Como ficam as Harleys com 27,5% de álcool na gasolina?

gas_pump_suicide Simples: não ficam. Elas já estão sendo usadas muito acima do limite de projeto, que é de apenas 10% de mistura de álcool, de acordo com as regulamentações dos EUA.

Até alguém fazer um teste de longa duração, eu recomendo seriamente que os proprietários de Harley passem a usar a gasolina Pódium e Premium, não por causa da alta octanagem (desnecessária na maioria dos motores HD), mas apenas porque elas estão sendo as únicas autorizadas a manter os 25% atuais por enquanto.

Se você acha pouco esse aumento, pense da seguinte forma: um quarto do seu tanque é repleto de etanol, e com essa medida estamos cada vez mais perto de chegar em um terço.  É muito álcool em um tanque que previa apenas um décimo.

Sim, é um roubo. Sim, é putaria. Mas a maioria elegeu representantes que compactuam com esse tipo de coisa, e cabe a nós apenas protestar. Mande seu email, telefone e carta para a querida ministra da Agricultura, pois foi ela quem decidiu proteger ainda mais os usineiros às custas do nosso bolso.

Sugiro a leitura dos posts do Wolfmann sobre o assunto, que fez uma análise muito mais profunda e detalhada:

http://wolfmann-hd.blogspot.com.br/2015/02/aumento-do-teto-da-mistura-de-alcool-no.html

http://wolfmann-hd.blogspot.com.br/2015/02/voltando-mistura-e-27-da-gasolina-de.html

29 ideias sobre “Como ficam as Harleys com 27,5% de álcool na gasolina?”

  1. Está difícil, os únicos que não terão tanto problema são os veículos flex, agora como ficam os proprietários de motos de alta cilindrada?

    Infelizmente, no Brasil, o pensamento do poder legislativo é voltado apenas para a geração de lucro, e não para o bem-estar social como deveria ser.

    A produção de etanol está encalhando? Então reduzam o preço do etanol na bomba que eu volto feliz a abastecer meu carro com ele, não se pode querer ganhar dos dois lados.

    No meio desse fogo cruzado nós, os lesionados pelas decisões que são tomadas em Brasília, nos sentimos desamparados, tendo à nossa disposição um poder público no qual não podemos confiar e sendo forçados a nos virar para alguma qualidade de vida.

    Aqui te tratam como criminoso se você disser que quer ser empresário, que quer ser bem-sucedido. Infelizmente o brasileiro não pode ter luxo na vida, só está autorizado a nadar muito e morrer na praia.

    1. Concordo com o Leandro.

      Por quê este aumento de 2% (pois, de acordo com o Wolfman não conseguimos precisão para 0,5%) irá foder os motores?
      Se é pra foder, a diferença de 15% já foderia.

  2. A moral da história é que, somado com o aumento recente, pagamos mais caro para receber menos produto, adulterado com um produto mais barato que é o álcool. Reclamam quando colocam água no leite, mas fazem isso na gasolina há anos e ninguém diz nada.

  3. Isso é assustador, pois a unica conclusão que dá para se tirar é que segundo este governo de merda bem estar social e progresso na vida é o povão ter um carro 1.0 flex, moto 125 flex, ter uma casa pelo programa minha casa minha vida, ter tudo nacional importado não pode, ser atendido pelo Sus, e botar uma penca de filho no mundo mesmo o cara ganhando salario minimo, passou disso vc é de Direita, burgues, precoceituoso….
    Já bastava a gente pagar TUDO mais caro em relação ao primeiro mundo, agora querem estragar o bem de quem conseguiu comprar

    E para o POVÃO que botou esssa corja no poder: vai dançar no carnaval agora e fica quietinho, fica.

    1. Eu nunca estive tão desesperançoso com o Brasil. A gente que cresceu pós ditadura, viu muita coisa melhorar e piorar até estabolizar. O problema é que o Brasil melhorou muitas vezes APESAR do governo, e não POR CAUSA dele. E agora simplesmente paramos de melhorar e estamos voltando pra trás.

      Sim, a vida melhorou pra muita gente nas camadas mais humildes, mas com o tamanho do país, riquezas, reservas, teria que ter melhorado muito mais.

      1. Apenas discordo da ponderação APESAR do governo, pois muitas políticas públicas permitiram o avanço social de fato, como o PROUNI e FIES. Entretanto, creio que este não seja p melhor ambiente para este tipo de discussão.

        1. Discordo. Esses programas só ajudam os donos dos estabelecimentos privados (trabalhei no meio…sei do que estou falando). A qualidade do ensino, como um todo, piorou. Mais agua no leite…

  4. Bayer,

    eu ia te mandar uma mensagem no FB pedindo uma postagem sobre isso mesmo, porque parece que a maioria não entendeu a gravidade da situação mas ai tu e o Wolfmann lançaram o post.

    Só para constar minha moto é uma Shadow 600 ano 1998, com dupla carburação (o nick que eu escolhi aqui é a primeira coisa que veio na cabeça), é um tanque, aguenta muita porrada, ando com ela todos os dias faça chuva ou sol, eu mesmo dou manutenção na maioria das vezes, mas o fato é que foi feita para rodar com gasolina, assim como as HDs. Já tive problema de vazamentos de mangueira constatei que foi por conta da má qualidade de combustível, imagine só agora…Sinceramente já pensei em vender a Shadow e pegar uma moto injetada, porque dizem que as injetadas aguentam mais o tranco nesse sentido, mas não sei até onde isso é verdade.

    É redundante dizer que isso fere o direito do consumidor, os 25% já feriam, os 27% só vieram confirmar que o governo está cagando para o contribuinte/consumidor mais uma vez. Defesa do Consumidor nesse país é uma piada sem graça.

    Descontente e mesmo sabendo que os testes supostamente não foram concluídos (ou estão adiando os resultados?) eu mandei e-mail para a Anfavea e para a Abraciclo questionando se eles poderiam disponibilizar algum laudo que demonstrasse os resultados dos testes. Minha ideia era pegar esse laudo, ou juntar uma galera e mandar fazer um laudo atestando a prejudicialidade nos motores e fazer uma denúncia formal no Ministério Público Federal, para que eles investigassem lesão ao Direito do Consumidor (aumenta o preço da gasolina e diminui a própria gasolina no litro?), a Direitos individuais previstos na Constituição e monopólio, pois muito embora alguns postos tenham gasolina “Premium” ela é escassa, e todo mundo sabe que a que possui maior disponibilidade (mas nem tanto assim) é a Podium da BR.

    Enfim…

    A Anfavea me ignorou e a Abraciclo me respondeu, porém, foi evasiva solicitando que eu acompanhasse “os principais veículos de comunicação”.

    No caso de eventual ação judicial, eu concordo com o que o Wolfmann disse no blog dele, não existe motivação coerente aos olhos do Estado e de algum juiz federal para apresentação de uma ação privada.

    O fato é que ficamos desamparados com esse “estupro consensual” e os órgãos e entidades que deveriam defender os interesses do cidadão parecem que não estão nem aí para isso, nem para qualquer outra coisa. Afinal, tanto para carros quanto motos eles querem renovar a frota, e principalmente grande parte dos fabricantes de motocicletas no Brasil, só pensa em moto de baixa CC, algumas já são flex.

    Ainda estou pensando se existe uma saída para esse cenário,alguma possibilidade jurídica, mas a vontade mesmo é minha saída dessa república de bananas, por esse e por muitos outros motivos.

    1. O que mais ouço é que “são só mais 3 por cento”.

      Aquela analogia do sapo que é colocado na panela e não percebe que vai morrer porque a água vai fervendo lentamente, se aplica a nós. Cada resolução que passa esse valor aumenta. Em 2020 vai ter gente falando: bobagem, são só 45% de álcool.

        1. A Fat do Wolfmann é injetada, e é muito rodada. Teve alguns problemas justamente nas mangueiras e sistema de admissão de combustível.

          O mapa da injeção das Harleys já é pobre de fábrica, com a nossa alcoolina piora, e agora vai piorar mais. O quanto que a injeção compensa, na minha humilde opinião, já está além do limite. Por isso que qualquer Harley que usa sistema de gerenciamento de injeção fica parecendo outra moto.

  5. …e a verdade é que independente de que partido ou ideologia estivesse no poder a situação seria e mesma…a mentalidade dos governantes no Brasil é sempre explorar o povo…

  6. Não vai mudar muita coisa, o máximo que vai acontecer é a mistura ficar um pouco pobre mas nada que danifique o motor ou que seja perceptivel… o efeito psicológico é mais forte que o efeito real, afinal, a tão fantástica podium tem 25%… o limite desses nossos motores “abrasileirados” é 87% de octanagem, mantendo esse valor é o que importa… e pensem comigo, grande parte dos postos estão batizando a gasolina com alcool pois conseguem lucro e não prejudicam o cliente, logo a proporção de alcool nem sempre será a correta.

  7. Curti muito o comentário do Rogério Costa:

    A produção de etanol está encalhando? Então reduzam o preço do etanol na bomba que eu volto feliz a abastecer meu carro com ele, não se pode querer ganhar dos dois lados.

    Não deveria ser simples assim?

  8. Tem um esquema de separar o álcool da gasosa, colocando água (sim, é estranho) que eu já vi nego usar pra acender fogareiro.

    Seria legal se a gente pudesse fazer isso e tipo, vender o álcool de volta pro posto.

    Brincadeiras à parte… Bora fazer uma viagem só de ida pra brasília? Eu faço o corre dos explosivos.

  9. Senhores, não são apenas “mais 2%” porque os efeitos não são lineares, mais sim exponenciais.

    Quanto mais longe da mistura E-10 (10% de álcool) maiores os efeitos da corrosão e em menor tempo.

    Desde 2006 eu já troquei as mangueiras internas da minha Fat quatro vezes sendo, por coincidência ou não, duas vezes após o aumento da mistura álcool/gasolina de 22% e mais uma vez após a aumento de 22 para 25%. Dizer que apenas “mais 2%” não vai mudar muita coisa, mas para a minha moto já serão 4 anos de corrosão que terá um agente agressivo ainda maior por sabe-se lá quanto tempo.

    Hoje em dia estou usando mangueiras automotivas, fabricadas para veículos flex, para tentar uma vida útil mais longa.

    Não encontrei substitutos para filtro de gasolina (que forma uma goma com essa mistura de álcool e gasolina e entope a passagem) e nem para o regulador de pressão que formam conjunto com a bomba de gasolina (ou seria alcoolina), mas estou pesquisando.

    Acredito que consigo melhorar muito a confiabilidade do sistema de admissão se conseguir substitutos projetados para carros flex, mas câmara de combustão, cabeçote, válvulas e velas estarão sempre em risco com essa mistura de menor poder calorífico (queima menos eficiente) e maior poder de explosão (explosão acontecendo antes ou depois do PME).

    Não vou arriscar além dos 25% enquanto houver opção.

    E fica o alerta para quem ainda está com a moto em garantia ou pretende comprar moto zero: a recomendação do fabricante vai ser motivo para invalidar a garantia se for comprovado o uso de combustível com índice de álcool acima do recomendado: será classificado como mau uso e quero ver algum Juizado Especial invalidar essa decisão.

  10. Além do que foi exposto existe mais um problema: os motores passarão a esquentar mais ainda! O etanol na gasolina empobrece a mistura ar/combustível. Misturas pobres queimam com temperaturas maiores, o que propicia também o efeito da detonação, altamente prejudicial ao motor.

  11. Saudações. Já que infelizmente não adianta reclamar deste novo indice de mistua de etanol na gasolina, póis, é jogado guela a baixo pelos politícos que NÓS elegemos seja no executivo ou no legislativo. Queria saber: A gasolina Podim encontro nos postos BR (puro monopólio ) e a gasolina premium, qual a bandeira vende essa gasolina. Seria a shell?
    Conheço a comum e aditivada com 87oct. e a Podium com 95 oct., a tal da premium com 91 oct. nunca vi. Obrigado, curto por demais esse blog. Att. João.

    1. A Premium é da Ipiranga, ela é a única empresa além da Petrolheira que tem refinaria própria, por isso consegue fazer uma gasolina “melhor” para sua própria bandeira. Todas as demais compram gasolina da BR e fazem seus refinamentos depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *