Harley na novela e a evolução das propagandas da HD

Essa é uma notícia que deixou muita gente surtada, especialmente os guerreiros de teclado. Enquanto lá fora a Harley foge da imagem de malvadão e tenta se aproximar mais dos descolados urbanos, das mulheres e minorias, inclusive co-patrocinando filmes Blockbusters como os Vingadores, aqui no Brasil o pessoal decidiu ir para uma via mais tradicional: galãs e novelas da Rede Globo.

Malvadões, onde está o seu Deus agora?

Bruno Gagliasso, personagem central da nova novela, é mecânico de motos e dono de uma Breakout (tá ganhando bem como mecânico pelo visto). Henri Castelli e Letícia Spiller são donos de um bar/barbearia/oficina chamado Rota 94 onde os motociclistas da novela se reúnem Ele é decorado com vários itens da Harley, todos cedidos pela marca, incluíndo aí uma Heritage Softail Classic que fica de enfeite (moto parada? Heresia!). Outros personagens possuem uma Street Bob, uma Road King Classic e, é claro, uma Iron 883 customizada.

(Nota pessoal: será que as gravações da novela vão sofrer atrasos por falta de peças para as motos? Ou a Globo vai ter “tratamento especial”?)

Outro merchandising bem presente na novela serão as roupas da marca para vender o famoso “lifestyle” da Harley. Mais sobre isso em um ótimo post no blog do Wolfmann.

Flávio Villaça, gerente de Marketing, Produto e Relações Públicas da Harley-Davidson do Brasil, disse em entrevista para Motonline: “A estreia da Harley-Davidson na novela da Globo será uma ótima oportunidade de levarmos ao público alguns dos diferentes modelos que compõem o nosso lineup 2016, bem como os itens de MotorClothes e Riding Gear produzidos pela marca, sem contar que vamos compartilhar um pouco mais do nosso estilo de vida”.

A evolução da propaganda na nova era Harley

É curioso notar para onde a Harley quer ir, e acho que podemos contar essa história através das próprias propagandas da marca.

Não faz muito tempo, a marca produzia vídeos como este, que deixou muita gente arrepiada e virou quase um mantra:

Particularmente, eu sempre gostei muito desse manisfesto e me identificava com muito do que era dito. Virou clichê, mas tocava no cerne de pessoas que acreditavam ter nascido na década errada ou que achavam as motos modernas desinteressantes e sem personalidade.

No entanto, os Baby Boomers foram envelhecendo e marca não foi ganhando espaço entre os mais jovens, que não se identificavam com essa filosofia.

Nessa época, a Harley ainda flertava com a imagem do badboy e do malvadão, como neste comercial aqui:

(Spoiler: muita gente confunde os atores do filme e acaba não entendendo o comercial. O resumo é que o motoqueiro é o amante que chega em casa, e quem se esconde é o marido.)

Mas essa imagem começou a pegar mal com o público feminino, que via a marca como algo misógino, justamente um público que eles tentavam conquistar. Latinos e negros também fugiam da marca, não se identificando com esses estereótipos. É por isso que, depois da virada do milênio, as coisas foram mudando lentamente, ganhando tração nos últimos 6 anos.

Por exemplo, para atrair os mais jovens, eles lançaram a linha Dark Custom, tentando associar a linha com um pessoal mais urbano, que valoriza o aspecto industrial da coisa:

Muitos dos anúncios foram migrando para mostrar um pessoal mais cool, de bem com a vida:

Antenada com o que estava acontecendo na cena de customização, a Harley lançou uma moto inspirada nos anos 70, com um comercial que seguia o mesmo estilo:

A estéticas das motos, a trilha dos comerciais e a fotografia ficaram mais atuais. Eu particularmente gostei, achei que eles atualizaram a marca, mas ainda mantinham algo da essência:

A linha VCO também foi para uma pegada mais atual, usando uma mulher como protagonista, algo impensável poucos anos antes para certas marcas da categoria:

Enquanto isso, algumas subsidiárias de outros países ainda tentavam manter a ideia do malvadão, mas sem o mesmo brilho no entanto:

É claro que essas mudanças acontecem especialmente nos modelos de entrada, onde estão a maior parte do novo público que eles querem conquistar:

Enquanto os mais caros continuam com um ar neutro, usando aquele velho clichê da propaganda de se mostrar o produto com frases genéricas como “design arrojado”, “sofisticação”:

De qualquer forma o foco mudou, eles tentam romper com esteriótipos, como mostrando tradicionais clubes formados por negros, algo que era pouco comum nos EUA:

Ou mostrando que quem anda de Harley talvez não seja o esteriótipo do malvadão ou do tiozão de meia idade que muitos imaginam:

E vocês? Se identificam com essas mudanças, ou fazem parte do grupo que conseguem consumir uma marca mas sem se identificar com o que eles tentam passar?

38 ideias sobre “Harley na novela e a evolução das propagandas da HD”

  1. Coisa de coxinha… E por coxinha chamo os babacões que gostam de aparecer.

    O lifestyle foram criados por pessoas que andam de moto. Alguém vem, copia e revende pra terceiros.

    Cada um faz o que quer, mas o que me irrita é que se você vive moto, curte, se identifica, acaba sendo confundido com um modinha que comprou uma moto pra tirar onda.

    Vivemos na era do falso. Tudo é falso. Você compra até personalidade.

    Ou melhor, tenta comprar.

  2. Essa propaganda tem todo o meu incentivo. Acho ótimo quem compra a moto para ficar parecido com o cara da novela ou da propaganda e, após alguns meses vende a moto praticamente nova, cheia de acessórios e com um preço bom.

    1. Isso é bom, pra quem quer comprar uma harley num preço decente(dado em conta a merda de política que temos onde uma moto que custa 7 mil doletas la fora aqui vem por 40 mil);

      Já vi Harley com 500km rodados em revenda, com uns quatro ou cinco mil abaixo da tabela do ano; Por que o cara compra se achando o Jax Teller e na primeira fechada se caga todo e ve que não tem como controlar a fera;

  3. Um receio que tenho é que aumente o números de roubos, quanto mais desejada, ou mais consumidores, maior o requerimento de peças, o fetiche de ser o malvado, o rico, o pegador, ou protagonista da novela também leva a querer o objeto que lhe dá esse “status”, até agora harley era a moto de velho ninguém fora do nicho sabe o valor das motos ou valor das peças, quando se tornar comum, vamos virar alvo como donos de motos speedbike ou trail.

  4. Minha opinião é que não se pode ser xiita com nada, adoro alguns modelos da Harley, mas se pra eu comprar uma harley eu tiver que levar uma jaqueta, luva, capacete, bandana e sei la mais o que, não rola não….

    Nos últimos tempos estou cada dia mais inclinado aos Baixo Custom, já que moto pra mim se tornou meio de transporte e não mais aquela volta de final de semana, e consumo no dia-a-dia é tudo…

    abraço

    1. Foi lançada em 2012 se não me falha a memória.

      Vieram algumas unidades pra cá, mas não sei precisar quantas. Tenho um conhecido que possui uma, é bem bonita já saindo da fábrica.

  5. É muito natural que a Harley mude seu posicionamento. Pois se não mudasse, morreria em breve.

    Em uma era cheia de telas, onde existem muito coisas com um jovem queira gastar seu dinheiro (Iphones, playstations e todo tipo que quinquilharias digitais) é natural que eles busquem passar uma personalidade mais descolada. mais alinhada com o movimento hipster (apesar que este já está em declínio lá fora).

    Assim sendo, eles buscam pegar o público que curte cafe racers, custom modernas e todo tipo de máquina retrô (Vejam que em um comercial as Harley se apresentam ao lado de Mustangs e Dodges). Percebe-se que as motos custom com pegada mais descolada (ai entram as Cafe racers, Brats e Bobbers) tem sido preferidas por um público que quer diferenciação em relação as motos mais esportivas , que tem se tornado uma opção de escolha muito adotada pela “massa”.

    Ou seja, vc tem uma moto custom(izada) e se diferencia do playboy ou mesmo dos “manos” no nosso caso.

  6. Acho que seria bem assim, querer ser o que não é…
    “”É comprar coisas que você não quer, com o dinheiro que você não tem, a fim de mostrar para gente que você não gosta, uma pessoa que você não é.””

  7. Todo mundo quer ter uma Harley mas ninguém quer ser o babaca da Harley. Babaca da Harley eu chamo o cara que vai pra encontro e MotoFest puxando a moto na carrocinha ou na traseira da camionete em vez de pegar 100 km de estrada, de boas com a galera. Tenha Harley. Não seja o babaca da Harley

  8. Legal.

    Eu acho que a globo e HD só aproveitaram o gancho de moto já estar na moda há algum tempo. Só ver aquelas roupas ridículas de 1% que venderam um tempo atrás, a crescente de bares especializados em “motociclismo”, grupos de internet, etc e tal, saímos do “underground” senhores, pelo menos em parte.

    Agora,

    Enche de babaca e modista? Enche. Já faz tempo.
    Aumenta o número de roubos? HDs e custom em geral já entraram na mira da vagabundagem já faz um tempo também, pelo menos em SP. A página do FB “roubaram minha moto” é uma boa referência para isso.

    Vai fazer alguma diferença real (fora o mimimi) para quem andava de moto antes? Se você não se influenciar por essa venda plástica de “Lifestyle” Não. A HD é uma das empresas mais marqueteiras do mundo…

    1. ERRATA: eu quis dizer no final “Se você NÃO se influenciar por essa venda plástica de “Lifestyle” não.

      E COMPLEMENTANDO: Tem muita gente que se infla com essa ideia de lifestyle, seja pelo aspecto malvadão ou pelo “hipster legalzao com a moto vintage etc e tal” que na verdade, em sua maioria, são uns bundas moles.

  9. Eu me identifico comigo mesmo.
    Comercial é comercial. Deve influenciar mesmo as pessoas, mas para mim nunca diz realmente muita coisa não. E há apenas uns poucos que gosto, por uma razão ou outra.
    Há este, chamado “Inner Child”, que não é um comercial da HD de verdade, mas que ficou bom pra caramba (suponho que seja tão bom justamente porque não partiu da HD): https://youtu.be/X1NYIYd54JQ.
    E há este outro, da H-D mesmo, sobre o qual escrevi algo, que certamente transcende o objetivo inicial da peça comercial: http://robertovargas-make.blogspot.com.br/2016/08/um-dia.html.

  10. eu tenho uma Harley Davidson diferente , é a XR , a ovelha negra da Harley!!! gosto muito dessa moto e desejo te-la para o resto da minha vida . Tenho 52 e ando de moto desde os 17 anos !!! EU ACHEI A MINHA MOTO !!! Assim como o surfista ker a onda perfeita, eu achei a moto perfeita para mim : Harley Davidson XR 1200 X !!!!!

  11. Brow…pra começar, mais uma vez, parabéns pelo Texto e pelas associações que vc fez! Show de bola e compartilho com sua linha de raciocínio.
    Sobre a novela eles não tiveram as manhas nem de “se aproximar” um pouco do “LifeStyle” que estão tentando vender. O que q é aquela jaqueta de couro com um CORAÇÃO de corda nas costas do Bonitão Gaygliasso???!????
    Mas em fim…. Na minha opnião tá CLARO que a HD deixou de lado o espirito do Motociclista e principalmente de nós Harleyros apaixonados e eles foram buscar RECEITA/LUCRO/GAITA!!! Com certeza esse folhetim vai alavancar as vendas, não tenho dúvidas… só acho que eles tem que tomar MUITO cuidado pra não misturar esse marketing q estão fazendo com o “nosso” LiveStyle e paixão por motos pois nossa Paixão e L.S. NÃO é exclusivo da HD!!!! A HD tá correndo o risco de “banalizar e/ou ridicularizar” um “L.S.” que é MUITO maior q a HD!!! Sei lá… eu acho que vai alavancar vendas agora, de imediato, porem acho q eles vão se arrepender depois…vejo como tiro no PÉ! Abração Galera!!!

    1. Parceiro, com todo o respeito, a HD tá preocupada é em vender moto. E com o preço de uma zero, com certeza não é em mim que eles estão pensando. Se estão vendendo pra coxinha ou não-coxinha, babaca ou não-babaca, valentão, bad boy, etc… pode ter certeza que o cara tem é que ter grana, muita grana para consumir produtos HD. E se o cara tem coração ou caveira na jaqueta, sinceramente, não acho que deva ser preocupação de quem realmente curta andar de moto. Cada um roda como quer. O colete é de jeans da Lee, tem 34 anos e, apesar de ter “encolhido” um pouco na barriga, continua com a sua serventia.
      Grande abraço a todos.

  12. Isso ai é foda, por um lado é bom que daqui a pouco vai aparecer as motos com preços mais em conta igual foi comentado por alguns. Mas se as coisas forem por um outro lado daqui a pouco aparece um cantor sertanejo inventando mais uma musica modinha falando que é o malvadão pegador que anda de HD e por vai. E quando for ver as motos vão estar sendo bem mais roubadas e o seguro como resposta vai no minimo dobrar.

  13. Tá… me respondam uma coisa:
    Se a Xuxa andar de Harley, vocês param de andar de Harley/moto? Se o Neymar andar de Harley, vocês param de andar de Harley/moto? Se o Munhoz e Mariano andar de Harley, vocês param de andar de Harley/moto? Ou se o Munhoz e Mariano cantarem uma música da Heritage Alaranjada, todos param de pilotar Harley/moto.

    Entendo essa paixão, não podemos obrigar quem tem dinheiro para comprar as coisas, a pensar como gostaríamos que o mundo pensa.

    Tenha sua moto, carro, bicicleta, triciclo, vibrador, o que quer que queira pilotar. E não se preocupe com os outros. E muito menos vamos mudar a estratégia de Harley (ou qualquer outra marca) de vender sempre mais, e com mais margem (paraíso automobilístico Brasil).

    #estadodemocráticodedireito.

  14. Olha, eu não vi essa novela, mas achei que a Harley mandou bem.
    Toda empresa quer alavancar suas vendas, e para isso precisa atingir um público maior…. nada mais normal.
    O depto de marketing da Motor Company é foda, eles devem ter ponderado todos pontos contras e favoráveis..
    Por outro lado, realmente pode aumentar o mercado negro de peças, infelizmente.

  15. Nunca entendi o que rola com toda essa preocupação do que vão achar se começarem a confundir aquele coxa, malvadão ou sei lá o que mais tem com você! Como se o que você é pode ser ameaçado pelo que os outros são ou transparecem ser, essa preocupação, a mácula da imagem! Piegas pra caralho! Pra não dizer de uma ignorância e estupidez sem tamanho, enfim demasiado humano.

    Acho divertidíssimo quando a HD começa a fazer propaganda na novela das 18h, quando os “malvadões” falam das idas e vindas do HOG pra comer croissant não sei aonde, quando os “coxas” alardeiam quanto já foi embora $$$ de acessórios na moto, quando malvadões te encaram de cima em baixo com aquele olhar: “hey, você não pertence a esse mundo, dê o fora!”. E eu no meio disso tudo, indo e voltando de bike do trabalho a semana inteira e pegando a moto um final de semana ou outro, aliás uma 883 Custom, já ouvi por aí que para os entendidos nem harley é! rsrs.

    Enfim, para coroar tudo isso, acho sensacional quando no meio do Bom Dia Brasil, logo após o comercial do “Boston Medical Group (trata da disfunção erétil e da ejaculação precoce)” entra comercial da Tenessee quebrando a banca e vendendo HD’s em 36x com taxa zero! Providencial essa sequência! rs

    Irônico, não? Enfim, nesses 04 anos que entrei pra esse mundo HD, já desisti de entender tudo isso, hoje em dia, só observo, e continuo rodando meus 8kkm, 10kkm, é uma moto, tem que me servir, tem que levar de um ponto x para um ponto y, nada além disso, senão presta pra isso eu passo pra frente e procuro outra, não vão encontrar um altar hd na minha casa. Repito é uma máquina, ela me serve, não a sirvo.

    Abraços!

    1. Marcelo, concordo plenamente contigo. Se alguém está se preocupando tanto em ser confundido com um coxinha babaca, deve se olhar no espelho: provavelmente a semelhança é a babaquice, não a moto. E eu também acredito que o “espirito” está no motociclista, não na moto que ele usa.
      Grande abraço a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *