A história de um resgate canino

Não preciso nem dizer que o Logan, meu boxer que inspirou este blog, deixou um baita buraco em casa quando ele foi embora (quem viu a minha despedida neste post aqui sabe do que eu estou falando).

Por isso eu gostaria de contar a história de um resgate de uma frágil vira-lata, que eu sei que muitos de vocês vão gostar.

Há exatos 2 meses, o meu amigo Ale Zanetti e sua esposa encontraram uma filhotinha de vira lata abandonada dentro de uma caixa. Ela havia sido largada para morrer, passando ao menos dois dias debaixo de uma forte tempestade que assolou São Paulo, enquanto sofria a ação dos elementos, passando frio e fome sozinha na rua.

Para um filhote que não estava nem em idade para desmamar, isso deixou a vida dela por um fio.  Foi levada imediatamente para o Hospital Veterinário Granja Viana, em Carapicuíba, onde se constatou que ela estava com uma pneumonia grave, sarna sarcóptica e suspeita de cinomose.

Essa era ela nos primeiros dias de internação:

img-20161021-wa0000

img-20161022-wa0008

Por mais de uma semana ela passou sob os cuidados do Ale e de sua esposa, que a visitavam todos os dias. O pessoal da clínica basicamente a adotou e fizeram de tudo para salva-la.

Ela foi se recuperando lentamente, muito frágil e sempre correndo alguns riscos. A pneumonia se recusava a ir embora, mas ao menos a cinomose foi descartada.

Mesmo depois de ter alta ela ainda teria que ter uma série de cuidados, como ser manipulada com luvas cirúrgicas (a sarna sarcóptica é transmitida para humanos e o caso dela era bem grave), tomar antibióticos religiosamente e ser monitorada de perto.

Ou seja: um grande esforço para salvar a vida dela, que poderia ter sido facilmente evitado se um babaca não a tivesse largada à sua própria sorte.

E porque eu estou contando tudo isso? Em primeiro lugar, para tentar conscientizar as pessoas que abandonar um cachorro não é legal. Muitos pensam que eles se viram bem sozinho nas ruas, mas isso é um mito, como o relato aí em cima comprova.

Mas principalmente para mostrar que nem sempre o mal vence nesse mundo tão difícil onde vivemos. Afinal, mesmo com isso tudo contra a pequena vira-lata, essa é uma foto dela depois muito cuidado e carinho, no dia que completou dois meses de vida:

img_20161127_155013

Parece outro cachorro, não? Dos parcos 2,1kg ao sair do hospital, ela pulou para 8kg e aparenta que vai se tornar um cão relativamente grande. Está extremamente saudável, correndo e brincando como se nada tivesse acontecido. Não dá pra estimar a origem, mas parece ser a cruza de um vira lata com algum parente próximo do PitBull.

E como eu sei de tudo isso? Porque felizmente a Mel, como ela foi chamada pela minha filhinha, é a nova mascote aqui do Old Dog Cycles e se recuperou na minha casa.

Esse é ela nos primeiros dias, ainda com muita sarna, investigando seu novo território:

dsc_0902

E também fazendo novos amigos, enquanto ainda tinha que ficar isolada:

img_20161029_000357-600x4982

dsc_0844-nef

Sem falar na valente CUB comprando ração, na tentativa de fazer uma surpresa pra minha família e deixar tudo pronto sem precisar pegar o carro da esposa:

20161026_202009-1

Em breve a Mel vai completar seu calendário de vacinações, que teve que ser adiado por causa da baixíssima imunidade, e vai poder passear feliz por aí. Se algum dia você se encontrar com a gente, lembre-se do tanto que essa pequena precisou sofrer só porque alguém decidiu que não queria mais um filhote.

Se isso não servir de lição para os babacas que fazem isso, que pelo menos sirva de inspiração para quem gosta de cães.

dsc_1401

dsc_1474

34 ideias sobre “A história de um resgate canino”

  1. Salve Bayer.
    Não da pra entender uma atitude descabida dessas de abandonar um filhote, é muita desumanidade.

    Linda a Mel, que ela lhes traga muitas alegrias e paz, tenho certeza que ela sempre será correspondida na sua família.

    Abração

      1. A cor e o formato do olho não enganam, tem mistura de bull terrier, sou criador e participo de encontros de bulls, te falo com certeza!

        Abraço e parabéns pela Mel!!!

  2. Parabéns pela atitude!

    Fizemos o mesmo aqui em casa, adotamos uma dog que não era muito novo, o que dificulta a adoção, porque ninguém quer um dog que Vá cedo! Mas alguém precisa dar amor certo? Nós daremos até o fim!

    Minha esposa sempre diz, que quem tem bicho de estimação tem um coração Maior que dos que não tem. Porque? Simples, nós não substituímos o lugar do Animalzinho que já se foi, nós arrumamos espaço para o novo, assim aumentando nossos corações.

    Este que está com nós agora também tem seu lado Terrier, mas quase impossível saber se é um Schnauzer ou Fox.

    Abração!

    Vida longa aos Vira – Latas (de espirito e os de verdade)

  3. Demais! Aqui em casa temos 2 cães, sendo que um deles tb foi adotado.
    Ela chegou aqui em casa assustada e com medo de tudo (sofria de maus tratos com o antigo dono antes de ser resgatada) e hoje é só alegria e carinho com a gente!

  4. É o tipo de história bacana. O mundo está com muita coisa invertida. Os valores se foram.
    No último sábado o pessoal da empresa em que trabalho foi entregar os presentes que compramos para algumas crianças carentes. Por conta da minha barba, me convidaram para ir e ser o papai noel. Neste ano não fui de moto. Mas não precisou. As crianças ficaram em polvorosa, gostaram muito. Não gastei nada ali no sábado a não ser tempo, o que é o bem mais precioso. Mas dizer que gastei é mentira. Eu investi o meu tempo para fazer algumas crianças mais alegres, algumas delas até se esqueceram do presente ali no momento. E o retorno, assim como você teve com a Mel, foi carinho, afeto.
    O mundo pode ser bem melhor.

    1. As pessoas que vivem em abrigos, asilos ou creches, a maior necessidade é de carinho, afeto e atenção…
      Sou Coordenador de um Grupo de Voluntários aqui do trabalho e sempre fazemos algo em prol desse povo!!!
      O sorriso deles “sempre” é o melhor pagamento, sempre… ;)

  5. Meu caro Bayer, cheguei aqui no Old Dog depois de ver a postagem sobre o Logan, e num lugar onde há amor por cães e moto não é lugar de ir embora, e tô aqui até hj. Tb tenho um buraco enorme deixada pela minha pitbull que se foi e hj tenho duas vira latas que cruzaram meu caminho, uma atropelada e outra quase morta com pneumonia. Tolo de quem pensa que foram nós que ajudamos esses cães, sorte foi a nossa deles terem aparecido. Boa vida a sua nova mascote e felicidades a sua família. Os cães são reflexo dos donos, assim como vc disse que o Logan tinha um coração gigante, é porque o seu assim também é! Abraços irmão!

  6. Cara aqui em casa temos 5 cães, sim 5, pois sou louco por esses parceiros, sei que vai parecer um baita exagero, mas assim como chorei de tristeza com a partida do Logan, (apesar de nunca ter conhecido ele) também me emocionei com a história da Mel , que ela tenha saúde pra retribuir com amor e muitas lambidas os cuidados que está recebendo, abraço eu velho!

  7. Bayer, senti a necessidade de comentar pra dizer que me emocionei com esse Post. O suor nos olhos foi inevitável.
    “…principalmente para mostrar que nem sempre o mal vence nesse mundo tão difícil onde vivemos.”
    Parabéns pela história e pela nova companheira.
    Abraço

  8. Bayer, que foda essa história…
    E por incrível que possa parecer, também vivi este mesmo momento que você está vivendo agora, e também por coincidência a cadelinha que salvamos (se é que posso dizer assim) também se chama MEL e é uma cadelinha… Muita coincidência, puxa…
    Cara, me emocionei de verdade com a sua história…
    Bom, em 2016 mudamos pra uma casa, e conseguimos realizar este sonho (não é a minha “ainda”), mas no outro dia adotei uma cadelinha de um grupo de amigos de cães daqui, dizendo que ela estava vermifugada e vacinada, teoricamente estava sadia, mas…. :( passados 2 semanas comecei a perceber alguns sintomas nela e resolvi levá-la à veterinária… 4 tipos de doença, fiquei injuriado com o pessoal, e daí comecei a minha luta para resgatá-la, enfim… É uma longa história, depois eu posto a foto do antes e depois no meu face…
    Grande abraço irmão e parabéns, ela é LINDA demais… ;)

  9. Adotei três bichos já, duas gatas e uma cadela.
    A primeira gata peguei já adulta, foi abandonada logo depois de dar a luz, provavelmente junto com a ninhada, pois ela estava com as “tetinhas” grandes e muito magra. Ela foi parar sozinha no meio de algumas plantas na frente da casa da minha noiva e um ano depois começo a ver uns gatos lá na volta muito parecidos com ela.
    A segunda gata foi abandonada filhote, estava em cima de uma árvore muito assustada e com as unhas arregaçadas de subir em muros e fugir de cachorros na rua, depois de uns dias ouvi dizer que ela junto com outros filhotes estavam sendo tocados pela rua, uma ninhada inteira de gatos abandonados.
    Quanto a cadela, o ultimo dono dela morava no campo e apesar da Fumaça ser muito dócil (até por causa da raça, Ovelheiro Gaúcho), ela andava com más influencias câninas. Começou a matar junto com o outro porcos e ovelhas e o cara ia matar ela junto com o outro, mas acabei adotando pois já a conhecia quando pertencia a outra pessoa na cidade e sabia que ela era completamente dócil em outras condições (as más companhias hahahaha).
    E, bom, fiquei até com vergonha agora pois eu achava que era “fodão” por carregar um saco de ração de 9 kg dentro da mochila e mais compras dentro do baú de uma Biz 125. Se tivesse confiança de andar com o pacote ai sem deixar cair, rolava até fazer as compras do mês! Hahahahahaha

    Ps. Parabéns cara, hoje em dia são poucos os que tem esse tipo de atitude.

  10. Como é bom ler uma história REAL como está e chorar sem vergonha de forma contida no banco de trás do Uber (moto está na oficina).
    Parabéns Bayer. Em tempos onde contar que gastou “x” mil para comprar um cachorro da raça “y”, ver algumas pessoas investindo um bom dinheiro para salvar um vira-lata é comovente e inspirador.
    Um abraço.

  11. Parabéns pela atitude. Ler um relato assim me deixou com um sorriso verdadeiro aqui no trabalho. Tenho história parecida com a minha Eva. Uma vira latinha abandonada numa caixinha com menos de 2 meses. Hoje ela tem 8 ano e 25kg(e isso que não é gorda), mas é a bebezona de casa. Novamente parabéns!

  12. Bayer,

    Chico xavier tem uma história que diz que quando um amigão (cachorro), se vai, ele volta como outro amigão. Procure essa pregação, vai se emocionar. Aqui em casa temos o Zig, ele foi abandonado com dois meses na rua, minha esposa encontrou numa tarde fria de muita chuva. Pouco mais de um mês depois do Floppy, um podle de 16 anos ter partido. Tenho uma Ténéré, ele já conheçe o ronco do motor, e corre pro portão e fica enlouquecido!
    Parabéns pela nova filha, que traga muita alegria e muita bagunça…

    Ps. O Zig Adora gelo, experimenta dar pra ela neste dias quentes, ela vai adorar!

    Lembeijos do Zig

    Jeferson & Luciana

    1. Jeferson, tenho uma Tenere também. Os daqui de casa já sabem que estou chegando quando estou na entrada do bairro e olha que moro no final da rua.

      Bayer, tenta fazer uns picolés de banana ou manga. Bate a fruta com um pouquinho de água (sem açúcar) e congela. São frutas que não fazem nenhum mal (desde que o consumo seja moderado) e normalmente eles adoram.

  13. Cara, esse é o tipo de história que me faz acreditar que ainda existe salvação para a humanidade. Sou suspeito pra falar, pois tenho um histórico com resgate de cães abandonados. Tive alguns finais felizes e outros nem tanto, o que me deixa muito emocionado ao ler o post. Parabéns meu camarada pela atitude e que sirva de inspiração para as pessoas. Tem muitos cães legais por ai na rua. Se pudesse, aparecia com um todos os dias em casa, rsrs.
    Grande abraço e vida longa à Mel!

  14. Fala, Bayer!
    Não entendo como tem gente que consegue maltratar ou deixar pra morrer. Eles são os seres mais fiéis que encontraremos em nossas vidas.
    A história e as primeiras fotos me deixaram bem chateado, mas depois que vi como ela ficou linda e saudável bateu o alívio.
    Essas criaturinhas são capazes de enfrentar muita coisa ruim e continuar vivendo como se nada tivesse acontecido, só precisam de carinho e cuidados.
    Não existem cachorros ruins… Existem donos ruins.
    Tenho certeza de que ela será uma excelente companhia. (=

  15. Bayer,
    Estava meio afastado do site por conta dos afazeres diários!!

    Cara parabéns pela iniciativa e pela coragem de enfrentar o desafio de salva a vida da pequena Mel!!!

    Tem mais ainda Meu Respeito!!!!

    Carlão

  16. Fala Bayer!

    Já tinha visto a Mel no Instagram mas só agora li a história dela, que legal, parabéns… Que traga muita felicidade a você e sua família… Também adotei uma cadela a uns três meses, já velinha, abandonada, porte grande, coisa mais linda, minha filha de 2 anos é apaixonada por ela, mudou nossas vidas…

    Grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *