Polícia identifica motoqueiro que andou a 400km/h na Anhanguera

A pessoa que faz isso quer plateia, quer aplausos. Infelizmente, a gente vive em uma sociedade onde muita gente incentiva esse tipo de comportamento. Um like no Facebook, um novo inscrito no YouTube, um comentário positivo é tudo o que a pessoa precisa para se sentir realizada e fazer isso mais vezes.

O mais engraçado é que esse tipo de peripécia geralmente funciona assim: quando o cara faz e nada acontece, está cheio de gente para comentar na internet que ele pilota muito. Quando dá uma merda, o cara é um cabaço.

Essas pessoas precisam botar na cabeça uma coisa: até o Valentino Rossi sofre acidente e cai da moto. Os melhores pilotos do mundo já sofreram acidentes. Vários morreram. Um boçal que faz isso na rua, está simplesmente brincando com a sorte, não importa a habilidade dele. E o pior: está colocando outras pessoas em risco.

Porque quem acha que em caso de acidente de moto só o motociclista se ferra, precisa ver o que acontece quando uma moto a 160km/h se choca contra um carro:

Você tem todo o direito de querer se matar ou de botar a sua vida em risco. Só não tem direito de fazer isso onde possa levar alguém junto com você.

Um comentário de um usuário postado nesse vídeo resume bem a situação:

Aqui o pessoal solta balão, empina pipa com linha de cerol, fura a fila, não paga a quem deve e anda de moto pedindo pra morrer. Daí quer exigir político honesto? Se liga, o país tá como está por causa disso.

27 ideias sobre “Polícia identifica motoqueiro que andou a 400km/h na Anhanguera”

  1. E ainda tem outra coisa … quando um puto desses vem alucinado, nós que andamos “na boa” temos grande possibilidade de sermos atingidos. Se quiser se matar, que vá só. Se quiser correr, vá para pistas.

    1. O foda é achar pista pra correr. Não tem. Eu gosto de velocidade, apesar de nunca ter tido moto grande, acelero com o que dá pela madrugada em avenidas e BR nas baixas cc mexidas. Se não tenho acesso, eu faço o acesso, mas deixar de viver o que ama não rola (Vide o filme baseado em fatos “he world’s fastest Indian”). A vida é um risco pra tudo e todos.

      1. Eu também gosto de velocidade, e bastante. Sabe outra coisa que eu gosto? De atirar, e clube de tiro é caro. Mas é o que me dá prazer.

        Já pensou se, por achar clube de tiro caro, eu começo a sair atirando de doze por aí?

        É o mesmo princípio.

      2. Já morei em Brasília e Curitiba, nas duas tem autódromo com trackday para carros e motos, e mesmo assim o povo continua acelerando e se matando na rua. Quem quer fazer o certo vai e faz, quem não quer fica arranjando desculpa.

    2. Certo dia, eu e um grupo de amigos estávamos justamente na anhanguera fazendo uma viagem tranquila, curtindo as motos e a paisagem. Daí um engraçadão desses do vídeo, só de palhaçada, resolveu passar a milhão por nós. Insatisfeito em só fazer essa zoada, o infeliz, me resolve passar entre dois de nosso grupo e quase provoca um acidente muito feio. Seriam 5 potenciais vítimas ( meus dois amigos, suas esposas e o sujeito) por uma imbecilidade dessas de querer se mostrar.

  2. Além da indescritível imprudência do piloto, algo que me deixa muito triste e preocupado é o tanto de comentários elogiando o cara, chamando de foda, de “o cara”, etc.

  3. Não sei o que me desanima mais….
    – saber que tem gente que faz essas coisas, sem se preocupar com o pior
    ou
    – pessoas que insistem em achar que isso é certo, é normal

  4. O comentário do marks ilustra bem essa realidade: eu gosto de correr e quero correr, então fodam-se as regras e a sociedade, meu prazer é mais importante do que tudo e todos na minha volta….
    A resposta do bayer foi ótima!!

  5. Podemos fazer uma campanha igual a dos maços de cigarro: toda vez que alguém colocar um vídeo desses, a gente enche a TL dele de fotos de acidentes iguais a essas aí de cima

  6. Espero que a polícia prenda o cara ,e um juiz sensato ( coisa difícil nesse país ) ponha ele fora das pistas por alguns anos . Esse tipo de comportamento deveria ser considerado como tentativa de homicídio.

  7. Cadê o governo abrindo os Autódromos ao publico comum? falta isso pra caralho, não tenho onde gastar meu espírito de emulação sem por a vida dos outros em risco!

    1. Seguindo o comentário do Bayer:
      Cadê o governo abrindo os Clubes de tiro ao público comum?
      E pq não?
      Se para a sua diversão vale, pq não para a dele?
      Será que o governo, que já não faz sequer o básico, nos esfola e se mete demais em tudo deveria entrar nessa história?
      Ou deveríamos ser homens adultos e arcar com os preço do que gostamos e se não pudermos, correr atrás ou simplesmente engolir o choro?

  8. Acho que seria simples resolver isso. A moto, carro também, deveria ser apreendida e, depois do devido processo legal, ir a leilão e o sujeito ter a carteira cassada por 5 anos. O veículo tem que ser desapropriado do cara. Provou que é pega, racha, etc., perdeu o veículo.
    Só que nesse país a propriedade privada é mais sagrada do que a vida das pessoas.
    É por isso que não viajo de moto. Se assistirem o Canal Road Garage do YouTube verão que o FilipeC desvia de latas de cerveja que jogaram pela janela, que é ultrapassado pelo acostamento e que ele teve que ir para o acostamento para não dar de frente com uma carreta. Vivemos no caos, anarquia e selvageria.
    Se assistirem o YouTube verão que há problemas de trânsito no mundo todo. Mas lá o sujeito não sai impune.
    Aqui em Brasília 3 motoristas fazendo pega, todos alcoolizados, um deles atingiu e matou um pai de família e seu filho. O cara que atingiu, advogado, se evadiu do local. No outro dia se apresentou à delegacia e foi liberado. Todos os 3 continuam dirigindo e… levando multas por excesso de velocidade.
    No mesmo dia um cara podou uma árvore. Foi preso em flagrante e continuou preso porque é crime inafiançável.
    Que sociedade é essa?
    Nosso trânsito é o 3° mais violento do mundo, atrás da China e Índia. Temos estatísticas de guerra no nosso trânsito.
    Mas como disse o Bayer, o trânsito, a política, a economia, são todos reflexo do Brazilian Way.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *