É moto antiga, ou é ouro?

O Vitor Coutinho me mandou uma postagem que ele escreveu sobre o preço das motos antigas, especialmente as Harleys, praticados aqui no Brasil:

http://barbadosbrotherhood.blogspot.com.br/2015/09/old-but-price-its-like-gold.html

Minha singela opinião: as motos antigas sempre foram mais caras por aqui, já que praticamente todas sempre foram relativamente difíceis de encontrar, e aí vale a lei da oferta e procura. No entanto, nos últimos anos esse mercado inflacionou demais, já que apareceu muita gente com grana querendo comprar um “brinquedo antigo”.

É só ver que mesmo uma moto considerada rara lá fora, muitas vezes é vendida por um valor menor do que uma moto relativamente comum, mas antiga, por aqui (falo um pouco sobre esses achados no post “Barn Find“).

Vale também a leitura do post do Dan e das Gourmetização das Motos.

Honestamente: moto em pedaços na caixa, sem motor, que ainda precisa de muito trabalho, burocracia com documentação, por preço de moto nova restaurada? Não vale.

13 ideias sobre “É moto antiga, ou é ouro?”

  1. Conheço este fenômeno nos carros antigos. Em meados de 2000 era possível comprar um Maverick GT V8 muito bem cuidado por 10 milhas. Hoje um exemplar destes em estado de conservação bem precário, para ser restaurado chega a custar entre 30 a 50 milhas. Com 10 contos talvez se consiga a carroceria seca de um.

    Para quem é apaixonado, é um péssimo negócio. Para quem visa lucro, pode ser um ótimo negócio.

    1. Muito bom Alberto…
      Aconteceu isso comigo… Comprei meu Maverick em 2003, e na época nem existiam esses programas de TV sobre carros, ou seja, comprei por uma pechincha mesmo, mas estava todo ferrado, fui pela emoção… Estou com ele até hoje, mechi no que deu, mas realmente inflacionou o mercado de antigos, principalmente por conta da moda imposta pela mídia, com programas como Overhallin e Lata Velha…
      O problema maior é o preço das peças, que também seguiu inflacionário e oficinas, principalmente de lanternagem… Veem um dono de Maverick e acha que são todos milionários, foda isso… O mesmo serviço feito em um Opala ou Corcel fica no mínimo 50% mais barato do que em um MAverick…

      1. Isso é uma grande e triste verdade… tive o desprazer de sentir na pele, o mesmo funileiro me cobrou R$500 pra fazer um serviço em um fusca, e uns dias depois me cobrou R$2000 pra fazer o mesmo serviço em um opala, quando eu perguntei sobre a diferença e ele lembrou de mim com o fusca se enrolou todo pra dar uma resposta… tem cara que põe o preço não de acordo com o produto ou serviço mas sim de acordo com o que ele acha que você pode pagar…

  2. O que eu percebo é que tem muita gente que compra só pra ter lucro um cima, não investe um tostão no veículo. Aí na hora de vender, eles só argumentam o que o modelo é, não o estado daquele em particular. E normalmente tem quem pague…

    1. Não sei qual a estratégia da HD, mas se esse ano ela ainda não atingiu as metas de venda (e nem vai atingir) e vira e mexe tem alguma moto com promoção. Para o próximo ano então, onde a expectativa é que a inflação e a recessão vão estar ainda maiores não sei o que ela vai vender.

      E só para completar, a nova Street 750cc deve vir para ficar com o preço que é cobrado atualmente na Sporty; acima dos 30k o que eu também considero absurdo.

  3. Mas essa valorização é curiosa mesmo e depende muito da oferta, não só aqui no Brasil, onde a oferta de HDs e outras máquinas melhores sempre foi pequena.
    Nesses programas da TV por assinatura já vi nos EUA Cadillacs sendo vendidos a 8mil dólares e Kombis vendidas a 100mil dólares! Por incrível que pareça uma Kombi é rara e muito valorizada por lá ….

  4. Infelizmente esse mercado é imensurável. Há “n” variáveis não controláveis, além das conhecidas e controladas que definem esses valores por aqui.

    O Brasil apresenta um paradoxo curioso. É um dos maiores mercados consumidores de veículos, e especialmente os de luxo ou premium, mas simplesmente porque aqui se paga qualquer preço sob qualquer condição. O paradoxo é que a demanda é grande, a oferta é enorme, mas mesmo assim até carro dito “popular” está se tornando nicho de mercado pelos valores praticados. Porque todo mundo consegue “comprar” veículo hoje. O que não consegue é pagar.

    As montadoras ou o governo se importam? Evidente que não.

    Mas o mais importante, e até repetitivo dizer isso, é que enquanto o consumidor, esse sim decisor para definir o mercado, comprar a qualquer preço ou custo, esse valores só tendem a aumentar, seja dos novos, dos seminovos ou dos antigos.

    Abraço,

  5. É fato que as H-Ds carburadas estão estourando a boca do balão por causa das características técnicas e estéticas.
    É fato também que o preço de toda H-D, seja ela velha ou nova, acompanha o preço do dólar (nem precisa explicar, né).
    É fato que o Brasil teve um certo boom motociclístico e de MCs durante o periodo das vacas gordas e cambio baixo (e Sons of Anarchy).
    E temos a inflação per se.
    Isto tudo faz os preços ficarem escrotos mesmo.

  6. Já comentei, ok! Mas tem algo acontecendo que não acho que seja simples coincidência. Tenho uma 883 Custom à venda há alguns meses em um site de vendas e de uns dois dias pra cá, coincidentemente com a divulgação dos preços dos modelos 2016, recebi mais propostas do que digamos, em um mês inteiro ou mais, o que me leva a concluir que o pessoal que está atrás das usadas e especulando preço estão com medo de uma alta repentina também. O que pra quem está vendendo é ótimo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *