Cena triste

Parece bobagem, mas essa cena é muito representativa não apenas do nosso trânsito, mas também do nosso país. Foi postada pela Rádio Band mostrando o que aconteceu quando o farol que liga duas vias importantes da cidade São Paulo quebrou.

Imediatamente começa o pega pra capar, com todo mundo querendo passar. O resultado? Quando todo mundo quer levar vantagem, ninguém sai ganhando.

 

16 ideias sobre “Cena triste”

    1. Eu trabalhava em um prédio nessa esquina, eu mesmo cheguei a fotografar duas vezes essa cena após uma chuva forte (que sempre detona os semáforos na região).

      No último sábado, em um dia de trânsito leve, o mesmo cruzamento ficou sem luz e um caos parecido surgiu. Em… um… sábado.

    1. Wandeko, é o estaciona que está onde era o posto Ipiranga.

      Eu preciso achar, tenho fotos iguais de quando eu trabalhava na Horácio e minha mesa dava vista pra essa esquina.

  1. Desculpe Bayer, é triste mas eu ri.

    1 – só demonstra essa cultura tosca do paulistano de pegar o carro, muitas vezes sozinho, para ir até na esquina de casa comprar pão.

    2 – Chancela o egoismo no trânsito, não pode desligar uma luz que o pessoal já acha que está na corrida maluca, todo mundo quer passar de uma vez, (ou passar a perna em alguém no trânsito) e…da nisso.

  2. Sp ta fora da realidade… cidade de pessoas egoístas, egocentristas, chulas, alienadas, medíocres e mesquinhas… uns poucos se salvam…

    o transito reflete bem…

  3. Uma das coisas que mais me deixam tristes em relação ao meu trabalho, é quando tenho que viajar para SP ou RJ. Sinceramente, são cidades que me fazem gostar cada vez menos da vida urbana. O tempo gasto para deslocamento dentro destas cidades chega a ser surreal, fora os riscos de alagamento, furtos, roubos, sequestros, dentre outros. Claro que não posso generalizar, sem duvida, uma vez que todas as cidades grandes estão ou são passíveis de tais infortúnios. Moro em Curitiba/PR, gasto aproximadamente 20 min de moto e 30 de carro para ir de casa ao trabalho (vice-versa). Ja tive diversas proposta de ir para SP, RJ, Manaus, dentre outras, contudo acho que cada vez mais eu quero ir para o interior. Sou de uma pequena cidade de Santa Catarian, na qual sempre em minha adolescência ansiava por deixar, contudo hoje vejo que cada vez mais, me pego pensando em voltar para um dia, quem sabe em breve, quem sabe nos próximos anos. Não sei o que esta acontecendo com o mundo, só sei de uma coisa, para porque eu quero descer!!! Grande abraço!

    1. Te entendo. Morei 5 anos em Ctba. Gostava de lá, mas perdia mto tempo quando saía do trabalho e tinha que pegar a Mal. Floriano as 18h. Na época eu tinha carro e não moto.
      Fazem 8 anos que voltei pra minha pequena cidade no interior de SC e daqui não quero sair.
      Estive em SP domingo e segunda em uma reunião no prédio da BM&FBovespa, ou seja, bem no meio da cidade, dirigi por lá e tive mais certeza que é aqui que vou ficar pelo resto da vida.
      Não levo 5min para vir de casa para o escritório. O único problema é que não dá tempo de esquentar o óleo do motor da moto.

      1. Cesar meu caro, realmente ter a opção/possibilidade de poder fugir deste caos urbano, nos dias de hoje, podemos considerar um luxo. Gosto muito de Curitiba/PR, cidade que vivo desde que me formei na faculdade, minha filha nasceu aqui, cresci profissionalmente aqui, tenho muitos amigos, dentre outros. Esse trecho da Marechal, se vc pegar de ponta a ponta, cruzando a cidade, realmente é de morrer. Eu moro na água verde e trabalho no cajuru / cidade industrial, e o mais engraçado é que eu não gosto de usar a linha verde. Muito dos acidentes que envolvem motociclistas em Curitiba são na linha verde. E outra coisa que me deixa puto de mais é quando se forma o corredor de motos e um tenta ultrapassar o outro, mesmo não havendo espaço. Com a Fat na linha verde, eu praticamente ando como um carro, (claro que também uso o corredor), mas não sou um fdp que fica travando o mesmo, e deixo livre p/ os motokas passarem…
        Gosto muito de viajar de moto para a minha cidade natal, em SC. O mais engraçado é que como não tem muitas motos grandes, o pessoal vem pedir p/ tirar fotos, perguntar de onde vc é, se a moto é boa, manutenção etc,,,,coisa de cidade pequena. Gosto quando estou lá, de tomar chimarrão com meus pais na frente da casa, vendo o movimento, conversar até tarde da noite nos dias quentes. Tomara que um dia, eu possa voltar! Grande abraço meu velho!

  4. Só nesta frase você já matou tudo…
    “..Quando todo mundo quer levar vantagem, ninguém sai ganhando…”
    E sim, acredito nesta imagem, pois pásmen, já vi isso acontecer aqui na minha cidadezinha… Não é privilégio dos paulistanos, tem muitos lugares com “pessoas?!” assim, pode acreditar…

  5. São Paulo é a cidade dos negócios, inclusive o maior mercado motociclistico. Sinceramente o ideal seria esvaziar a cidade em pelo menos 50% o numero de pessoas. E dividir esse povo entre os mais de 5.000 municipios do Brasil;

  6. O pior é que esse tipo de coisa tá começando a acontecer no interior tbm, cidades de médio porte na Bahia, inclusive na qual eu morava já tem e tiveram engarrafamentos até de motos em vias importantes. Isso só reflete não só o egoismo mas a falta de educação e capacitação no trânsito. Muitos decoram as regras pra passar no exame teórico e esquecem ou ignoram na prática do dia-a-dia no trânsito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *