Como rebocar sua moto (com exemplo real)

Já faz um tempo que eu postei aqui nas dicas um jeito fácil e seguro de rebocar sua moto numa emergência usando outra moto.

E o Sergio Santalves mandou uma mensagem pelo Facebook do Old Dog Cycles contando que, graças a essa dica, ele conseguiu salvar a viagem dele, rebocando uma das motos até a oficina mais próxima.

Ele escreve:

Minha Iron 883 teve uma falha generalizada de alimentação elétrica devido a bateria com baixa carga e passou a falhar até ser impossível continuar. Fui rebocado por meu colega em uma brava Virago 535

Andamos mais de 40km dessa forma até conseguirmos socorro num posto de combustível.

E também mandou um vídeo mostrando como foi:

Esse é o tipo de coisa simples, mas que pode fazer toda a diferença numa emergência. Aliás, essa é uma característica do motociclismo: quanto mais a gente anda, conversa e troca informações uns com os outros, mais aprendemos coisas que podem salvar nossa pele ou facilitar nossa vida.

Para quem não lembra ou não viu, replico o post na íntegra:

Como rebocar sua moto em um aperto

Towline-Method-1

O famoso “pé na pedaleira do garupa da outra moto”, pode quebrar o galho algumas vezes, mas ele vai complicando de acordo com o peso da moto e, o que é pior, pode gerar um acidente.

A Cycle World postou uma dica bem simples e legal como parte da sua edição The Total Motorcycling Manual (Cycle World): 291 Skills You Need (aliás, o livro vale a pena, tem bastante dicas legais e úteis. E se você comprar pelo link acima, ainda ajuda o site).

Primeiro, consiga de 4 a 6 metros de corda, arame ou tira de Nylon (eu sempre tenho uma paracord enrolada no cabo de uma faca de sobrevivência, mais uma utilidade para a dita cuja).

Você enrola a corda na pedaleira da sua moto, do lado oposto da corrente ou correia, e segura com o pé. Seu colega faz a mesma coisa, mas do lado oposto. Se alguma coisa der errado, basta soltar o pé para liberar a corda (a figura acima exemplifica bem).

Towline-Method-2

Já a outra maneira, exemplificada abaixo, eu não acho tão prática. A ideia é amarrar a corda o mais alto possível no quadro da moto que está rebocando, ou fazer um Y no fim da linha e depois amarrar cada ponta em ambas as pedaleiras. Depois a corda passa por baixo do farol da moto a ser rebocada, sempre centralizada, e você enrola ela dando uma ou duas voltas no guidão, enquanto segura a ponta que sobrou dela com a mão da embreagem . Se algo der errado, o rebocado solta a corda.

Towline-Method-2

Honestamente, a segunda opção depende bastante do tipo de moto, e em alguns casos pode danificar a carenagem. A primeira é mais simples, e muito mais segura que o famoso “pezão empurrando”.

8 ideias sobre “Como rebocar sua moto (com exemplo real)”

  1. Eu acho muito importante deixar “sempre” a corda esticada pois se ela afrouxar, quando o rebocado se aproxima do reboque, em uma desaceleração por exemplo, o risco de passar por cima da corda e tomar uma “rasteira” é enorme e a queda consequente.

  2. Tirando os exageros e fanatismos de lado, preppers e motociclistas tem muito em comum… é uma filosofia da qual tenho grande simpatia, com muitas dicas válidas para não passar perrengue…

  3. Parabens, a dica está excelente. Recomendo abolir a segunda variante pois ela tem aplicação limitada. Nem todas as motos tem o vão livre na garupa, muito menos na frente da moto. ALém disso, se o ponto de tensão fica muito alto ou muito fora do eixo, o efeito alavanca é amplificado e torna a pilotagem mais cheia de solavancos.

    A moto inclina sobre dois eixos:
    1 – o eixo longitudinal cujo centro é o centro da roda traseira.
    2 – O eixo vertical cujo centro é o ponto de contato do pneu com o solo

    A pedaleira do piloto é mais próximo desses dois centros do que a rabeta da moto ou o guidão da moto. Assim, um puxão na pedaleira vai inclinar MENOS as motos e vai torcer menos a direção da moto, tornando a rebocagem mais suave.

    A dica de pisar na corda sobre a pedaleira foi ótima. A do lado da corrente também. Eu já usava a técnica de pedaleira-com-pedaleira mas não me liguei nessas duas dicas que você deu. Obrigado ! acabei de aprender um truque novo. “Old dog learns a new trick” :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *