Guia rápido de como sobreviver ao calor de moto

Hoje em dia eu sou muito mais encanado em proteger a minha pele contra o asfalto do que quando eu tinha 18 anos. Talvez seja a responsabilidade que a idade traz, mas talvez seja o fato de que meu corpo não se regenera mais da mesma forma no caso de um tombo.

Não importa o motivo, o fato é que o verão é sempre um desafio pra se andar protegido (em alguns estados é um desafio o ano inteiro). Por isso, seguem algumas dicas:

Tenha uma jaqueta/calça/luvas de verão

Eu sei que o equipamento de proteção aqui no Brasil é muito caro. Muita gente tem só uma jaqueta de couro ou cordura para andar de moto, enquanto alguns nem isso tem. Por isso, pode parecer um exagero pedir que você tenha duas, mas eu garanto que não é.

Uma jaqueta, calça ou luva de verão geralmente possuem entradas de ar e um tecido que permite que a pele respire, além das tradicionais proteções. Isso é muito importante para deixar que o suor evapore, já que sua função é servir como uma espécie de refrigeração natural da pele.

Vale a pena ficar atento pois algumas jaquetas possuem uma dupla forração, que você pode retirar e colocar transformando ela em uma jaqueta de inverno ou verão. Não é tão confortável quanto uma jaqueta apenas de verão, mas é algo pra se pensar.

Tenha em mente que muitos dos equipamentos de proteção para o verão protegem menos que os convencionais, justamente por usarem tecidos mais leves. Comprar algo muito barato nesse caso pode sair caro.

Capriche no desodorante e lembre que o lenço umidecido é seu amigo

Andar de moto, especialmente em uma moto pesada no trânsito intenso, não deixa de ser uma atividade física. Minha dica é simples: capriche no desodorante, dando preferência para aqueles indicados para atividades esportivas. Outra coisa que ajuda bastante é levar um pacote de lenços umedecidos com você. Assim, se você chegar suado no trabalho, um banho de lenço umedecido debaixo do sovaco e nas partes baixas pode fazer maravilhas pelo seu dia.

Essa foi uma dica que eu aprendi com alguns amigos ciclistas que fazem questão de ir de bike para o trabalho, mesmo em dias de calor intenso.

hot-sauce

No calor extremo, use mais roupa e não menos

Eu sei, agora eu dei um nó na cabeça de vocês. E confesso que eu realmente tenho dificuldade em colocar essa ideia em prática. Mas esse é o mesmo princípio que faz com que os beduínos do deserto usem roupa da cabeça aos pés.

Quando a temperatura do ar é maior que a temperatura da sua pele (em torno de 34ºC), você vai perder muito suor como vento e vai ter muito mais dificuldade em manter a temperatura do seu corpo baixa. É por isso que, mesmo apenas de camiseta e com a moto andando, o suor gruda na sua roupa e você não consegue se refrescar.

Nessas situações, alguns pilotos de aventura recomendam que você utilize uma camiseta de manga comprida no estilo dri-FIT (sim, é com I e não Y). Ela permite que a pele respire, mas fica úmida o suficiente para que você tenha sempre uma reserva de suor perto da pele, dando tempo para que ele evapore corretamente.

Mais uma vez, uma jaqueta de verão que permite que a pele respire, mas deixa o vento pra fora, é sempre o ideal.

Pescoço frio, corpo refrescado

Em situações extremas de calor, uma boa solução é manter seu pescoço sempre frio. Se você conseguir resfriar o sangue que passa pelo seu pescoço, ele vai agir como á agua de um radiador em um motor. Pra isso basta amarrar uma bandana molhada no pescoço.

Aliás, se o calor estiver muito complicado, simplesmente molhe sua roupa e volte pra estrada. Até você chegar, vai ter secado completamente e a sensação é bem agradável.

Abra a ventilação do capacete

Um bom capacete fechado sempre vai ter entradas de ar que fazem com que o vento circule pela sua cabeça, deixando tudo mais fresquinho. Já um capacete aberto com uma viseira bubble shield, muitas vezes não possui nenhuma entrada para o ar circular pelo topo da sua cabeça, virando uma estufa. Vale a pena pensar se ele é realmente o melhor de se usar no calor senegalês que faz por aqui.

Fique hidratado

Tem muito mito sobre hidratação por aí, já que algumas campanhas de marketing fizeram a gente acreditar que é necessário se hidratar muito acima do necessário.

Mas a verdade é que desidratação é um perigo sim, a cabeça da gente não funciona direito quando ela aparece. Beba a quantidade necessária de líquidos e lembre que aquela cervejinha, além de diminuir seus reflexos, deixa você ainda mais desidratado.

De moto, beba água.

Fique atento aos sintomas

Sentiu câimbra, enjôo, dor de cabeça, está com pele pálida ou avermelhada, cansaço acima do normal, tontura ou está suando demais? Se você sentir pelo menos um desses sintomas, pode significar que você está sofrendo exaustão causada pelo calor. Encoste, vá pra sombra, beba água e descanse até ter certeza de que você está melhor.

Estacione na sombra e leve o capacete com você

Deixar a moto tostando no sol e depois sentar em um banco fritando de quente já faz você sair em desvantagem na briga contra o calor. Tem gente que chega ao extremo de deixar pele de carneiro no banco, mais um daqueles truques de cowboy. Parece estranho sentar em cima de um troço que parece um cobertor em pleno calorzão, mas acredite: funciona.

O mesmo vale pro capacete, especialmente se ele for de cor escura. Leve ele com você. Deixar o capacete pegando sol na moto só vai transforma-lo em uma pequena estufa.

E você, tem mais alguma dica? Então deixe nos comentários.

 

29 ideias sobre “Guia rápido de como sobreviver ao calor de moto”

  1. Não é um comentário, é só uma observação:
    No verão passado entrevistaram um senegalês aqui em Porto Alegre que disse não entender a expressão, uma vez que ele nunca havia passado tanto calor lá! Naquele dia tinha termômetro de rua registrando 42° no centro de Porto Alegre!!!

  2. Eu tenho usado uma armadura de motocross (aquelas que são só a tela com as proteções) e uma camisa de botao, com manga comprida e fator de proteção solar, que fica bem fresco e ventilado mas incomoda na hora de parar (não dá pra ficar tirando o tempo todo). Tem alguma recomendação de jaqueta de verão? Manda um link aí. Valeu

    1. Comprei uma jaqueta dessas no último verão e realmente fez a diferença. Foi o modelo Air Frazer da dainese, realmente não é barato mas ela é muito ventilada e com proteções muito boas, nas zonas de maior impacto ainda tem um couro…

  3. Fala Bayer, blz? Tem algumas jaquetas de couro que tem entrada e saida de ar com ziper… Vc pode abrir nos dias de calor que circula um ar bem legal dentro dela…. isso sem perder a proteção em caso de queda.
    Mas a minha principal preocupação agora no verão é me proteger do sol. Caso ande de moto sem muita proteção, o sol queima a pele sem vc perceber, e ai já é tarde…. Abrç.

  4. Aqui no Rio, no auge do verão não tem jeito de colocar jaqueta, só mesmo para pegar a rodovia ou, no meu caso, pegar a Ponte. Fora do pico do verão (mês de janeiro) eu estou sempre com a jaqueta.

    Eu rodo de capacete aberto, sem viseira, óculos (capacete fechado apenas para a estrada, não tem jeito) e tenho um colete desses que o Bira-Itatiba deixou o link, comprado em uma viagem pelos EUA que saímos de Vegas a caminho de Milwaukee: funciona, mas não serve para aquele percurso rápido de menos de vinte minutos porque você vai chegar ainda molhado no destino.

    Sigo a risca a recomendação dos dois casacos (ambos de couro, sendo um ventilado para o verão) e da luva.

    E como já disseram antes: muito protetor solar.

    Para quem pode (e eu faço sempre que posso): saia cedo e volte tarde. Evite as horas mais quentes.

    Uma sugestão: usem o bom senso. Não adianta usar a “jaqueta a prova de tombo” e sofrer o desconforto com o calor. Nesses momentos, prenda a jaqueta com a aranha no banco do garupa e alivie a mão do acelerador: quanto menos protegido, menor deve ser sua velocidade.

  5. Na viagem que fiz pra Brasília, onde o ar é bem seco, prendi um suporte de squeeze no retrovisor (na época era uma Ténéré 250), sempre parava pra abastecer a moto e o squeeze com água gelada (naqueles bebedouros gigantes 0800). Com capacete escamoteável ou coquinho, assim que bater a menor sede, a água tá na mão, nem precisa parar 👌.

  6. Já usava o camelbak quando pedalava de mountain bike. Fazendo um Iron Butt resolvi levar e aprovei! É excelente manter-se hidratado com essas mochilas de hidratação. Sempre que parava para abastecer, comprava água gelada e abastecia. Se estiver muito quente, a água acaba esquentando, mas ainda assim é melhor beber do que ficar passando sede.
    Quanto ao colete de resfriamento, já comprei um mais ainda não tive a oportunidade de testar. Como moro em Curitiba vocês já devem adivinhar porque.

  7. No carnaval de 2015 passei um perrengue brabo aqui no Rio.
    Estava voltando da praia pelo segundo dia seguido, de moto e sem usar filtro solar. Indo embora, na Barra da Tijuca, asfalto pelando, eu já torrado, parei no sinal. Um ônibus de cada lado… comecei a passar mal. Tive que encostar e fiquei mais de 1 hora num subway. Enjôo, suando frio… não faço mais essas maluquices.

  8. Para quem vai trabalhar de moto todos os dias e tem que usar paletó e gravata esta é a época que mais tortura o peão. Formalidade inútil e desnecessária que não coaduna em nada com nosso clima tropical.

    Mas enfim…

    Não tem muito o que fazer. Eu coloco uma camisa regata padrão por baixo da camisa social, por mais anos 50 que pareça ela faz com que eu transpire menos e não me deixa amarrotado e por cima do paletó coloco uma jaqueta (de couro/courino/qualquer outra) para proteger e evitar de sujar principalmente o colarinho (pode parecer coxice, mas pega mal atender um cliente sujo – igual quando liguei minha antiga Shadow na frente de um cliente numa garagem e ela deu uma fumada tão grande que flambou todo mundo). Levo a gravata no bolso, sapato no alforge e a capa de chuva no banco de trás.

    Mas não tem nada que efetivamente alivie. Eu tenho tentado sair mais cedo de casa antes do que saio normalmente antes do sol estourar. Mas uma coisa que tenho percebido é que, quanto mais “encapotado” melhor é mantida a temperatura do corpo.

    1. Interessante seu depoimento Shadow… principalmente sobre usar camiseta por baixo da roupa de trabalho.
      Queria dar uma sugestão, porque não deixa pra trocar de roupa no serviço? Ou você está dizendo que vai visitar clientes de moto?
      Eu não uso roupa social, mas uso uniforme, porém vou a pé para o trabalho, uso uma camisa normal e levo meu uniforme na mochila com outra camisa por baixo (aqui faz 40 graus na sombra!!! Então SEMPRE uso camisa por baixo do uniforme)… Chego e troco de roupa no banheiro e pronto!!!

      1. Fala Delmon,

        Na verdade as duas coisas. Mas como o ambiente que eu trabalho é extremamente formal a ponto do insuportável, não é possivel fazer essa troca no banheiro do trampo, já tenho que chegar aqui com o “visual do trabalho”. E outra também, paletó é um pé no saco cara, não tem jeito de dobrar ele sem amassar aquela porcaria…então tem que ir no corpo.

        Um dia, um dia eu faço uma fogueira com essas roupas sociais e abro um bar hehehehehe

  9. No pico do verão no Rio, não consigo usar jaqueta de jeito nenhum.
    Mas o sol direto na pele é ruim.
    Comprei em uma loja de camping, uma camisa de manga longa com proteção para o sol.
    Funciona muito bem, pois o sol não queima a pele e dá uma sensação de refrescar a pele.
    Recomendo, ainda mais para pegar a estrada.

  10. O uso correto do Camelback permite que a água permaneça gelada por até duas horas . É tempo suficiente para uma viagem curta ,e se for longa dá pra reabastecer num posto com mais água gelada . Sem hidratação ,todos os outros cuidados são inúteis por que a falta de água afeta seu raciocínio e você pode provocar um acidente e se ferir .

  11. Tive uma jaqueta summer e no auge do verão carioca ia trabalhar de moto as 13:00 do subúrbio para a barra da tijuca de roupa social. Uma vez fui abastecer perto de casa no caminho do trabalho e um imprevisto me fez voltar em casa, quando tirei a jaqueta minha camisa estava ensopada a ponto de ter que colocar outra. Como não preciso da moto pra trabalhar, apesar de adiantar muiiito, no verão carioca eu evito usar.

  12. Po eu tenho uma jaqueta de moto, mas uso mais, só no frio e se for só de um ponto A para um ponto B e voltar. Essa praga é um saco, chega no lugar não tem onde colocar, não sobra pra colocar na mochila…parei. Só ando de gandola militar/tática, calça jeans, bota, luva e um shemag no pescoço (este aumento muito a sensação de conforto dimimuindo o calor, agora vou experimentar molhar ele um pouco). Se eu cair acho q to fudido. Mas é muito calor e as jaquetas são um trambolho. Isso tudo que eu uso, quando chego em algum lugar eu dobro e coloco na mochila. Abraço.

  13. Aqui no verao cada vez mais quente de sao paulo, uma jaqueta mais leve e com respiros ajuda. Mas tem q cobrir todono corpo, porque queimadura de sol com moto aco tece em menos de 10 minutos. Sempre ando com lenço no pescoço ate p evitar queimadura. Luva meio dedo e protetor solar. Uma vez queimei só o espaco entre a luva e a jaqueta no pulso, foi ridiculo kkk

  14. Ótimas dicas para o verão, além do vestuário citados uso a lã de carneiro no banco na minha moto, é confortável e não esquenta, principalmente se a moto fica exposta ao sol. No oeste do estado de São Paulo o clima é quente , beirando os 40º graus no pico do verão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *