Mais relatos sobre o incidente envolvendo MCs no Texas

A comunidade biker americana está acompanhando de perto o desenrolar dos eventos que acontecerem no último domingo, em Waco, que foi comentado neste post aqui. Todos temem mais represálias e perseguições contra os MCs, algo que já é  bem comum por lá.

A briga entre os Bandidos MC e os Cossacks MC deixaram  9 mortos, 18 feridos e 170 motoqueiros presos, em um tiroteio que está sendo divulgado por canais de notícias de todo o mundo.

Mas qual foi o motivo da briga?

Como já foi comentado aqui, nos EUA os MCs 1%er fazem uma demarcação de território, e só quem pode usar o nome do estado na parte inferior do escudo em três partes (bottom Rocker), é o MC dominante daquele local.

E desde 1966, o MC dominante do Texas são os Bandidos. Eles sempre deram a bênção para que clubes menores se formassem, mas o patch “Texas” era exclusivo deles.

Em 1969 foi criado um pequeno clube, chamado Cossacks MC. Eles sempre evitaram problemas com os Bandidos, e não há nenhuma rixa registrada entre eles. Mas nos últimos anos, o número de membros dos Cossacks começou a aumentar exponencialmente, assim como suas atividades “extra-clube”.

Isso já era motivo para causar rivalidade, mas o conflito realmente só começou quando os Cossacks passaram a usar o patch Texas em seus coletes.

Screen Shot 2015-05-20 at 11.25.09 AM

Charles Falco, um traficante que virou agente do DEA e se infiltrou em três MCs diferentes, disse numa entrevista para a Slate:

Os Bandidos nunca tiveram problemas com fundação dos Cossacks, desde que eles não usassem o patch “Texas”. Os Cossacks foram aumentando suas fileiras, e recrutando motoqueiros com uma personalidade mais hardcore para o clube. Foi uma transição lenta, mas quando você tem um número grande o bastante, você pode ir desafiar os Bandidos com o patch do Texas. Eles pensaram “Chegou a hora”.

Screen Shot 2015-05-20 at 11.25.20 AM

Um boletim da Polícia obtido pelo canal ABC NEWS 8 diz:

A violência entre os membros dos Bandidos MC e Cossacks MC tem aumentado em todo o Texas, e não há nenhum indicativo de que vá diminuir. O conflito parece ter surgido porque os Cossacks se recusaram a pagar uma comissão para os Bandidos, referente às suas atividades no Texas, e por terem reivindicado território usando o patch Texas em seus coletes.

No mesmo boletim, foi dito que 10 Cossacks haviam forçado um membro dos Bandidos a parar em uma estrada, e teriam o atacado com correntes, porretes e canos de metal, para depois roubar sua moto. Além disso, o FBI havia identificado que mais de 100 membros dos Bandidos estavam planejando ir até Odessa para iniciar uma guerra com os Cossacks.

Já sobre os outros MCs envolvidos, pouco se falou. Certamente são clubes menores, de “support”, que são chamados pra participar quando a coisa aperta.

Como eu já mencionei antes, infelizmente por lá a coisa é muito séria, e volta e meia pessoas morrem por causa disso. Em viagem aos EUA, lembrem-se dos posts que eu já fiz aqui sobre o assunto, e não se metam onde não forem convidados.

11 ideias sobre “Mais relatos sobre o incidente envolvendo MCs no Texas”

    1. Sim, eu sei. Acho que dei a entender isso quando disse “quem pode usar o nome da cidade”. Troquei por estado pra evitar confusão. A cidade que me refiro é Waco.

      Teve mais algum lugar que deu a entender isso? Não achei.

  1. Fala Bayer.
    Aqui a coisa fica sem graça porque a maioria dos MCs parecem brincadeira de criança.
    Lá a coisa é seria demais. haha…
    Wander.

  2. Ainda bem que no Brasil, motoclubes tem essa características mais amenas como companheirismo, cumplicidade, irmandade. Aqui, existem as torcidas de futebol para quem deseja entrar numa gangue. Outra coisa, moto aqui no Brasil é muito cara. Quem faz baderna, usa as cinquentinhas e toca p terror.

  3. Cara, lá o coco é seco! Aqui no Brasil tem alguns caras que querem fazer algo parecido, mas é pouco, graças a Deus. Se por um lado eu admiro os MC’s 1%er pela lealdade ao clube e aos parceiros por outro me assusto com essas tretas loucas aí. É um universo admirável mas ao mesmo tempo assustador. De toda forma curto conhecer sobre a vida desses MC’s.

    Infelizmente aqui no Brasil temos acesso a pouca coisa (eu acho). Já procurei diversos documentários e filmes mais sérios sobre o tema mas é difícil pra caramba de achar. No final, a impressão que fica pra nós brasileiros é a do Sons of Anarchy, pra muita gente um MC 1%er é aquilo e ponto final. Por isso eu gosto quando o Bayer faz posts sobre os MC’s. Que pena que esta semana foi pra falar sobre uma tragédia, é uma pena mesmo…

  4. Sem entrar no mérito das ações executadas em nome do clube ou por respeito à hierarquia existente nos clubes 1%, a realidade americana é muito diferente da nossa realidade.

    Aqui não existe o espaço ocupado pelos clubes nos EUA: tráfico de entorpecentes e armas, assim como venda de proteção já tem donos.

    E sem espaço só resta aos clubes brasileiros arrigementar pessoas que acreditam na contra cultura ao que orienta o politicamente aceitável.

    Basta dizer que os clubes 1% no Rio dividem e frequentar pacificamente a mesma rua para fazer a diferença entre ser 1% no Brasil e nos EUA.

    Acho que essa disputa acaba sendo um tiro no pé dos interessados em demonstrar a utilidade dos clubes dentro de um aspecto benemérito como a B.A.C.A. e outras entidades de motoqueiros/motociclistas que já existem nos EUA.

    É muito difícil demonstrar a boa vontade onde a própria sociedade já exclui a possibilidade pelo preconceito, embora a comunidade de duas rodas tenha feito muito pouco para eliminar a atividade ilegal dos clubes 1% dentro dos EUA.

    O dealer texano em Waco fechou suas portas atendendo à demanda da polícia local, os motociclistas/motoqueiros locais estão evitando transitar com suas motos para não ser confundidos com os membros dos clubes envolvidos. Será que isso basta, ou será preciso que a comunidade texana repudie publicamente essa disputa territorial ao invés de posar com vítima na situação?

    A abstenção só fortalece a posição dos clubes 1% na manutenção de suas atividades.

  5. Alexandre:
    Tem como postar link ou notícia ou qualquer outra coisa relacionada ao fato de que há gente morrendo em Porto Alegre por causa do tema deste post?
    Ainda bem que no Brasil ainda não estamos reproduzido este aspecto negativo da cultura norte-americana (acho). Mas se já começamos a matar gente entre MC ou MG, daí a coisa tá mudando de figura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *