Arquivo da categoria: Choppers

Mas afinal, o que são bobbers e choppers?

Chopper e bobber são dois termos capazes de gerar grandes discussões entre os apaixonados por motos, dada a desinformação e aos mitos que foram criados sobre as origens desses dois estilos. Para piorar, a internet e algumas revistas “especializadas”, muitas vezes misturam a origem e a função desses dois tipos de moto.

Bobbers, onde tudo começou

Uma Harley UL Flathead 1946 bobber de época.

As bobbers surgiram na década de 40, logo após a segunda guerra mundial, quando milhares de soldados que retornavam para suas pacíficas vidas, encontraram a emoção que a camaradagem que eles procuravam na motos.

Foram eles que criaram as primeiras bobbers: motos em sua mais pura essência, onde todo o supérfluo é retirado para deixá-las mais leves e rápidas. As customizações eram feitas na garagem de casa, com ferramentas e materiais simples, usando como base as motocicletas excedentes de guerra. Nelas, eram retirados os pesados paralamas, proteções, luzes indicadoras e, ao contrário das choppers, o quadro da moto era mantido original.

Segundo o Big Sid, a moda tomou força nos anos 50:

Quando as motos britânicas começaram a chegar no mercado Americano, a moda das bobbers tomou conta de vez. As motos britânicas eram mais rápidas, em parte porque eram mais leves, e elas começaram a vencer rachas e corridas na terra. No desespero, donos de Harleys e Indians começaram a modificar suas motos, tirando o máximo de peso possível para se manterem competitivos. Segundo Sid, bobbing era um termo usado em corridas de cavalo, onde os treinadores cortavam (to bob) o rabo de um cavalo.

Fonte: Biberman, Matthew. Big Sid’s Vincati: The Story of a Father, a Son, and the Motorcycle of a Lifetime.

Algumas das características mais comuns das bobbers dessa época eram a ausência ou a redução ao extremo do paralama dianteiro, o banco solo, o estilo minimalista, sem cromados ou adereços desnecessários, e as rodas dianteira e traseira de mesmo diâmetro para favorecer a ciclística.

Surgem as choppers

Nos anos 60 começaram a surgir as primeiras motos com o garfo alongado, e algumas pessoas acreditam que elas foram feitas para terem mais estabilidade em altas velocidades nas longas e retas estradas americanas. Se é ou não o caso, a verdade é que em pouco tempo um frenesi tomou conta e uma nova subcultura surgia. O desempenho deu lugar para a estética, e a forma se tornava mais importante que a função: começava a era das choppers.

Garfos longos, muitas cores, cromados e nenhum freio dianteiro. Uma típica chopper dos anos 60.

Assim como as bobbers, as choppers possuiam apenas o básico para funcionarem, e um nome também com uma origem similar. Bobber vem da expressão “deixar mais curto” (to bob, em inglês) enquanto chopper vem do verbo “cortar” (to chop, em inglês).

Mas o minimalismo era a única coisa em comum entre as duas tendências. As choopers não seguiam o visual moderado das bobbers, e entram em cena as cores psicodélicas, os cromados em abundância e os longos garfos dianteiros, que tornavam os freios dianteiros inviáveis, e por isso eram removidos. Infelizmente, a busca por um garfo cada vez mais alongado, aliado a soldas caseiras e o desconhecimento sobre as propriedades do metal, ceifaram a vida de muitos entusiastas na época. Não era incomum ouvir histórias sobre motos que simplesmente se partiram ao meio.

Surgiam também os adereços elaborados, feitos a mão, bancos colados no quadro, os comandos avançados e os guidões com os mais diferentes formatos. Os quadros dessas motos eram bastante modificados, sendo muitas vezes fabricados do zero.

Mas enquanto as bobbers eram um fenômeno típico das motos americanas, as choppers não possuíam nacionalidade. Motos europeias eram comumente convertidas, algo que começou a acontecer também com a chegada das japonesas nos anos 70.

Bobbers e choppers hoje

Nos anos 80 a febre das choppers foi deixada de lado, mas voltou com força total no final dos anos 90 graças aos programas de TV como Motorcycle Mania, de Jesses James da extinta West Coast Choppers, chegando finalmente ao mainstream com a novela pai e filho “American Chopper”.

As bobbers recentemente tiveram um novo boom, mas dessa vez seguiram o caminho das irmãs choppers. O público que procura por velocidade e motos customizadas se voltou para as modernas streetfighters, enquanto que os fabricantes de bobbers passaram valoriza-las pela estética. É o nascimento da retro-bobber e da chopper-bobber.

Desempenho ou estética? Um pouco de cada, e às vezes nenhum dos dois.

Agora você já sabe a origem histórica de ambos os modelos, pode tirar suas próprias conclusões sobre o que é ou não uma chopper e bobber da próxima vez que a discussão surgir na mesa do bar. Porque esse é um assunto que tem muito mais achismo e mitos do que qualquer outro que envolve a kustom kulture.

Europa quer banir Choppers

Não é nenhuma novidade que o novo mundo, com suas ruas estreitas e estradas sinuosas, nunca foi afeito as estradeiras americanas. Apesar do relativo sucesso que elas conquistaram na Europa, elas nunca chegaram perto de ser maioria. É por isso que a Harley criou motos como a XR1200 pensando naquele mercado, feita do jeito que os Europeus gostam: ágil e com personalidade.

Mas agora eles estão levando isso longe demais. Em conjunto com as novas regulamentações européias que pretendem obrigar que todas as motos possuam ABS, limites mais baixos de emissões, além da proibição de qualquer modificação no motor para gerar mais potência, o parlamento Europeu está considerando proibir motos com garfos longos a partir de 2014.

Como diria o soup nazi do Seinfeld: “No chopper for you, mister.”

Frisco Angels

No vídeo aí em cima você pode conferir um pouco mais das “Frisco Style Choppers”, estilo difundido pelos Hells Angels de São Franscisco. A idéia é deixar a moto pronta para um estilo de pilotagem mais agressivo, com comandos centrais e tanque com mais capacidade.

O Lord of Motors postou esse vídeo apenas com um comentário que diz tudo:

3:05 – Comando avançado de cu é rola.