Leis que não fazem o menor sentido

Eu já havia questionado aqui várias das decisões que as nossas “autoridades” transformam em obrigatoriedades, muitas das quais não fazem o menor sentido. Uma delas é o extintor de incêndio obrigatório nos veículos.

Sim, ele pode parecer uma boa ideia, mas não é. Além de ter carga insuficiente para acabar com um incêndio (no YouTube tem vários vídeos onde diversos motoristas se juntam para apagar um incêndio sem sucesso), ele parte do princípio de que um cidadão sem treinamento deve se aproximar de um carro em chamas.

Acho legal ter um no carro, mas acho abusivo obrigar que TODO mundo tenha um, já que a maioria não sabe o que fazer com ele. É exatamente o mesmo raciocínio do famigerado kit de primeiros socorros.

E hoje, depois de todo aquele auê sobre a troca dos extintores, sai a seguinte notícia no G1:

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) decidiu em reunião nesta quinta-feira (17) que o uso do extintor de incêndio em carros, caminhonetes, camionetas e triciclos de cabine fechadas, será opcional, ou seja, a falta do equipamento não mais será considerada infração nem resultará em multa.

A entidade justifica que os carros atuais possuem tecnologia com maior segurança contra incêndio e, além disso, o despreparo para o uso do extintor poderia causar mais perigo para os motoristas.

O fim da obrigatoriedade do extintor para carros começará a valer a partir da publicação da resolução, o que deverá ocorrer nos próximos dias, diz o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

A notícia na íntegra você pode ler aqui.

Outras leis similares, mas que ninguém questiona:

Reflexivos no capacete

Portugal já tentou, e desistiu da ideia. O motivo? Nosso capacete fica fora do alcance da altura de um farol de carro, mesmo à distância. Pode reparar à noite como os reflexivos dos capacetes não servem para nada, ao contrário dos que ficam na moto ou nas jaquetas.

Exigência de mata cachorro para motofretistas

Apesar de muita gente ser fã deles, a verdade é que não existem estudos que provem que eles diminuem a chance de lesão em um acidente, por isso é um tanto abusivo obrigar os motofretistas a usarem o acessório.

Alguns especialistas alegam que ele pode prender a perna do motociclista em um acidente, sendo que a prioridade nesse caso é você se desvencilhar da moto o mais rápido possível. Outros afirmam que ele pode servir de alavanca, fazendo com que a moto capote sobre o piloto. Além disso, as motos de baixa cilindrada não previam a instalação desse acessório no projeto, e não há uma certificação específica para a fabricação dos mata-cachorros, o que fez com que existam muitos modelos de fundo de quintal por aí.

Selo do Inmetro

Ter o capacete certificado é uma garantia de segurança. Agora querer que um único orgão seja o responsável por essa certificação, é algo que até o próprio Inmetro já foi contra. Certificações aceitas internacionalmente, como a DOT ou SNELL, deveriam ser automaticamente permitidas por aqui. Ou você acha que um nacional de R$50 é mais seguro que aquele Shoei testado individualmente, só porque o primeiro tem selo do Inmetro?

22 ideias sobre “Leis que não fazem o menor sentido”

  1. Tem uma explicação muito simples para essas “leis”
    GRANA
    Um monte de empresa que faz esqueminhas com o governo para vender esses produtos de qualidade duvidosa, e todos saem beneficiados a empresa e os politicos
    Falar mal deste país já caiu no lugar comum

      1. Eu sou Sinesio Salles, e não tenho nada a ver com Lula e o PT. E a minha patente, conforme o link apresentado, não tem nada a ver com o novo padrão de tomadas brasileiro. Basta abrir o link e ler a patente.

      2. A patente que é apresentada no link não tem nada a ver com o novo padrão de tomadas. Esta patente refere-se a um novo processo de fabricação de plugues protegidos. Favor ler antes, para não repassar informações confusas.

  2. Pura palhaçada. Má fé. Oportunismo. O governo não deveria existir para nos deixar com esse ar de cachorro batido, mas para garantir certas condições básicas da vida em sociedade. Já encheu o saco o estado-tia-velha interferindo em tudo. Daqui a pouco será lei o uso de cachecol para ninguém se resfriar.

  3. De todos essas leis malucas, somente a dos reflexivos no capacete que nao e estapafurdia. A ideia dos reflexivos nao e q sejam visto quando em uso da motocicleta, mas sim quano o motoqueiro cai. A ideia principal e q o condutor q se aproxima ira desviar docapacete/ cabeca do motoqueiro caido no chao (ja que coisas reflexivas no chao tendem a chamar a nossa atencao para nao passar em cima). Nao sei se funciona, mas acho que nao custa deixar aqueles adesivos horrorosos

    1. Interessante, eu ouvi essa justificativa das autoridades quando questionaram o lance da lanterna. Continuo não aceitando, esse é caso específico é um que envolve várias variáveis e não acho que o refletor seja o suficiente, ainda mais porque o capacete pode rachar, abrir, ralar.

      A explicação de que os fabricantes deles e do selo holográfico que vão no selo do inmetro terem ligação com o governo, me parece uma explicação mais lógica.

      Sem falar que a melhor maneira de aumentar a segurança do motociclista é zerar impostos sobre toda a cadeia de produtos de segurança. Jaqueta de cordura com proteção de qualidade saindo por 150/300 reais seria muito mais eficiente do que qualquer palhaçada que o governo inventa. Ou só motociclista com dinheiro pode comprar produtos de qualidade? Com o sentido disso?

  4. O que atesta a burrice (ou a má fé) é fazerem isso depois de uma maciça campanha pela troca dos extintores, quase um terrorismo. Galera toda comprando, o pessoal que vende colocando o preço que quiser, o medo de ser parado e verem que vc não tinha tal item, enfim.

    Parece que todas as leis feitas por aqui tem um único objetivo, foder a vida do povo, sugar até a última gota da nossa grana.

    Não me lembro quem disse isso mas se aplica totalmente ao Brasil: “Quanto mais corrupto o Estado, maior o numero de leis”.

  5. E como tem desse tipo de lei! Parece que querem resolver todos os problemas num possível sinistro nos obrigando a ter tal e tal item de segurança, mas na verdade aquilo só está gerando puta lucro p alguém q tá nem aí pro pastel.

    Inclusive aqui vale a discussão sobre alteração de característica da moto: o cara paga pelo bem, muito bem pago diga-se, paga imposto, mas não pode fazer nada na moto? tem os itens de segurança, sinalização e de identificação? beleza, deixa o cara rodar! Isso se estende pra carros também.
    E a perspectiva de mudança é mínima…

  6. Falem baixo dessa jaqueta aí, daqui a pouco algum deputado lembra disso e a discussão da obrigatoriedade volta. Nem acho que proteja tanto assim já que as pernas ficam soltas.

    Se for para listar os absurdos voltados só para a moto da para ficar algumas horas discutindo.

    Jaqueta Michellin inflável.
    Nº da placa no capacete.
    Placa frontal.
    Proibição de garupa para diminuir o número de assaltos (nessa o Dep. Jooji Hato se superou).

    Ainda estão tentando também proibir moto de circular no corredor, porém até o momento conseguiram sobrestar a votação que altera o CTB.

    Ah, e a nova em SP é multar motoqueiro por “dirigir sem atenção” (Art. 169 CTB). Só no mês de agosto eu tomei 3 multas neste sentido. Só vem o Auto Lavrado sem discriminação dos porquês.

    O Legislador aqui nesta republiqueta, só legisla para fins próprios e enriquecimento ilícito sim.

      1. Não sei… Só sei que tomei uma de não dar seta em um longo trecho vazio onde passo quase todo dia e não preciso mudar de faixa. Tenho certeza que não cometi essa infração, mas como a CET de São Paulo tem metas a cumprir, a fiscalização está prejudicada pela pressão que os marronzinhos estão sofrendo.

  7. Ah,então não sou o único a receber multas com infrações no mínimo suspeitas.

    Quando eu erro, assumo e pago a multa sem questionar, mas neste caso destas 3 últimas, ainda estou procurando os porquês.

    Reavivando a discussão, parece que a moto como vilã da cidade entrou em pauta na Prefeitura de SP de novo:

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/10/1688725-lider-de-acidentes-moto-leva-4-das-multas-em-sao-paulo.shtml

    Falando que a grande solução seria a proibição, pela prefeitura, das motos nos corredores.

    Aguardem novidade ruim chegando por aí, pelo menos para quem é de SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *