para as novas gerações de Bikers, que têm o mesmo compromisso com esse estilo de vida, e que o 1% do passado e presente nunca nos falte.
    Nós não podemos viver pelas regras da sociedade, mas vivemos pelas nossas.
    F.T.W.
    1% FOREVER !!!

  36. Ótimo post!

    Eu uso um colete com desenhos e textos que servem de propaganda para o armamento do cidadão e legítima defesa.

    Outros “motociclistas” não gostam, dá pra perceber pelo olhar e gestos, torcem o bico pra minha moto que não é estradeira, etc. Quero mais é que se foda pois não sou capacho pra obedecer ordens, além disso, não pagaram minha moto nem minha gasolina, e eu sou livre pra ter o veículo que mais me agrada.

    “Don’t tread on me”.

    Grande abraço!

  37. Minha primeira moto foi uma cinquentinha, a segunda uma honda 150cc, depois uma boulevard suzuki, depois uma bandit 1250, depois uma harley xl 1200, depois outra harley fat boy 1600 que comprei em 2014, e agora tenho 2 motos, a harley fat boy que não vendo de jeito nenhum e comprei agora uma iron 883N. Na primeira eu pego estrada toda semana, na segunda eu rodo na cidade. São minhas duas motos, adoro as duas, mas só rodo sozinho, já recebi convite pra participar de MC mas não gosto, nasci sozinho e vou morrer sozinho. Respeito todo mundo e por isso quero respeito. Um abraço a todos das duas rodas. Amém.

  38. muito legal ler e se informar e ainda observar os distintos comentarios…eu mesmo nao tenho nenhum M.C mas pq nunca fui convidado e tenho vontade,piloto uma Kansas 150cc e adoro ela,meu sonho chegar numa Harley as por prazer mesmo e sonho desde moleque,rodo sozinho mas queria ter outras companhias pra rodar por ai! Vlw!!

  39. Ouvi diversos motociclistas ou motoqueiros tanto faz, reclamando da série e falando que essa serie “queima” com eles pois os M.C. do Brasil não são facções criminosas e as pessoas vão achar que são, bem ninguém se importa com os M.C a não ser os próprios que fazem parte. Quando alguém vê um “motoqueiro” de um M.C. diz: -Nossa, que legal! E ficam com essa de respeito com outros M.C e não sei o que mais… Meu Deus! Os M.C (brasileiros) são só pessoas velhas quadradas que se acham po causa de uma hierarquia, não são uma gangue, para ter respeito com outros M.C nenhum domina nada, claro deve ter algum M.C mais da “bandidagem”. Mas jamais um M.C vai ser violento só tem pessoas acima de 45 anos (na maior parte) que ficam bebendo e falando de rodas… Gangue mesmo são os Skins, os Maloqueiros, os Antifa eles são gangues os M.C são velhos que só sabem falar de moto. Não fazem mal a ninguém, e eles alopraram pq estava contando segredos? Que segredos um M.C vai ter? Caramba vocês se alugam D+

  40. Posso andar sozinho por ai numa Harley, usando um colete proprio em que nada se parece com outro M.C. sem causar problemas? Realmente é uma pena você não poder esclarecer mais essas regras pq confesso que tenho medo de acabar insultando alguem rodando sozinho e usando um colete personalizado, valeu abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *