Arquivo da categoria: Dicas

Pilotagem das Harleys e Cruisers

 (Não tem muito a ver com o tema, mas um David Mann para ilustrar um post nunca é demais)

Uma das coisas mais perigosas em pilotagem é o achômetro: você acha que a técnica está certa, ensina para um amigo e logo aquilo vira um mito entre o seu grupo. Por isso seguem algumas fontes interessantes sobre pilotagem de motos, mais focadas em grandes cruisers (em inglês):

Olhe para onde você quer ir e não para o que você quer evitar.

Esse é a dica número 1 em cursos de pilotagem de motos e de carros. É o mais básico, mas infelizmente muita gente não conhece. Muda completamente a sua forma de pilotar depois que você coloca em prática.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-headeyes.shtml

Estabilizar a moto em baixa velocidade

A dica de usar a zona de fricção da embragem enquanto se pressiona o freio traseiro levemente é muito boa. Às vezes faço isso em corredores mais apertados, a moto fica muito mais estável. Mas também é um bom jeito de acabar com a sua pastilha traseira rapidinho.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-slowspeed.shtml

Retornos em U

Uma manobra simples, mas que muita gente não domina. Quantas vezes você já não viu o dono de um cruiser, especialmente os donos Electra Glide, apanhando para fazer um retorno? Fazendo corretamente, você faz o retorno inteiro raspando as pedaleiras sem susto.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-uturns.shtml

O arrastador de pés

Ok, eu era um quando comecei. Mas isso foi há muito tempo, e eu vou negar até a morte.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-footdragger.shtml

Twist of The Wrist II

A bíblia. É tão popular que existem até versões escaneadas em sites de torrents. O foco é em motos touring, mas as dicas em sua maioria são universais. Há pouco tempo foi lançado um DVD com as lições, muito mais interessante que o livro.
http://www.amazon.com/

Vídeos

http://www.youtube.com/watch?v=Csf3OmGD8UE
http://www.youtube.com/watch?v=6ZU12njTIqI
http://www.youtube.com/watch?v=bWaq0zOaAVU
http://www.youtube.com/watch?v=d9i6JxSI9rA

Agora bota essa moto pra rodar direito.

(Se você acompanha o blog por um leitor de RSS como o Reader, deve ter visto esse post duplicado. Infelizmente a versão anterior era apenas um rascunho copiado de um post que eu havia feito em um fórum. Não era para ter sido publicado, pois estava uma merda. Mal aí.)

Temperatura dos motores Harley Davidson

É fato: a temperatura das Harleys com o Twim Cam 96 fazem você suar mais do que uma prostituta na igreja. Desde 2007, a injeção eletrônica desses motores é programada para funcionar com uma mistura pobre de combustível, para que possam atender às novas legislações ambientais. E quando digo pobre, quero dizer miserável mesmo.

Os motores da HD são naturalmente mais quentes, já que são refrigerados a ar, e a mistura pobre tende agravar isso, já que a gasolina dentro do cilindro é um dos fatores que ajudam a resfriar um motor. Por isso, os proprietários desses modelos costumam reclamar da sensação de “ovos cozidos” quando ficam presos no trânsito.

Outro agravante é a troca do escapamento e filtro de ar por modelos menos “restritivos”.  Isso torna a mistura de combustível ainda mais pobre, e faz com que a moto perca desempenho, esquente e, em casos extremos, tenha sua vida útil reduzida.

A solução é regular sua injeção eletrônica. Mas como? Felizmente, existem diversas opções para resolver o problema:

  • Enriquecedor Regulável: Sem dúvida a opção mais econômica. O Enriquecedor regulável é um produto 100% nacional, feito pela Pigster, com base nos Xieds, muito comuns lá fora. É um pequeno aparelho que se conecta nos sensores de oxigênio da moto, enganando a injeção para que ela coloque um “teco” a mais de gasolina. Por ser regulável, costuma agradar a maioria dos proprietários que fazem alterações mais comuns, como trocar a ponteira e o filtro de ar. Usei a versão sem regulagem, e não tenho do que reclamar, a queda de temperatura é sensível. O inventor, o Porcão, é também o responsável pelo Fórum HD, um cara bem bacana e sempre pronto a ajudar. Custo benefício imbatível, recomendo.
  • Dobeck: Pouco conhecido no Brasil, é o que estou usando no momento. Assim como os Xieds, também engana a injeção eletrônica, mas por ser conectado em mais sensores, consegue atuar em diversas faixas de rotação do motor, permitindo uma regulagem mais ampla. É relativamente fácil de instalar, basta seguir as instruções do manual ou do site. A regulagem é feita com uma chave de fenda, girando um pequeno dial para cada faixa de rotação. Foi desenvolvido por um dos criadores do Power Commander. Custa menos que o FuelPak e fica sempre preso na moto.
  • FuelPak: Basicamente o mesmo princípio de funcionamento do Dobeck. É fabricado pela Vance & Hines, por isso já vem com uma tabela com várias sugestões de regulagem para escapamentos da marca. Mas é um sistema flexível, pode ser usado com qualquer escapamento e filtro. Também fica sempre preso na moto.

Se você quer diminuir a temperatura do motor ou manter o funcionamento correto da injeção após trocar o escapamento e filtro, pode ficar com uma das opções acima sem medo. Com o acerto correto de injeção, a moto fica muito mais agradável de pilotar.

Mas se você pretende ir além, ganhar mais cavalos, fazer modificações mais profundas ou simplesmente tem mais dinheiro para gastar, existem opções mais completas:

  • Power Commander: Assim como os anteriores, também é um módulo “piggy-back”, ou seja, vai ficar sempre preso na moto, roubando o sinal da injeção e o enganando. É mais avançado, permite ajustes da ignição, o que amplia as possibilidades de performance. É regulado utilizando um computador conectado a ele, o que permite a instalação de mapas já prontos. É um dos mais populares, especialmente entre os donos de esportivas.
  • Screaming Eagle Pro Super Tuner (SEST): É a vedete de muita gente, tem coxa que compra só para diminuir a temperatura do motor. Ele efetivamente remapeia a injeção, nada fica preso na moto. Permite completo ajuste da injeção, inclusive da marcha lenta, o que pode deixar as injetadas com um som um pouquinho mais próximo do “potato potato” das carburadas. Custa caro, mas é ótimo e bem difundido nas oficinas por aqui. Algumas pessoas já conseguiram ativar o “parade mode” das tourings em outros modelos com ele.
  • Thundermax: O super trunfo deste post. Um sistema completo, você simplesmente retira a sua central e injeção original da moto e a substitui completamente pelo Thundermax. É como botar a Skynet dentro da sua Harley. Custa a sua vó, a sua tia, e mais um pouco.
Obviamente este post é apenas um ponto de partida para a sua decisão. Pesquisando no Google você vai achar muita informação sobre cada um deles. Escolha bem e não caia no papo de que “este é melhor que aquele”, pois esse é um assunto que já está parecendo torcida organizada, tem gente que discute calorosamente por causa disso. Cada um tem suas vantagens e desvantagens, decida o que é melhor para você, para o seu bolso e para suas expectativas. 

Medidas de pneus e guidões originais da Harley

Duas tabelas que são bem úteis para quem está customizando a sua HD, e está procurando por opções de rodas e guidões de outros modelos para colocar na moto:

– Medidas de vários guidões originais, incluindo pullback: http://www.sideroadcycles.com/AmericanMotorcycles/Handlebars/Stock_Bars.html

– Medidas da largura de várias rodas e pneus originais, incluindo a medida máxima que pode ser colocada naquele modelo sem alterações:
http://www.hdwheels.com/Product.htm

Pilotagem de Harleys e motos custom

Não existe muita literatura em português sobre pilotagem de motos. E quando o assunto são motos “custom”, o funil fica ainda mais estreito. Percebi isso quando um grande amigo comprou uma moto e me pediu algumas dicas.

Em inglês, temos excelentes livros sobre o assunto, como a bíblia da pilotagem “A Twist Of The Wirst 2”, do Keith Code que, apesar de ser voltado para esportivas e tourings, possui conselhos que podem ser aplicados para qualquer tipo de moto.

Acredito que isso acontece pois a cultura motociclística sempre teve uma transmissão de conhecimento mais informal no Brasil. Antes, muitos aprendiam a pilotar em cinquentinhas e DT’s com um amigo, pai ou irmão mais velho. As ruas eram tranqüilas e você ia pegando o jeito dando um rolê aqui e outro ali, para depois subir na escala para motos maiores. Mas essa época está acabando. As cidades estão cada vez mais cheias e muitos só vão ter contato com uma moto quando já desfrutam de uma certa estabilidade financeira, o que geralmente só ocorre com a idade.

Por isso, nos próximos meses, pretendo colocar neste espaço o máximo de material sobre o assunto para ajudar o meu amigo, algumas coisas que tive contato nesses 16 anos sobre duas rodas, mas focando sempre no universo das “customs”.

Ride hard or don’t ride at all.