Continuando a polêmica sobre a gasolina

O Wolfmann deixou um comentário bem interessante no post que comentava o aumento de álcool na gasolina, com sua opinião sobre quanto esse pequeno aumento teria efeito. Atenção especial para como isso poderia afetar a garantia das motos 0km. Ele escreveu:

Senhores, não são apenas “mais 2%” porque os efeitos não são lineares, mais sim exponenciais.

Quanto mais longe da mistura E-10 (10% de álcool) maiores os efeitos da corrosão e em menor tempo.

Desde 2006 eu já troquei as mangueiras internas da minha Fat quatro vezes sendo, por coincidência ou não, duas vezes após o aumento da mistura álcool/gasolina de 22% e mais uma vez após a aumento de 22 para 25%. Dizer que apenas “mais 2%” não vai mudar muita coisa, mas para a minha moto já serão 4 anos de corrosão que terá um agente agressivo ainda maior por sabe-se lá quanto tempo.

Hoje em dia estou usando mangueiras automotivas, fabricadas para veículos flex, para tentar uma vida útil mais longa.

Não encontrei substitutos para filtro de gasolina (que forma uma goma com essa mistura de álcool e gasolina e entope a passagem) e nem para o regulador de pressão que formam conjunto com a bomba de gasolina (ou seria alcoolina), mas estou pesquisando.

Acredito que consigo melhorar muito a confiabilidade do sistema de admissão se conseguir substitutos projetados para carros flex, mas câmara de combustão, cabeçote, válvulas e velas estarão sempre em risco com essa mistura de menor poder calorífico (queima menos eficiente) e maior poder de explosão (explosão acontecendo antes ou depois do PME).

Não vou arriscar além dos 25% enquanto houver opção.

E fica o alerta para quem ainda está com a moto em garantia ou pretende comprar moto zero: a recomendação do fabricante vai ser motivo para invalidar a garantia se for comprovado o uso de combustível com índice de álcool acima do recomendado: será classificado como mau uso e quero ver algum Juizado Especial invalidar essa decisão.

28 ideias sobre “Continuando a polêmica sobre a gasolina”

  1. E já recebei e-mail me chamando de “alarmista” para citar o mais educado.

    Ninguém precisa usar Pódium ou Premium, aliás espero que aqueles que façam a experiência de usar o combustível E-27 (comum ou aditivada) em suas motos deixem relatos sobre a experiência.

    1. Bem vindo a Internet, Wolfmann. Um mundo onde quem tenta compartilhar conhecimento e abre espaço para debate, toma porrada de quem quer ficar parado.

      Felizmente tem muita gente bacana que lê o blog que certamente vai contribuir para o debate.

    2. Normal.

      Compartilhei o link da postagem na minha página pessoal do FB e teve gente que até me excluiu achando que eu estava a defender partido político X ou Y ou determinada classe social em detrimento de outras.

      Quem gosta de ficar estancado ainda se incomoda.

      Eu só estou usando Podium e Premium na minha moto, paciência.

      1. Aí não dá nem pra discutir. No Brasil, política virou partido de futebol, com gente torcendo para partidos como se fossem times, independente deles estarem indo bem ou não, e brigando como torcida organizada.

        O oposto de um processo democrático decente.

  2. Apenas a titulo de conhecimento, a Vpower da Shell é considerada gasolina aditivada e não premio, portanto terá adição de alcool, correto? Gasolina premium somente mesmo em postos BR?
    Abraços,
    Carlão

    1. Premium é da Ipiranga. Que eu saiba, só Ipiranga e BR possuem gasolinas de alta octanagem pois são as únicas duas empresas no Brasil que refinam seu próprio combustível. O resto compra tudo refinada da BR e depois aplica suas fórmulas.

  3. Pra escapar de tanto etanol na gasolina o jeito é brincar de químico e separar o álcool dela usando água, colocar água na gasolina e deixar decantar, depois tirar a gasolina que está em cima. também para ter mais certeza da pureza se pode usar sulfato de magnésio, mas aí já é um pouco mais técnico…
    vou ter de começar a fazer isso em alta escala, pois motores 2T como o meu gostam menos de alcool do que as harleys.

  4. Alexandre Hartkopf me corrigia se eu estiver errado!

    A gasolina que sobra dessa tecnica , é de baixa Octanagem e não serveria para motos?

    Bayer? o que acha de separa o etanol? a moto roda? rsrs

      1. vi, acho que no post do wolfman mesmo, que a gasolina perde alguma qualidade nesse processo. não tenho conhecimento pra falar, apenas reproduzindo o que li lá. vale dar uma checada, mas como disseram, muita treta pra quem roda bastante.

    1. não baixa a qualidade não, falando praticamente, teoricamente não sei explicar… sei que nas corridas de veloterra que tem por aqui, alguns separam a gasolina do alcool para as motos muito preparadas, para ajudar desde a queima até a lubrificação, quando der vou fazer um tanque e testar na minha.

  5. A recomendação do Wolfmann é mais do que válida, porém temos que lembrar:

    onde acha-se gasolina premium fora dos grandes centros?

    Boa parte dos consumidores sequer vai ter a opção de usar a gasolina com 25% de álcool. Fora no nosso caso, como usuários de motos (não-flex) que as utilizam em viagens. Muitas vezes nos postos de rodovia mal se acha gasolina aditivada, que dirá premium ou podium?

  6. Pois é, desde o ano passado eu tento avisar as pessoas do que iria acontecer se o atual governo fosse mantido, ninguém quis me ouvir… A Petrobras quebrou, tá acabada, sinceramente, não vejo mais solução, tentar tomar medidas que nos ferram pra salvar o defunto é muita burrice (só podia vir desse governo mesmo) ou então é perversidade mesmo. É bom que todos se lembrem do que aconteceu na Venezuela depois que os amiguinhos do atual governo (inclusive participantes do mesmo clubinho, nesse caso o Foro de São Paulo) assumiram, o país com a maior reserva de petróleo no mundo exportando gasolina. E quando o povo foi as ruas protestar? Procurem no youtube pra ver o que o governo fez, se acham que no Brasil vai ser diferente… Enfim, esse governo só quer ferrar com a gente mesmo, dane-se se você batalhou pra comprar a moto dos seus sonhos, ele não quer e nem permite que você tenha nada. Pra quê moto grande? Isso é coisa da elite burguesa capitalista opressora. E enquanto isso eles viajam de jatinho.

  7. Pois então, senhores… tenho considerado fortemente a possibilidade de separar a gasolina do álcool mesmo… Estou fuçando na internet para ver se acho uma opinião mais técnica sobre o assunto e acho que vou acabar conversando com um amigo meu que é químico… Não é tanta treta quanto parece: é um processo relativamente simples, na real… e se encher um bujãozinho daqueles de posto (5 litros, se não me engano) e decantar dá pra quase uma semana de rodada, no meu caso… A minha ideia seria separar uma parte da gasolina do álcool depois remisturar com mais gasolina. Sacam? O intuito é manter a média da octanagem e baixar a quantidade de álcool… imagino que (fazendo cálculos rápidos e nada confiáveis aqui), se eu misturar 1 litro de gasolina “pura” com 1 litro de Gasolina 27%, a média de álcool presente deva ficar lá pelo meio, uns 14%, talvez? E como a grande quantidade de octanas fica na gasolina (segundo pesquisei na rede mundial de computadores – informação também passível de conferência) então o nível de octanagem não deve baixar tão expressivamente. Assim espero. Não quero castigar minha Ducati com 27%… Acho que 25% já não era muito saudável pra ela…

    Alguém imagina se isso deve funcionar?

    Bayer, baita blog… e valeu a força uns meses atrás no e-mail… Fui até SP e busquei minha Ducati… rodei daí até aqui, Porto Alegre. Estou contanto essa historinha no meu Blog… depois te mando o link.

    Abraço!

    1. Eu acho que não vai funcionar do jeito que você quer.
      A gasolina brasileira é bem ruim, ela só chega nas 80 octanas devido ao álcool.
      A octanagem(equivalente) do álcool é bem maior, entre 110 e 130 octanas, e o que acaba acontecendo é que a refinaria mistura a gasolina comum “pura” (com octanagem bem menor que 80) com o álcool, e “transforma” essa mistura em gasolina C de 80 octanas(e agora com a adição extra de álcool, provável que a gasolina “pura” terá pior octanagem ainda….). Se você fizer a separação do gasolina e do álcool, você terá uma gasolina com octanagem muito baixa , que vai prejudicar ainda mais o motor (e sua Ducati).

  8. Pois é, Podium da BR e Premium da Ypiranga. Mesmo em cidades maiores não é em qualquer posto q se encontra. Eu já andava preocupado com essa história de gasolina antes mesmo desses malditos 27%, imagine agora! Andei lendo (não me recordo aonde…) que no Manual da Harley diz para usar X tipo de gasolina, porem essa gasolina seria a americana, no Brasil, a tal gasolina X seria equivalente a nossa gasolina comum (!?!) Não sei se isso procede. O fato é q sempre usei aditivada em minhas motos e Premium ou Pódium 3 ou 4 vezes p ano, qdo ia sair pa alguma viagem mais longa. Agora já nem sei mais o que usar! Tá ph0d@…

  9. Caros, é o seguinte: A gasolina comum americana tem octanagem maior que 90 (acho que a européia também). Aqui em terras tupiniquins, só a Podium e a Premium estão acima dos 90, o resto é abaixo desse valor. A gasolina comum da BR só difere de sua Grid, na adição de anti-oxidante e o desengraxante, são os aditivos utilizados. Minha dúvida fica se devo utilizar a Grid, se essa não vai encurtar a vida útil do motor ou só baixar o rendimento dele.

  10. Estou fazendo minha gasolina já há 3 anos, é muito longo pra escrever aqui, nem sei se vale escrever pois tenho mais o q fazer …..mas quem realmente esta afim e nao tiver medo de sujar a mao procura na net q da certo, minha shovelhead melhorou muito depois q comecei a fazer,.

  11. Existe sempre a possibilidade de abastecer, fazer uma chupeta, misturar agua na gasolina, esperar decantar e remover o alcool. Existem alguns videos na internet explicando. Acho válido pra quem quer usar gasolina pura. Claro que o ideal seria ela ser vendida pura no posto, mas enquanto não atingimos esse ponto… acho que pouparia alguma dor de cabeça futura e certamente melhoraria o desempenho das motos.

    1. Não, a nossa quantidade é maior e em qualquer gasolina que temos. Nos EUA os veículos tem especificado a proporção e quais podem usa-la, além das opções de combustíveis sem álcool na bomba.

      Aliás, a proporção mudou tanto no decorrer dos anos, que mesmo veículos nacionais não estão otimizados para a atual mistura. Usa-se como desculpa a tal “regulagem automática” que, supostamente, os veículos com injeção eletrônica possuem, se adaptando automaticamente. Mas tirando os Flex, sabemos que na prática não é assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *