Bikie Wars: Brothers in Arms

Série australiana que conta a história do massacre de Milperra, resultado de uma luta violenta entre Bandidos e Comancheros. A disputa começou quando alguns membros dos Comancheros, na época o maior motoclube da Austrália, se rebeleram contra o grupo e decidiram fundar o Bandidos M.C.

A série tenta pegar um pouco do embalo de Sons of Anarchy, com uma abertura bem parecida, e usando e abusando das montagens com trilha sonora, mas é só. Ela está mais para um documentário dramatizado do que para uma série de drama.

É honesta, mas poderia ser bem melhor.

American Chopper cancelado

O que era para ser um programa de motos, acabou se tornando uma novela, tanto na TV como na vida real. Com a saída de Paul Jr. na penúltima temporada, a Discovery Network chegou a cancelar o programa, já que ele estava se dedicando a projetos exdrúxulos como fabricar churrasqueiras, pois seu contrato não permitia que Jr. competisse diretamente com a OCC. Mas o cancelamento havia sido revertido no dia seguinte ao anúncio, quando Paul Senior voltou atrás na sua decisão e permitiu que seu filho fabricasse motos.

Rebatizada de “American Chopper: Senior. vs Junior”, a série era uma das mais vistas do canal (ao contrário do que se fala por aí), e chegou a gerar programas com a participação de Jesse James, competindo com os Teutuls para ver quem fabricava a melhor moto.

Mas agora, após 10 anos e 233 episódios, o canal decidiu encerrar o programa definitivamente. Ame ou odeie, a verdade é que American Chopper foi o responsável pelo boom de customizadores dos últimos anos, e elevou a categoria a outro patamar. Mesmo fabricantes reconhecidos nos EUA admitem que o mercado ganhou muito com a visibilidade do programa.

Resta saber o que será dos Teutuls, pois especula-se que 90% do faturamento deles é proveniente do programa e do merchandising, com apenas 10% vindo da fabricação de motos.

Episódio especial de Sons of Anarchy

Hoje à noite estréia nos EUA o 10º episódio da quinta temporada de Sons of Anarchy. Assim como nas temporadas anteriores, esse será um episódio especial, com 90 minutos de duração. Na prática, o episódio provavelmente vai ter apenas 5 ou 10 minutos a mais do que os outros, o restante é espaço publicitário, o que o torna bem maçante para quem está assistindo ao vivo.

Rusty Coones

Uma curiosidade sobre o seriado são as presenças de membros dos Hells Angels como figurantes, consultores e até mesmo protagonistas. O Happy, um dos nossos psicopatas favoritos, é um deles. Na vida real ele se chama David LaBrava e é membro dos H.A.s.

Sonny Barger, um dos mais famosos Angels de todos os tempos, interpreta Lenny The Pimp, um dos “First 9″ do SAMCRO, que cumpre pena de prisão perpétua em Stockton, e faz aparições esporádicas.

Outro integrante famoso que se juntou a essa essa temporada é Rusty Coones, fundador do chapter de Orange County dos Hells Angels. É fácil identifica-lo: ele é o cara do tamanho de uma geladeira industrial cheio de tatuagens.

Batmoto – a original


A Batmoto (também conhecida como Batcycle) do seriado fanfarrão do Batman nos anos 60, começou a vida como uma Harley Davidson com sidecar. Infelizmente, após a primeira temporada, ela foi substituída pela moto acima, uma Yamaha Catalina YDS-3, uma pequena 250cc de dois cilindros, já que os produtores queriam uma moto mais confiável para as filmagens.

Santa má reputação Batman.

O verdadeiro significado da amizade

O que House está fazendo mais uma vez em um blog de motos? Calma que eu chego lá.

Mas primeiro um aviso: se você acompanha a série e ainda não assisitiu ao último episódio, não continue lendo esse post. Sério. Pare agora. Eu avisei.

Poucas coisas me surpreenderam tanto quanto o final dessa série. Saí com um sorriso de orelha a orelha pensando que esses caras simplesmente entendem. Mesmo quem nunca assisitiu a um episódio sequer, vai gostar de ver a cena abaixo.

Não vou escrever mais para não estragar a supresa, mas só para inteirar quem não acompanha: Wilson, o melhor amigo de House, está com câncer e vai morrer em pouco tempo. House, que fez uma grande merda, está prestes a ser preso. Só que House está com mais medo de não estar ao lado do amigo quando ele se for, do que de ser preso (e tenha em mente que ele sempre foi o exemplo de egoísmo durante toda a série). Numa reviravolta, House fica muito louco e incendeia o lugar onde está. A cena abaixo, começa com o funeral de House.

Assistam, vale a pena. Tem legendas em português, mas não deve ficar no ar por muito tempo, já que os vídeos do Globo.com têm vida curta.

Clique para ver o trecho final do episódio

The Devils Ride: um MC do barulho, que vai aprontar altas confusões

Não faz muito tempo, falei sobre um programa de TV chamado “The Devils Ride”. A premissa parecia interessante, mostrar o dia a dia de um clube tradicional, daqueles com escudo em três partes, e que seguem as regras tradicionais dos M.C.s.

Infelizmente, fui ingênuo. A abertura do programa, com cenas copiadas do seriado Sons Of Anarchy, mostrando um homem em uma barbearia olhando para um pelotão de motos passando na rua, com armas sendo descarregadas e canivetes abrindo, já demonstrou a ideia por trás desse “reality show”.

Tudo no programa é falso. Sim, o clube existe, mas nada do que acontece nele é real ou pode ser levado a sério. O título desse post seria um ótimo subtítulo para esse programa. A edição tenta passar um ar de M.C. outlaw para eles, mas os Laffing Devils são hilários. A maioria do que acontece no clube, parece com intrigas de crianças na 5ª série. Minha avó é muito mais durona do que eles.

Que clube de verdade iria mostrar o que acontece em suas reuniões a portas fechadas? Assunto do clube é assunto do clube, termina ali, ninguém de fora nunca deve saber o que se passa nas reuniões. Qual é o sentido em deixar os prospects do lado de fora, quando tudo está sendo gravado por câmeras para ser transmitido para um país inteiro?

No primeiro episódio, um prospect espanca um fotógrafo por estar chegando perto demais das ol’ ladies do clube, que estavam jantando na varanda de um restaurante. A cena é patética, já que essas mesmas mulheres estavam cercadas por câmeras do próprio programa, e o tal do fotógrafo nem perto delas chegou. Fica claro que foi uma armação contra o cara para mostrar o quão durão eles são. Na cena seguinte, o mesmo prospect que bateu no cara, diz que faria qualquer coisa pelo clube.

A-hã… Os corajosos membros desse mesmo clube estão processando o integrante de um verdadeiro M.C. 1%er por ter feito com que dois Laffing Devils entregassem seus coletes. Quem conhece os M.C.s de verdade, sabe que um membro de escudo fechado só entrega seu colete morto. O colete é a maior honra, e é por ele que eles lutam e sangram, é assunto sério. Mas aparentemente os membros do Laffing Devils acharam melhor colocar o rabo entre as pernas, entregarem os seus coletes, para depois procurarem as autoridades.

É ridículo. Tem tanta baboseira que eu não consigo descrever aqui… No começo fiquei com raiva, mas nos últimos episódios já estava rindo. Se você tiver curiosidade (ou estômago) para ver, os episódios em inglês estão na íntegra no YouTube. Aproveite antes que tirem do ar:

Episódio 1 / Episódio 2 / Episódio 3 / Episódio 4 / Episódio 5 / Episódio 6

As motos de Sons of Anarchy

Membros de um M.C. dos EUA em ação. Com esses caras, não tem frescura.

Membros de um M.C. dos EUA em ação. Com esses caras, não tem frescura.

Várias vezes vi pessoas indignadas com as motos da série, dizendo que um clube como aquele deveria usar choppers, ou umas puta Harleys personalizadas, e reclamando dos farings ou dos tênis brancos. Então percebi que muitos dos recém chegados no mundo das motos, não conhecem a história desses M.C.s. americanos, por isso vamos lá:

A escolha das motos foi algo lógico, já que são as mesmas que os M.C.s outlaws de lá costumam usar (também conhecidos por 1%ers, cuja a história é discutida neste post aqui). Esse estilo de Dyna, toda preta, com fairing e motor fuçado é tão popular, que tem até nome: club bikes.

Elas são assim pois os membros desses M.C.s preferem motos sem viadagem, ágeis e rápidas. Nos anos 80, vários começaram a usar a FXR, que era uma das Harleys com o melhor frame já feito, firme e estável. Com o tempo, ela foi substituída pela linha Dyna, que apesar de possuir um frame inferior ao da FXR, ainda sim era mais ágil que as Softails.

São motos onde a função vem antes da forma, e a maioria das alterações são para melhorar o desempenho. Não é raro ver bike runs desses clubes com a galera andando em formação a mais de 170km/h e costurando pelo trânsito, uma visão capaz de deixar os jaspions que gostam de tirar fina de customs com o macacão borrado de medo.

Já o tênis branco, que deixa muita gente maluca, é algo corriqueiro também. A galera mais nova que está entrando para os clubes tem um estilo que foge ao que todo mundo tem no imaginário. É uma galera que anda de skate, ouve rap, usa calças largas, tênis vans, e não seguem a imagem do biker típico. Você vê vários deles, especialmente na California, pilotando suas motos de tênis branco (como na foto acima).

Pra mim faz todo o sentido. Moto tem tudo a ver com liberdade, e não conformismo. Essa história de que motoqueiro tem que obrigatoriamente ouvir rock clássico, usar couro e cabelo comprido é algo que ficou no passado, tem espaço para todo mundo (quer dizer, menos pra axé, pagode e forró. Ainda existem limites!)

Claro que existem vários membros com Softails e Baggers, e mesmo esses muitas vezes também possuem uma FXR ou Dyna. Afinal, eles rodam no mínimo 40 mil quilômetros por ano, já que todos os M.C.s possuem mandatory runs onde, como o próprio nome diz, você tem que participar e não pode ficar de fora só porque sua moto está na oficina.

Husqvarna Bobber

O programa Trato Feito do History Channel, teve uma personagem interessante esses dias: uma Husqvarna 1973 em péssimo estado, que acabou virando uma bobber. Infelizmente não achei muitas fotos dela na Internet, mas o episódio completo está no YoutTube:

Ator de Sons of Anarchy intimado pra porrada

O criador da série Sons of Anarchy, Kurt Sutter, costuma perder várias oportunidades de ficar quieto. Foi por causa dele que Charlie Hunnam, que interpreta o personagem Jax, foi convidado para uma luta por um membro de um M.C. 1/%er.

Tudo começou quando Sutter postou um comentário no Twitter sobre a nova série do Discovery Channel, chamada Devils Ride, que mostra o dia-a-dia de um M.C. Outlaw de San Diego:

“Assisti Devils Ride. Provavelmente vou me meter numa encrenca por falar isso, mas eu tenho certeza que os meus atores do Sons of Anarchy podiam dar um cacete nesse M.C. ‘de verdade’.”

Sandman, um dos membros do M.C. respondeu para um repórter:

“Acho que a mente criativa do Kurt está presa no seu mundo de faz de conta. Pra você cair na real, Kurt, estou convidando o seu clone bonitinho do Kurt Cobain pra vir até San Diego e provar que você está certo. E fala pra ele vir com aqueles tênis branquinhos dele. Espero que ele calce 43, eu tô precisando de um novo par.”

Kurt não quis comentar sobre o assunto.