Arquivo da categoria: Pilotagem

Zen e a arte de pilotar

Essa foto foi tirada hoje, em um rolê no meio do nada. Somente fazendas de cada lado, e nenhum sinal de civilização a não ser pelas cercas rústicas. São quilômetros sem sequer um poste de eletricidade, e o único outro ser vivo que encontrei por mais de meia hora foi uma cabra perdida.

E é nessa hora que a moto assume uma personalidade própria. O ronco do motor começa a conversar com você, um som reconfortante que preenche os ouvidos como uma música primal. Um a um os pensamentos começam a nos abandonar, cientes de que eles não receberão mais a atenção necessária. De repente não existem mais problemas, preocupações com dinheiro, chefe, deveres ou seja lá mais o que esteja tumultuando nossa mente.

Ficamos completamente concentrados no que estamos fazendo, ao ponto que é difícil dizer onde termina seu corpo e começa a moto. Os movimentos fluem com facilidade, e a moto parece reagir na mesma velocidade do pensamento. O acelerador está completamente aberto, e as curvas se aproximando cada vez mais rápidas. Mas apesar do perigo e da velocidade, a respiração é lenta e relaxada. Tudo se torna instintivo, nossos sentidos e reflexos estão ao máximo.

Estamos na zona. Um sentimento sem nome, mas que o nosso coração parece buscar a vida inteira.

É aquilo que não dá pra explicar, mas quem lê este blog sabe do que estou falando.

O maior espetáculo da terra

Eu continuo na minha empreitada de tentar fazer com que mais pessoas se interessarem por corridas de moto. Especialmente entre os donos de custom, há um certo preconceito com  corridas, como se elas fossem exclusividade dos speedeiros.

Mas a verdade é que a imagem negativa que algumas pessoas tem dos speedeiros, nada tem a ver com a realidade das corridas. Esses caras são atletas de ponta, pilotando ombro a ombro a mais de 300km/h (no caso do MotoGP) ou a poucos centímetros de uma parede de rocha (como no TT Island).

Se você é uma daquelas pessoas que sentem falta das corridas emocionantes de F1, onde o piloto era mais importante do que a máquina e haviam diversos pilotos de ponta disputando o pódium, tenho certeza de que você vai gostar do Moto GP, SBK ou do TT Island.

Afinal:

Mais um vídeo animal sobre o TT Island aqui.

Dica simples de segurança

Da próxima vez que você sair de moto, pilote fingindo que você é invisível para os carros.

Com o tempo começamos a correr riscos à toa, presumindo que todo mundo está vendo o que estamos fazendo, quando na verdade é cada vez mais difícil para um motorista enxergar uma moto no meio do caos. Imaginando que somos invisíveis, fazemos um exercício mental de antecipação e nos posicionamos melhor.

Afinal, quem sempre sai perdendo é a gente, então melhor não contar com a boa vontade dos motoristas…

Amanhã é dia da MotoGP

Sabe a saudade que você tem do tempo em que haviam diversos grandes pilotos na F1, de quando a habilidade deles era fundamental para uma vitória? No MotoGP (por enquanto) ainda é assim. A disputa acima é uma das melhores da história, e um exemplo do tipo de coisa que ainda acontece por lá.

Deixem as diferenças quanto ao estilo das motos de lado, e apreciem o que grandes pilotos podem fazer.

Isso sim é pilotar

Valentino Rossi pode estar tendo uma temporada difícil, mas ele continua sendo o cara. Mesmo que você só ande de custom a 70km/h, precisa tirar o chapéu para a habilidade dele. Como na foto acima, onde ele parece estar entrando na curva em um ângulo impossível graças a uma derrapagem controlada de traseira.

Mythbikers: comando avançado e seca suvaco

Planet of the Ape Hangers

O que eu vou dizer agora, não é nenhuma novidade para os motociclistas mais veteranos, mas é um mito que parece ter se alastrado entre os novatos e, surpreendentemente, entre alguns já não tão novatos:

NÃO! Você NÃO está fazendo curva melhor depois de colocar um comando avançado ou um seca suvaco na sua moto.

Eu sei, é duro ouvir isso, você provavelmente nem vai ler o resto do post com os olhos vermelhos de raiva, deixando comentários furiosos, mas tenha um pouco de calma que explicarei.

Sim, o comando avançado deixou a sua moto mais estilosa, com aquela pilotagem “Easy Rider” que você sempre esperou de uma Harley. Sim, o seca suvaco é muito confortável (apesar de todo mundo perguntar para você “Mas não cansa o braço?”) e mudou a cara da sua moto. E você pode até estar realmente achando que está fazendo curva melhor, já que está se sentindo mais à vontade nela.

Mas não, você não está. Isso é fisicamente impossível. Não é questão de gosto, não é questão de técnica, é uma questão de ciclística e de engenharia. Conforto e performance geralmente funcionam um em detrimento do outro.

A melhor rota para se fazer um contra-esterço em uma moto é a alavanca mais curta. É só olhar para uma esportiva, que é totalmente voltada ao desempenho, e perceber que o guidão é quase parte da mesa dianteira. Em nakeds, que procuram um meio termo entre performance e conforto, o maior tipo de guidão que você vai encontrar é o mesmo de uma Sportster. Eles são feitos assim para que as respostas sejam rápidas e não haja dispersão de energia com torções desnecessárias. Afinal, o seu seca parece rígido, mas se você pudesse vê-lo em uma câmera em super slow motion, perceberia como ele se torce enquanto você pilota.

Já o comando avançado, faz com que você não possa usar o seu peso na pedaleira nas mudanças de direção, dificultando a inclinação da moto, e fazendo com que o piloto instintivamente use muito mais força no guidão do que o necessário, exatamente o oposto do ideal, que é estar com os joelhos prendendo o seu corpo na moto, braços relaxados e pés firmemente apoiados. Além disso, há também o desconforto e a instabilidade de ter o vento tentando jogar o seu pé para fora da pedaleira acima dos 120km/h.

Some o seca suvaco ao comando avançado, e você tem um piloto que está basicamento solto na moto, usando força desnecessária no guidão, que por sua vez irá se torcer ainda mais. Tudo bem, muita gente que pilota Harley não quer saber de desempenho, mas o que os novatos precisam entender é que desempenho sempre é útil em situações de emergência. Seja para aquela fechada de um caminhão, para aquela curva que você achava que ia ser suave e de repente vira um cotovelo, ou para que você não fique sambando feito um côxa a 35km/h toda vez que a estrada começa a ficar cheia de curvas.

Lógico, existem motoqueiros que conseguem tirar o máximo de sua moto mesmo com comando avançado e seca suvaco. Mas eles estão fazendo isso apesar do comando avançado e do seca suvaco, e não por causa deles. O mérito é desses pilotos, que já andam a tempo suficiente para perceber a diferença entre uma coisa e outra e saber como compensar as desvantagens que esses acessórios trazem.  Se eles já andam forte assim, andariam ainda mais forte em uma bobber, por exemplo.

Seca suvaco e comando avançado são legais? São.

São estilosos? São.

Melhoram a moto nas curvas? Pelo contrário.

Você pilota feito uma garota

Leslie Poterfield, a mulher mais rápida do mundo. É a atual detentora de 4 recordes de velocidade, incluindo o de Top Speed (397 km/h). Há pouco tempo vi um vídeo dela rompendo a barreira das 200mph em Boneville (320km/h) em uma Hayabusa turbo sem carenagem, logo após ter se recuperado de um acidente onde ela fraturou diversas costelas e perfurou um pulmão.

Ela dá um novo sentido a frase “você corre feito uma garota”, deixou todos os marmanjos em Boneville para trás. É o que os americanos chamam de double menace: look and skills.

Pilotagem das Harleys e Cruisers

 (Não tem muito a ver com o tema, mas um David Mann para ilustrar um post nunca é demais)

Uma das coisas mais perigosas em pilotagem é o achômetro: você acha que a técnica está certa, ensina para um amigo e logo aquilo vira um mito entre o seu grupo. Por isso seguem algumas fontes interessantes sobre pilotagem de motos, mais focadas em grandes cruisers (em inglês):

Olhe para onde você quer ir e não para o que você quer evitar.

Esse é a dica número 1 em cursos de pilotagem de motos e de carros. É o mais básico, mas infelizmente muita gente não conhece. Muda completamente a sua forma de pilotar depois que você coloca em prática.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-headeyes.shtml

Estabilizar a moto em baixa velocidade

A dica de usar a zona de fricção da embragem enquanto se pressiona o freio traseiro levemente é muito boa. Às vezes faço isso em corredores mais apertados, a moto fica muito mais estável. Mas também é um bom jeito de acabar com a sua pastilha traseira rapidinho.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-slowspeed.shtml

Retornos em U

Uma manobra simples, mas que muita gente não domina. Quantas vezes você já não viu o dono de um cruiser, especialmente os donos Electra Glide, apanhando para fazer um retorno? Fazendo corretamente, você faz o retorno inteiro raspando as pedaleiras sem susto.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-uturns.shtml

O arrastador de pés

Ok, eu era um quando comecei. Mas isso foi há muito tempo, e eu vou negar até a morte.
http://www.ridemyown.com/articles/riding/BTB-footdragger.shtml

Twist of The Wrist II

A bíblia. É tão popular que existem até versões escaneadas em sites de torrents. O foco é em motos touring, mas as dicas em sua maioria são universais. Há pouco tempo foi lançado um DVD com as lições, muito mais interessante que o livro.
http://www.amazon.com/

Vídeos

http://www.youtube.com/watch?v=Csf3OmGD8UE
http://www.youtube.com/watch?v=6ZU12njTIqI
http://www.youtube.com/watch?v=bWaq0zOaAVU
http://www.youtube.com/watch?v=d9i6JxSI9rA

Agora bota essa moto pra rodar direito.

(Se você acompanha o blog por um leitor de RSS como o Reader, deve ter visto esse post duplicado. Infelizmente a versão anterior era apenas um rascunho copiado de um post que eu havia feito em um fórum. Não era para ter sido publicado, pois estava uma merda. Mal aí.)

Pilotagem de Harleys e motos custom

Não existe muita literatura em português sobre pilotagem de motos. E quando o assunto são motos “custom”, o funil fica ainda mais estreito. Percebi isso quando um grande amigo comprou uma moto e me pediu algumas dicas.

Em inglês, temos excelentes livros sobre o assunto, como a bíblia da pilotagem “A Twist Of The Wirst 2”, do Keith Code que, apesar de ser voltado para esportivas e tourings, possui conselhos que podem ser aplicados para qualquer tipo de moto.

Acredito que isso acontece pois a cultura motociclística sempre teve uma transmissão de conhecimento mais informal no Brasil. Antes, muitos aprendiam a pilotar em cinquentinhas e DT’s com um amigo, pai ou irmão mais velho. As ruas eram tranqüilas e você ia pegando o jeito dando um rolê aqui e outro ali, para depois subir na escala para motos maiores. Mas essa época está acabando. As cidades estão cada vez mais cheias e muitos só vão ter contato com uma moto quando já desfrutam de uma certa estabilidade financeira, o que geralmente só ocorre com a idade.

Por isso, nos próximos meses, pretendo colocar neste espaço o máximo de material sobre o assunto para ajudar o meu amigo, algumas coisas que tive contato nesses 16 anos sobre duas rodas, mas focando sempre no universo das “customs”.

Ride hard or don’t ride at all.